Pesquise Modelo de Projeto Social

29 junho 2021

O Homem e o Cobre

Há 10.000 anos antes de Cristo o homem fazia suas primeiras ferramentas de cobre. Um tipo de artesanato primitivo, mas que viria a influenciar todo o progresso tecnológico, daquele ponto em diante.


Ferramentas antigas

Esse período é chamado de  calcolítico, ou idade do cobre e dele temos poucos vestígios achados enterrados com artesãos, que com certeza os teriam fabricados.

O cobre nativo era conhecido por algumas das mais antigas civilizações que se tem notícia e tem sido utilizado pelo menos há dez mil anos - onde atualmente é o norte do Iraque foi encontrado um colar de cobre de 8.700 a.C. Porém, o descobrimento acidental do metal pode ter ocorrido a vários milênios.


Pedaço de cobre

Havia alguns argumentos de que o cobre seria o primeiro metal a ter sido obtido acidentalmente em fogueiras, mas isso parece improvável, uma vez que fogueiras não são quentes o suficiente para derreter minérios de cobre nem cobre metálico. Um caminho mais provável pode ter sido através dos fornos de cerâmica, inventados na Pérsia (Irã) por volta de 6000 a.C. Fornos de cerâmicas, além de, logicamente, produzirem cerâmica, também podiam derreter certos quartzos de diferentes cores para vitrificar e tornar vasos de cerâmica coloridos; acontece que a malaquita (um minério de cobre oxidado) é uma pedra verde colorida, e um oleiro que tentasse produzir algum vidro com malaquita acabaria obtendo cobre metálico. Assim pode ter iniciado a metalurgia do cobre.

Outra suposição, é que incêndios causados por raios podem ter derretido pedaços desse metal encontrados pelos homens daquele período, que depois de vê-los com outra forma tiveram a percepção de usar altas temperaturas para moldar objetos.

fonte:

27 junho 2021

Meu Projeto no CECI

Um comentário, sobre meu projeto que gostei muito. Veio do amigo Surfista das Estrelas, que tem um blog bastante interessante. Faço aqui o meu agradecimento a tão carinhosa mensagem. Ele comenta sobre o vídeo "Meu Trabalho no CECI".

"Olá amigo Victor!

Fazia um bom tempo que não tinha esse prazer de visitá-lo, mas hoje, esse vídeo me tocou profundamente. Sinto, em suas palavras, um misto de dever cumprido e, ao mesmo tempo, de que o amigo poderia ter feito algo a mais.

Sei como são os idealistas, de como são capazes de se empenharem em causas justas e, por outro lado, contar com tão poucos recursos. Por isso, o trabalho é árduo e, mesmo não pertencendo mais àquela luta, na sua linha de frente, sobram-lhes tantas energias e a vontade de retornar ao embate.

É, amigo! O ideal, num homem de fé, jamais morre, pode ficar escondidinho em algum lugar, somente esperando a hora de arregaçar as mangas e dizer em alto e bom som: começo por onde?!

Parabéns pelo espírito solidário, sei que há, ainda, muita força nesse velho guerreiro.

Forte abraço!"

Surfista das Estrelas

21 junho 2021

Arte Urbana Poética na Orla Conde 01 - O Tempo Passa, todos Passam

Em meio ao caos urbano o que surge à nossa frente não é arte? E como um tapa na cara, acorda quem passa distraído, expulsando o estrese do dia a dia, levando para longe tudo o que é indesejado e trazendo a paz, a beleza, a poesia. Victor S. Gomez - Escritor

Autor: Eduardo Kobra - http://www.eduardokobra.com/
"O tempo passa, todos passam, e o que acontece é saber quem é quem na paisagem. Tudo se integra, tudo fica um só. Algumas vezes somos indiferentes a tudo e a todos." Victor S. Gomez - Escritor

Grafite toma toda a parede na rua Lavapés, no bairro do Cambuci.
http://arte.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/01/19/olhares-de-sao-paulo/

Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

19 junho 2021

As Ninfas - O grafite Surgiu na Roma Antiga

Imagens de ninfas surgem dos lagos, riachos, bosques, florestas, prados, montanhas e se enveredam por lugares onde a arte e a loucura se aproximam. Victor S. Gomez - Escritor

Autor Desconhecido

Texto: Victor S. Gomez - Escritor
Na Roma antiga o grafite já era usado usado como forma de expressar o que o povo desejava. Os grafites eram de cunho político, para denunciar atos ilegais, para difamar pessoas, de cunho sexual e até mesmo para atacar o Imperador. 

Nas ruínas de Pompéia ainda podem ser vistos mais 13.000 grafites, uma grande quantidade, pois a população daquela cidade chegava a mais ou menos de 10 a 15.000 habitantes.

encurtador.com.br/jlzBM

Em Pompéia, assuntos mais tradicionais nas pichações, como a política 
deram lugar a grafites com conotação sexual – Foto: Valdiney Pimenta

18 junho 2021

Projeto Valença Troca Livros Agora no Bairro São José das Palmeiras

Livros disponíveis para troca no Projeto Valença Troca Livros.

Valença Troca Livros agora no bairro São José das Palmeiras Toda terça e sábado de 9:00 às 17:00h. Agora no bairro São José das Palmeiras, na rua João Antonio de paiva, 44. É só tocar a Campainha, ou entre em contato pelo WhatsApp - 24988487002 Victor S. Gomez

Ajude a divulgar o projeto Valença Troca Livros.

Se você tem algum livro guardado que não queira mais, acumulando poeira, traças, mas em bom estado de conservação. Quer colocá-lo para circular? Então venha trocá-lo no projeto Valença Troca Livros. 

A troca é 1x1, a pessoa traz um livro e troca por outro. Tem também retroca. Se você já leu o livro que trocou, pode trazê-lo e trocá-lo por outro.

Os livros que devem ser trazidos para troca podem ser de: Poesia, Romance, Contos, Crônicas, Biografia em bom estado de conservação.

Um projeto do Grupo de Escritores Flor e Poesia 

Escritor Victor S. Gomez, Escritora Déia Sineiro e Escritor Mário Sérgio Sigall Estamparia. 


Leite Derramado - Chico Buarque
Um homem muito velho está num leito de hospital. Membro de uma tradicional família brasileira, ele desfia, num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história de sua linhagem desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até o descendente, garotão do Rio de Janeiro atual. Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e econômica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos últimos dois séculos. A visão que o autor nos oferece da sociedade brasileira é extremamente pessimista: compadrios, preconceitos de classe e de raça, machismo, oportunismo, corrupção, destruição da natureza, delinquência.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Leite_Derramado


A Sétima Maldição Livro de Pedro Veludo
A Sétima Maldição é ambientado em um lugarejo "perdido" onde várias linhas narrativas correm paralelas: a paixão entre o personagem principal e uma jovem do lugar; os estranhos fatos que ocorrem setenta dias após Dona Eronquínea acordar com o maxilar inferior destroncado e a cabeça para os pés da cama; as descobertas e dificuldades de um autor, às voltas com a sua primeira obra de fôlego...

Beirando o realismo mágico, essas linhas se entrelaçam e enriquecem mutuamente, levando a um final surpreendente.


O Repouso do Guerreiro - C. Rochefort
Literatura francesa. O repouso do guerreiro e a história de um alcoólatra inveterado e a submissão de Genieve a um amor sem limites que se desespera, aniquila e a destrói.


O Fantasista - Hermán Rivera Letelier
O chileno Hernán Rivera Letelier, um dos escritores mais vendidos e premiados do Chile, fala do otimismo que sobrevive mesmo em meio à aridez de um lugar onde tudo acaba. Na trama, um inusitado time de futebol, formado por moradores de Coya Sur, uma das comunidades que sobrevivem da extração de salitre no deserto...


Mosaico - Gilberto Monteiro
Poeta Valenciano, Presidente de Fundação Lea Pentagna.
Mosaico
Pedras, pessoas, palavras
e o tempo que passa...
Mosaico
nas pedras as cores
nas pessoas os amores
nas palavras flores e dores.


Imprensa Valenciana de Gustavo Abruzzini de Barros
Do Provincianismo da era dos barões e coronéis, ao engatinhar do Profissionalismo do século XXI.
Esta obra é um dos trabalhos nascidos da oportunidade gerada pelo incentivo da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, com o objetivo de resgatar a memória da imprensa fluminense. Logo, o que o senso comum tomaria como tema menor ou de significância duvidosa, desfaz-se diante do brilho dos acervos encontrados. E a falsa impressão, se desfaz de vez, diante rico conteúdo dos pioneiros jornais do século XIX, com suas reveladoras tensões políticas e econômicas. Personagens pouco conhecidos e estudados, aqui se apresentarão para trazer, a luz de nosso tempo, rivalidades e conflitos, até então, desconsiderados por nossa historiografia. Em Imprensa Valenciana descortinam-se as influentes e, por vezes, dissimuladas presenças da colônia e da maçonaria nas iniciativas da imprensa e da política Liberal, em oposição ao Partido Conservador, ao regime escravocrata e ao clero do século XIX. Mais tarde, os jornais evoluem para empresas, em geral, a serviço da política ou do entretenimento, até que, com o afastamento da emblemática figura dos redatores, a partir do Golpe Militar, vivenciam crise de identidade e de objetivos.
A Imprensa Valenciana é uma história recheada de singeleza e de ações estratégicas, mas, sobretudo, é a história do constante renascimento da atividade, que, por mais de 180 anos, capitulou e ressurgiu.

15 junho 2021

O Folk de Patty Griffin

Nome: Patricia Jean Griffin
Origem: Old Town, Maine, U.S.
Gêneros: folk, folk rock, country folk
Profissão Músico, compositora
Instrumentos: Vocais, Guitarra, Piano
Anos em atividade: 1992 até hoje

Website: www.pattygriffin.com


Griffin performing at Sound Stage in Central Park, New York, September 17, 2008
By WooliteClean - Own work, CC BY-SA 3.0, 

Patty Griffin - Patricia Jean Griffin (nascida em 16 de março de 1964) é uma cantora, compositora e música americana. Ela é vocalista e toca violão e piano. Ela é conhecida por seu estilo de composição despojado no gênero de música folclórica. Suas músicas foram cobertas por vários músicos, incluindo Emmylou Harris, Ellis Paul, Kelly Clarkson, Rory Block, Dave Hause, Sugarland e os Dixie Chicks.

Em 2007, Griffin recebeu o prêmio de Artista do Ano da Associação Americana de Música, e seu álbum Children Running Through ganhou o prêmio de Melhor Álbum.

Em 2011, o álbum Downtown Church de Griffin ganhou o Grammy de Melhor Álbum Gospel Tradicional e seu álbum auto-intitulado de 2019 ganhou o Grammy de Melhor Álbum Folk.

13 junho 2021

Projeto Valença Troca Livros

Um projeto que me deixa muito feliz, Valença Troca Livros. Toda terça e sábado de 9:00 às 17:00h. Agora no bairro São José das Palmeiras, na rua João Antonio de paiva, 44. É só tocar a Campainha, ou entre em contato pelo WhatsApp - 24988487002 Victor S. Gomez

Ajude a divulgar o projeto Valença Troca Livros.

Se você tem algum livro guardado que não queira mais, acumulando poeira, traças, mas em bom estado de conservação. Quer colocá-lo para circular? Então venha trocá-lo no projeto Valença Troca Livros. 

A troca é 1x1, a pessoa traz um livro e troca por outro. Tem também retroca. Se você já leu o livro que trocou, pode trazê-lo e trocá-lo por outro.

Os livros que devem ser trazidos para troca podem ser de: Poesia, Romance, Contos, Crônicas, Biografia em bom estado de conservação.

Um projeto do Grupo de Escritores Flor e Poesia 

Escritor Victor S. Gomez, Escritora Déia Sineiro e Escritor Mário Sérgio Sigall Estamparia. 







12 junho 2021

Relatório do Planeta Terra

Relatório do Planeta Terra

Se a população da Terra fosse reduzida à  dimensão de uma pequena cidade de 100 pessoas, poderia observar-se a seguinte  distribuição:


57 Asiáticos

21  Europeus

14 Americanos (norte e sul)

08 Africanos

52  mulheres

48 homens

70 pessoas de cor

30 caucasianos

89 heterossexuais

11 homossexuais

06  pessoas seriam donas de 59% de toda a riqueza e todos eles seriam dos Estados  Unidos da América

80 pessoas viveriam em más condições

70  não teriam recebido qualquer instrução escolar

50 passariam  fome

01 morreria

02 nasceriam

01  teria um computador

01 (apenas um) teria instrução escolar  superior


Quando olha para o mundo nessa perspectiva, consegue  perceber a real necessidade de solidariedade, compreensão e educação?

Pensa  também no seguinte?:

Esta manhã, se acordar com saúde, então é mais feliz do  que 1 milhão de pessoas que não vão sobreviver até ao final da próxima semana.

Se nunca sofrer os efeitos da guerra, a solidão de uma cela, a agonia da  tortura, ou fome, então é mais feliz do que outros 500 milhões de pessoas do  mundo.

Se pode entrar numa igreja (ou Mesquita) sem medo de ser preso ou  morto, é mais feliz do que outros 3 milhões de pessoas do mundo.

Se tem  comida na geladeira, tem sapatos e roupa, tem uma cama e teto, é mais rico do  que 75% das outras pessoas do mundo.

Se tem uma conta bancária, dinheiro na  carteira e algumas moedas num moedeiro, pertence ao pequeno grupo de 8% de  pessoas do mundo que estão bem na vida.

Se está lendo esta mensagem, é  triplamente abençoado, pois:

1.Alguém lembrou-se de você.

2.Não faz parte  do grupo de 200 milhões de pessoas que não sabem ler.

3.E tem um  computador!


Tal como alguém uma vez disse:

- "trabalha como se  não precisasses do dinheiro;

- ama como se nunca tivesses sido magoado;

-  dança como se ninguém estivesse a ver-te;

- canta como se ninguém estivesse a  te ouvir;

- vive como se a terra fosse o Paraíso."


Fonte: PLANETA  VOLUNTÁRIOS

Porque ajudar faz bem !!!

www.planetavoluntarios.com.br

09 junho 2021

Livro "Como Perder o Medo de Dirigir" de Mario Silva

Quer ter uma mente tranquila quando estiver dirigindo? Sabe quais riscos que você poder correr se não estiver atento na direção de seu veículo? O livro - SENSAÇÃO (Como perder o medo de dirigir) tem as respostas que você precisa para ter uma vida plena dirigindo seu carro!

O autor Mário Silva se propôs a lhe ajudar. Um livro que trás em seu rico conteúdo, informações importantíssimas em relação ao medo e suas vertentes de tensão. Prevenção de acidentes de trânsito e como se comportar diante de ameaças. Sua jornada e imersão na escrita, o fez alcançar uma boa visão e um nível alto de preocupação com o condutor. Com isso, reduzir o risco de acidentes. A distância que este conteúdo puder alcançar ainda com sua ajuda, vidas podem ser salvas. A conscientização valoriza a vida.

Prevenir é a melhor forma de salvar alguém que ainda não está em perigo.

'' dirigir '' não é uma questão de gênero, mas, de atitude!

Tenha a firme convicção de que você é capaz e que existe dentro de você esta capacidade. LUTE! NÃO DESISTA!

ESTAREI DE MÃOS DADAS A VOCÊ RUMO A VITÓRIA E SUPERAÇÃO!!!!

                                                     Mário Silva

Link do livro na Amazonhttp://encurtador.com.br/rAHJS

07 junho 2021

Artesanato Vem da Terra


O Blog Vem da Terra trás todas cores com todas as matizes da terra, em um jogo de luz, brilho e nuances que mexem com nossos sentidos. 

A criatividade de um artesanato bem cuidado, que mostra a beleza não só de cada peça, mas de sua harmonia com o meio ambiente.




"As peças feitas artesanalmente uma a uma, o que lhes confere um aspecto único. Embora possam ser parecidas, nunca são exatamente iguais. Ao modelar, pintar e queimar cada peça, esta adquire características próprias, mesmo em relação às cores, pois no forno a gás cada queima é uma surpresa, tudo pode interferir no resultado final, a temperatura e oscilação da mesma, a localização da peça no forno, assim é impossível a fiel reprodução de peças em série. Podemos fazer peças parecidas, mas idênticas nunca.

São ideais para personalizar diversos trabalhos artísticos e artesanais. As peças são laváveis, podendo assim ser aplicadas até mesmo em roupas que precisam ser lavadas com frequencia.

Usando a imaginação é possível criar mil usos para as peças em cerâmica. Aplicações em bolsas, carteiras, quadros, caixas de MDF, scrapbooking, mosaico, montagem de colares, brincos, pulseiras, anéis, cintos, tiaras e muito mais."





04 junho 2021

A Feira Hippie de Ipanema Resiste


No mês de novembro apesar da pandemia a Feira Hippie de Ipanema completa 53 anos de existência.

Apesar dos inúmeros inimigos, tanto externos, como internos, a quarentona Feira Hippie continua firme no propósito de mostrar a arte sem compromisso e sem vínculos com o chamado "establishment", termo usado nos anos 60.

Inúmeros políticos, com boas, ou más intenções quiseram acabar com essa Feira sem sucesso e durante todo o período de existência a Feira Hippie passou por várias situações difíceis, algumas bastante concretas, outras nem tanto. Mas com ajuda de vários companheiros, alguns já falecidos, e de alguns políticos que nos ajudam até hoje, ela resiste e continua mostrando seu valor para a cultura de nosso estado.


Hoje a Feira Hippie de Ipanema se divide, e com isso somente quem ganha é o dito "establishment". Juntos somos fortes, desunidos não somos nada, apenas um bando correndo a deriva e fácil de ser abatido.

Para os que não conseguem ver, discussões de problemas internos, só prejudicam comercialmente e demonstram desunião e fragilizam ainda mais nossa feira. E uma velha frase cabe bem: "Roupa suja se lava em casa".

A Feira Hippie de Ipanema surgiu da necessidade dos artistas plásticos, que se reuniam em Ipanema no final dos anos 60, mostrar sua arte e sobreviver do seu trabalho, por isso a ruptura com o poder estabelecido. Hoje a proposta continua a mesma, queremos simplesmente sobreviver do nosso trabalho, mas para isso devemos nos manter a margem do poder estabelecido, que nunca nos deu nada, pelo contrário, apenas nos cobra e nos trata como marginais.

"Contracultura é um movimento que teve seu auge na década de 1960, quando teve lugar um estilo de mobilização e contestação social e utilizando novos meios de comunicação em massa. Jovens inovando estilos, voltando-se mais para o antissocial aos olhos das famílias mais conservadoras, com um espírito mais libertário, resumido como uma cultura underground, cultura alternativa ou cultura marginal, focada principalmente nas transformações da consciência, dos valores e do comportamento, na busca de outros espaços e novos canais de expressão para o indivíduo e pequenas realidades do cotidiano, embora o movimento Hippie, que representa esse auge, almejasse a transformação da sociedade como um todo, através da tomada de consciência, da mudança de atitude e do protesto político."


02 junho 2021

A Arte se Expõe

O que nos assusta, o medo real? ou as transformações que surgem colocando tudo o que acreditamos na balança, onde o que parece ficção muitas vezes pesa mais do que a realidade.

A arte se expõe, transita por mundos desconhecidos, representa e reescreve o mundo, nos coloca diante do que não entendemos, nos assusta, nos faz frágeis, desmonta nosso interior e o transforma naquilo que deseja. Victor S. Gomez - Escritor


Blog Cidadania 

Passo a passo de como criar uma ONG