07 setembro 2019

Entrevista com Dilma Dantas Moreira Mazzeo, Diretora de Eventos da Fundação Lea Pentagna - Por Victor S. Gomez

Novos e Grandes Talentos de Valença: 

É no passado que se alicerçam as bases para o futuro. O que de ruim e de bom for feito se refletirá para sempre pela eternidade.

Quando a Srª Lea Pentagna criou a Fundação Lea Pentagna, ela depositou ali todo seu amor por sua cidade, pelas pessoas e por tudo que ela deixou para que a cultura e a arte fossem propagadas para sempre em Valença. Mas ela não tinha certeza que isso aconteceria da forma como ela imaginava, ela não tinha ideia de quem assumisse essa instituição seguiria em frente, que pessoas de bem e altruístas levariam a diante o seu desejo. Hoje os que comandam essa instituição, Seu Presidente, Gilberto Monteiro e a Diretora de Eventos, Dilma Dantas Moreira Mazzeo, se esforçam no dia a dia da instituição, para que a proposta da Srª Lea Pentagna não desapareça, que a arte e a cultura não deixem de ter o poder transformador, e que esse trabalho não perca seu objetivo maior: Levar conhecimento para cada vez mais pessoas. Se depender do esforço desses abnegados Diretores e voluntários que tanto trabalham, esse projeto seguirá adiante para sempre.
Nosso desejo em fazer o melhor, nosso esforço em transformar situações que muitos acreditam como impossível, é o que faz com que sigamos adiante, com que tenhamos força para realizar o mais difícil dos projetos. Você não precisa que ninguém acredite, basta que você acredite e não pare nunca.


1- Qual a avaliação que a senhora faz do tradicional evento Feira Cultural?
A Feira de Cultura realizada pela Fundação Lea Pentagna vem sendo realizada há 18 anos e já se tornou uma tradição em nossa cidade e a cada ano ela vem melhorando, tentando ampliar seu público e buscando novos assuntos para serem abordados, mas nós achamos que é muito pouco em relação ao que as pessoas poderiam aproveitar. A Feira de Cultura é um evento gratuito, que contém uma gama enorme de assuntos, e que atende a gostos diferentes, mas achamos que o interesse pela feira ainda é muito pequeno.



2- A senhora tem sentido algum crescimento na frequência de pessoas no evento?
Nós sentimos que ainda não existe uma paixão grande pela Feira, apesar de estarmos sempre tentando inovar, trazer novos assuntos, sentimos que apesar de termos um grupo de frequentadores assíduos e de conquistarmos novas pessoas, ainda falta algo que atraia mais pessoas para o evento.
Todos os anos após a Feira, fazemos uma avaliação, esse ano ainda não fizemos, mas tenho notado um crescimento de jovens que vem assistir as palestras, e falando nisso, esse ano conseguimos um grupo de jovens estudantes de medicina que se interessaram em falar sobre as matérias que agora o SUS incluiu como tratamento para a população, a medicina integrativa.
“Medicina Integrativa é a prática da medicina que reafirma a importância da relação entre o paciente e o profissional de saúde. Ela é focada na pessoa em seu todo, informada por evidências e faz uso de todas as abordagens terapêuticas adequadas, com profissionais de saúde e disciplinas para obter o melhor da saúde e cura (health and healing).”
Todos os anos, pensando nos jovens, nós procuramos trazer grupos musicais que atraiam essa parcela da população que gosta desse tipo de segmento musical.



3-Muitos voluntários ajudam na organização do evento. Qual a importância desses voluntários na organização desse evento e no dia a dia da instituição?
A Fundação Lea Pentagna não possui uma equipe de voluntários fixa, apenas algumas pessoas abnegadas que quando podem nos auxiliam nas tarefas de organização de eventos. Aqui os contamos com o trabalho da conselheira Leila Silva, que me ajuda em um trabalho importantíssimo na Feira de Cultura, que começa alguns meses antes da Feira e que se estende até um pouco depois do término do evento, com os agradecimentos que fazemos a todos os palestrantes, patrocinadores e apoiadores da Feira e também contamos com o trabalho voluntário da amiga Ena Jannuzzi.



4- A Fundação Lea Pentgna é bem conhecida pela população de Valença. Esse conhecimento se traduz em números? É grande ou pequeno o comparecimento da população de Valença aos eventos?
A fundação Le Pentagna é aberta a população de Valença e a turistas, que querem visitar o Museu Casa, durante a semana, aos domingos e feriados, e percebemos que o movimento vem crescendo há algum tempo. Recebemos visitas de São Paulo, Rio de Janeiro, grupos da região de Valença e municípios vizinhos, Miguel Pereira, Vassouras, Rio das Flores e outros. A Casa é razoavelmente visitada, mas sentimos um pequeno crescimento do público. Um público interessante são as escolas que nos visitam durante a semana, são escolas de Barra do Piraí, Volta Redonda, algo que não acontecia muito, que agora vem melhorando. As escolas de Valença costumam vir visitar à Casa, mas ainda é um número bem reduzido. Seria interessante que as escolas se interessassem mais pelo evento, que funciona também durante dois dias da semana, até mesmo a faculdade poderia trazer alunos durante a semana, pois temos palestras à noite. 



5- A Fundação Lea Pentagna tem o reconhecimento merecido pela população de Valença, pelas empresas e pelo governo municipal?
A Fundação Lea Pentagna tem um reconhecimento geral por parte do município, somos reconhecidos pelos distritos, mas seria muito bom um aprofundamento entre as Secretarias e a instituição, para uma melhor divulgação desse trabalho. Com empresas é muito boa nossa parceria, e é por causa dessa parceria que se torna possível a realização da Feira de Cultura e outros eventos que fazemos aqui. Se for possível gostaríamos de agradecer a todos os patrocinadores e apoiadores que sempre estiveram ao nosso lado, e dizer que sem eles dificilmente poderíamos realizar nossos projetos. Agradecemos também ao comercio local pelos brindes que nos enviam e que sorteamos durante as palestras, são pequenas atitudes, singelas, que fazem a diferença, tornando a Feira mais atrativa e acolhedora. Temos também o reconhecimento da FAA, da ACIVA e de outras empresas, mas resta apenas um maior envolvimento da população com a instituição, mas isso é um trabalho longo, e que se tornará possível graças ao esforço e a persistência da Fundação Lea Pentagna na luta pela cultura em nosso município. 
Aqui um agradecimento especial à Câmara de Vereadores de Valença, sempre ao nosso lado, trabalhando junto com Fundação Lea Pentagna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.

Passo a passo de como criar uma ONG