29 janeiro 2019

Obrigado Rogério Silva Fort

Meimei e a Revolução do Bem

Irma de Castro Rocha, conhecida como Meimei por meio de psicografias, foi um espírito que se manifestava mediante as cartas do líder espírita Chico Xavier. Ela deixou grandes lições de benevolência com o próximo e sua história foi contada em diversas obras mediúnicas. Meimei nasceu na cidade de Mateus Leme, em Minas Gerais, em 22 de outubro de 1922. Seu nome espiritual trata-se de uma expressão familiar adotada por ela e seu marido, Arnaldo Rocha, com quem se casou aos 22 anos.

Seu marido dizia que qualquer criança que passasse por Meimei recebia o cumprimento: “Deus te abençoe”. Ela tinha um filho imaginário. Quando chegava do trabalho, às vezes ela falava ao esposo: “meu bem, você está sentado em cima de meu princepezinho”. Na época ele pensava que suas visões se tratavam de disfunções psíquicas.

Na cidade de Valença um homem resolveu superar as próprias dores físicas e com um espírito revolucionário personificou o filho imaginário de Meimei, abraçou, protegeu, educou e disse “Deus te abençoe” todos os dias a tantas crianças e adolescentes que perdemos a conta. Nos tempos atuais onde se defende a força bruta contra uma sociedade doente, nosso  homem revolucionário percebeu sutilmente que transformar uma sociedade principia na formação de crianças e adolescentes, pois quando estes verdadeiramente amados, no futuro estarão plenamente desarmados.

A revolução do bem, se despediu fisicamente, no dia 25 de janeiro de 2019, de um de seus ícones, que hoje representa a imortalidade na sua obra. Um revolucionário que resolveu chamar seu quartel de Lar “O Lar Meimei”, que com sua postura desafiadora pedia com um olhar que destruíssemos todas as leis, exceto a Lei do Amor.

Obrigado Rogério Silva Fort por nos ensinar a arrancar nossas próprias ervas daninhas e plantar flores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.

Passo a passo de como criar uma ONG