Pesquise Modelo de Projeto Social

30 dezembro 2018

Feliz Natal, Feliz Ano Novo e Boas Festas.

Todos os anos todos desejam Feliz Natal, Feliz Ano Novo e Boas Festas. Não é por falta de assunto, é porque nessa época somos atacados pelo espirito de Natal, então tudo fica diferente mesmo. É mesmo uma sensação agradável que deixa a maioria das pessoas carregadas de bons sentimentos, então o que temos que fazer sobre isso? Simplesmente respeitar, e continuar desejando Feliz Natal, Feliz Ano Novo e Boas festas. Nada melhor do que repetir e compartilhar bons sentimentos. Vamos continuar assim, pois um novo ano se inicia, e nada melhor do que recebe-lo com alegria, amor e um desejo sincero de uma vida melhor para todos.

Foto: Victor S. Gomez - Fundação Lea Pentagna - Casa Viva

28 dezembro 2018

Rodoviária de Valença

Essa é para o Vereador Professor Rafael. Como o Senhor pode nos ajudar, Vereador?

Recebi essa mensagem do amigo Sergio Soares, morador do Rio de Janeiro, mas que tem parentes em Valença

"Boa tarde amigo. Ontem estive na Princesa da Serra, visitando minha mãe,que segue sua vida de anciã,tranquila e bem cuidada.Infelizmente, a rodoviária da cidade, que deveria ser o primeiro cartão de visitas, segue a cada visita em pior estado,com goteiras enormes, suja,com uma quantidade grande de cães de rua e de desocupados,regra geral,alcoolizados e pedintes. O banheiro masculino é uma pocilga e imagino que o feminino não fique longe. As lanchonetes seguem o padrão do local público e não se tem por parte da empresa de ônibus que faz o percurso Rio / Valença / Rio, maior preocupação com seus passageiros.A viagem ontem teve atraso para Valença, superior a uma hora no horário das 8 horas e o retorno às 18 hs foi feito em veículo de turismo, antigo e de menor qualidade. Uma tristeza o que se tem que aturar. Quem sabe o nosso poeta Victor S. Gomez, possa levar, por seus conhecimentos na praça um pedido as ditas autoridades competentes, maior atenção e consideração com quem chega e deixa a cidade de ônibus!"

Foto ilustrativa de Victor S. Gomez, não é atual.

27 dezembro 2018

Hoje, licitação dos Ônibus de Valença

Não deixe de comparecer hoje, na licitação de ônibus de Valença.

Hoje às 14:00 horas, no Auditório da Secretaria Municipal de Educação de Valença, prédio da Antiga Faculdade de Odontologia, no Barroso. Sua presença é fundamental, pois esse é o momento de participar e cobrar por melhorias no transporte público de nossa cidade e distritos. Principalmente para os idosos, que são colocados na frente dos ônibus, de pé igual gado, com somente um banco, pois os outros foram tirados.
Compareça!


Fonte da notícia: Professor Rafael 

23 dezembro 2018

É Natal

Bom dia amigos!
Um dia um menino veio ao mundo e disse que ia mudar as pessoas, o mundo, ele bem que tentou, mas não deixaram, ele foi sacrificado. Parece que os homens não estão preparados para serem salvos, muitos preferem a dor, o sofrimento e a miséria alheia, para dali tirarem o seu sustento. Se esse menino nascesse novamente nos dias de hoje, novamente ele seria sacrificado, como milhares de outros meninos que nascem e morrem todos os dias. As vezes eu penso, seguir lideres é a solução? Não seguir, mas aprender com eles como melhorar, crescer como pessoa, talvez essa seja a melhor maneira de viver. Repartir, compartilhar, se doar, palavras muito usadas, mas pouco praticadas nos dias de hoje. O Natal nos trás essas sensações, sensações que nos levam a sermos mais bondosos, cordatos, voluntariosos, praticar essas sensações pode ser uma boa maneira de vivermos. E apenas no Natal é que devemos agir assim? Não sei, mas o minimo que fizermos já é um bom começo. Praticar o bem, ajudando ao próximo da maneira que for, essa deve ser nossa tarefa diária. Busque um proposito para sua vida, não aquele que vise somente a você, mas um que vise melhorar a vida de quem quer que seja. Ajude, seja solidário, mude por dentro e o mundo mudará por fora.
Feliz Natal! Victor S. Gomez - EscritorValença - RJ.

19 dezembro 2018

Se Você Deseja Fundar uma ONG

Se você deseja fundar uma ONG é preciso que esteja atento ao código civil, para isso é necessário que você tenha um advogado que possa revisar o texto do estatuto. Ele também será essencial na assinatura do estatuto, rubricando todas as páginas e carimbando-as.

Perceba que esse é um estatuto padrão para ONG, caso queira utiliza-lo para criar uma OSCIP ele deverá sofre algumas modificações.

Não esqueça também que você deverá colocar os objetivos referente ao trabalho que sua ONG vai realizar junto a comunidade, para que no futuro não tenha que ficar alterando o estatuto, pois só poderá fazer isso convocando assembleia para tal e registrando a ata da mesma.

"A estrutura organizacional (cargos, seus nomes e funções) poderá ser adequada à realidade da ONG. A existência de cargos com as nomenclaturas de presidente, vice-presidente, etc é apenas uma convenção, não sendo obrigatório tê-los. O Código Civil determina que o Estatuto deve prever a estrutura organizacional e de administração (entenda-se “representação legal”) da Organização. Entretanto, não determina quais sejam os nomes dos cargos, nem mesmo quantos ou o que façam. Assim, uma Organização é livre para definir o que quiser em seu estatuto, bastando prever expressamente a existência de um seu representante legal. Muitas vezes a confusão se instaura, pois, para a obtenção de alguns títulos ou certificados, sempre facultativos, a legislação específica determina que o Estatuto deva prever tais ou quais cargos e funções." Evelyne Leandro


CAPÍTULO I
DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETIVOS E DURAÇÃO
Art. 1º Sob a denominação deXXXXXXXXXXXXXX– doravante denominada simplesmente XXXXXXXXXXXXX - fica constituída uma instituição civil, sem fins lucrativos, de caráter cultural, educativo, científico, assistencial e filantrópico, de duração indeterminada, com sede e foro em XXXXXXXXXXXXXX.
Parágrafo Único - Poderá a XXXXXXXX, a critério de sua Diretoria Executiva, instalar agências, escritórios ou representações em qualquer localidade, bem como associar-se a outras entidades de objetivos afins em qualquer parte do mundo.
Art. 2º A XXXXXXXXXX terá como finalidades:
I – formular políticas públicas de interesse da juventude;
II – desenvolver PROJETOS para públicos e agentes sociais prioritários, em luta pela construção da cidadania;
III – promover a cultura, a formação profissional, técnica e ética de jovens, orientada para a paz, a cidadania, a defesa dos direitos humanos e da democracia;
IV – desenvolver a consciência social solidária com a juventude, facilitar a criação de mecanismos de participação e promover a defesa dos direitos humanos concernentes à juventude;
V – organizar experiências e contribuir com as ações centradas na transformação social e na redefinição do papel do jovem na sociedade;
VI – defender e promover do desenvolvimento sustentável, o combate à pobreza e contribuir para a formulação de políticas públicas que facilitem a inserção do jovem no mercado de trabalh.
V - promover o voluntariado;
Art. 3º A XXXXXXXXXXXXX desenvolverá atividades de assessoria, consultoria, pesquisa, informação, formação, capacitação e difusão cultural, assegurados os seguintes direitos:
I – produzir, publicar, editar, expor e divulgar materiais impressos, fotográficos, audiovisuais, de gravação magnética ou ótica, programas de rádio, televisão e outros meios;
II – documentar e difundir todas as atividades com sua participação;
III – distribuir e vender materiais da própria entidade ou de terceiros;
IV - celebrar atos formais de parceria, convênios, contratos, termos de ajuste e outros instrumentos legais com organismos e entidades nacionais, estrangeiras e internacionais, públicas e privadas;


CAPÍTULO II
DOS SÓCIOS
Art. 4º Serão admitidos como sócios da XXXXXXXXXXX quaisquer pessoas, físicas ou jurídicas, independentemente de nacionalidade, cor, orientação sexual, profissão, credo político ou religioso, desde que aceitem e cumpram os requisitos e as finalidades estabelecidas pelo presente Estatuto.
Parágrafo Único – É expressamente vedada a admissão de pessoas cujas manifestações ou idéias atentem contra os direitos humanos, tornando nula a filiação.
Art. 5º Serão sócios fundadores os que assinarem a ata de fundação da entidade, sócios beneméritos e sócios indexdores os admitidos em Assembléia Geral, por indicação de outro sócio encaminhada à Diretoria.
Art. 6º São direitos do sócio fundador:
I – participar das Assembléias Gerais;
II – fazer proposições, votar e ser votado em assembléia geral;
III - fazer parte de organismos não permanentes da entidade - tais como grupos de trabalho, comissões e núcleos – e receber delegações e outorgas pela XXXXXXXXXXXXXX, desde que esteja em dia com suas obrigações estatutárias;
IV – solicitar, a qualquer tempo, esclarecimentos e informações sobre as atividades da XXXXXXXXXXXXXX e propor medidas que julgue de interesse para o aperfeiçoamento da entidade.
Parágrafo Único - Serão admitidos sócios beneméritos com direito a voz e voto e sócios indexdores com direito a voz nas instâncias da XXXXXXXXXXXXXX.
Art. 7º São deveres do sócio observar e acatar as disposições legais e estatutárias, bem como as deliberações regularmente tomadas pelas instâncias de deliberação.
Art. 8º Os sócios não responderão, solidária nem subsidiariamente, pelas obrigações ou compromissos assumidos pela XXXXXXXXXXXXX.
Parágrafo Único – Excetuam-se os sócios que venham a ser eleitos para compor a Diretoria Executiva da XXXXXXXXXXXXX.


CAPÍTULO III
DA ORGANIZAÇÃO
Seção I
Da Assembléia Geral
Art. 9º A Assembléia Geral, instância máxima de deliberação, é composta pelos sócios fundadores, sócios beneméritos e sócios indexdores quites com suas obrigações estatutárias.
Parágrafo Único - A Assembléia Geral poderá, respeitada a competência legal, tomar toda e qualquer decisão que vise resguardar os interesses da entidade.
Art. 10. Compete privativamente à Assembléia Geral:
I – eleger, a cada dois anos, por voto direto dos sócios quites com suas obrigações estatutárias, a Diretoria Executiva e o Diretor-Presidente da XXXXXXXXXXXXX;
II – nomear o conselho fiscal para analisar e emitir parecer sobre as contas da entidade;
II – apreciar e votar os relatórios, balanços e contas da Diretoria Executiva relativos ao exercício do ano anterior;
III – deliberar sobre propostas de mudança no Estatuto;
IV – destituir e substituir o Diretor-Presidente, a Diretoria Executiva e nomear Comissão Provisória até a eleição ordinária de novos membros;
V – decidir sobre a extinção da XXXXXXXXXXXXX e, neste caso, nomear os liqüidantes e analisar as respectivas contas;
VI – analisar os atos ad referendum da Diretoria Executiva.
VI – autorizar a alienação, venda ou permuta de bens imóveis;
Parágrafo 1º – As deliberações previstas nos incisos III, IV e V deverão atender ao quorum mínimo de 2/3 dos sócios quites com suas obrigações estatutárias.
Parágrafo 2º – Na situação prevista pelo inciso V, o respectivo patrimônio líquido será transferido a outra pessoa jurídica, preferencialmente com suas mesmas finalidades da XXXXXXXXXXXXX.
Art. 11. A Assembléia Geral reunir-se-á:
I – ordinariamente, 01 (uma) vez por ano, até o dia 30 (trinta) do mês de maio de cada ano;
II – extraordinariamente, convocada pelo Diretor-Presidente ou a requerimento da maioria da Diretoria Executiva ou ainda por no mínimo de 2/3 dos sócios quites com suas obrigações estatutárias.
Art. 12. A Assembléia Geral será convocada com uma antecedência mínima de 15 (quinze) dias, ressalvadas as disposições eleitorais e o regime de urgência, garantida a convocação de todos os sócios.
§ 1º - A Assembléia Geral será presidida pelo Diretor-Presidente ou membro da Diretoria Executiva, na escala de sucessão prevista neste Estatuto, ou, na ausência destes, por sócio segundo o critério de antigüidade.
§ 2º - As decisões serão lavradas em ata devidamente assinada pelos sócios presentes e membros da Diretoria Executiva.
Seção II
Do Conselho Consultivo
Art. 13 – Será constituído em assembléia geral um Conselho Consultivo composto de pessoas ilibadas, notórias e reconhecidas pela sociedade pela importância de suas ações.
Art. 14 – Compete ao Conselho Consultivo a formulação das políticas públicas da XXXXXXXXXXXXX e o apoio à consecução de seus PROJETOS.
Seção III
Da Presidência
Art. 15 – Compete ao Diretor-Presidente:
I – representar a XXXXXXXXXXXXX em juízo ou fora dele ou designar a representação a qualquer um dos membros da entidade;
II – delegar funções ou missões aos membros da Diretoria Executiva ou a qualquer sócio, desde que não abrangidas pela estrutura da própria Diretoria;
III – ordenar despesas, autorizar e efetuar pagamentos, em conjunto com o Diretor Financeiro;
IV – contratar e movimentar pessoal e serviços necessários ao desempenho das atividades técnicas e administrativas, com a aprovação do Diretor Financeiro.
V – assinar os instrumentos de parceria previstos no inciso IV do Art. 3º e conforme estabelecido no inciso IV do Art. 14;
VI – contrair compromissos, despesas ou obrigações em nome da Associação e assinar, em conjunto com o Diretor Financeiro, cheques, letras e quaisquer outros títulos decorrentes destes compromissos.
VII – expedir as ordens e executar as medidas indispensáveis ao cumprimento das resoluções da Diretoria, das Assembléias Gerais e do presente estatuto.
VIII – emanar atos ad referendum de interesse da XXXXXXXXXXXXX e no que exigir pronta solução.
IX – outras atribuições que venham a ser estabelecidas por resolução da diretoria.
Parágrafo Único – Para as hipóteses de movimentação bancária será sempre necessária a assinatura em conjunto do Diretor-Presidente com o Diretor Financeiro.
Seção IV
Da Diretoria Executiva
Art. 16. A Diretoria Executiva será composta pelo Diretor-Presidente da XXXXXXXXXXXXX, um Vice-Presidente, um Secretário-Executivo e um Diretor Financeiro.
§ 1º Poderão ser nomeados, extraordinariamente, Diretores Técnicos para compor a Diretoria, de maneira a suprir eventuais necessidades decorrentes das linhas de ação do Plano de Trabalho Anual.
2º A Diretoria Executiva contará com uma estrutura técnico-administrativa e financeira para cumprimento dos objetivos institucionais da XXXXXXXXXXXXX.
§ 3º No caso de impedimento do Diretor-Presidente ou vacância deste cargo, caberá ao Vice-Presidente substituí-lo ou sucedê-lo, respectivamente.
§ 4º Serão nomeados 2 (dois) suplentes para suceder aos membros da Diretoria Executiva em caso de vacância.
§ 5º A Diretoria é eleita a cada 2 anos por voto dos sócios quites com suas obrigações estatutárias, em votação por chapas, facultada a reeleição de seus membros.
Art. 17. Compete à Diretoria Executiva:
I - definir políticas e estratégias de atuação da XXXXXXXXXXXXX e deliberar sobre o Plano de Trabalho;
II – regulamentar os processos disciplinares e administrativos da entidade, que poderão consolidar-se em regimento interno;
I – implementar a gestão executiva da XXXXXXXXXXXXX;
IV - examinar convênios, contratos, empréstimos e acordos com outras instituições públicas ou privadas, nacionais, estrangeiras ou internacionais, após análise e emissão de parecer individual por um de seus membros;
V - instaurar auditorias, sindicâncias e processos;
VI – analisar e deliberar sobre atos ad referendum praticados pelo Diretor-Presidente da XXXXXXXXXXXXX;
VII – nomear comissão de ética;
VIIII – receber e deliberar sobre as representações encaminhadas pelos sócios;
IX – regulamentar as disposições deste estatuto;
X – decidir sobre os casos omissos do presente estatuto.
XI – responsabilizar-se pelos atos e obrigações assumidas em decorrência do exercício de suas funções;
XII – apresentar o Relatório, o Balanço e as Contas Anuais ao Conselho Fiscal e, consecutivamente, à Assembléia Geral Ordinária;
Art. 18. A Diretoria Executiva reunir-se-á a partir de convocação do Diretor-Presidente ou auto-convocação de seus membros para apreciar pauta definida.
§ 1º - As reuniões serão presididas pelo Diretor-Presidente ou, no impedimento do mesmo, pelo Vice-Presidente, Secretário Executivo ou pelo Diretor Financeiro, nesta ordem.
§ 2º - As decisões serão tomadas por maioria simples dos votos.


CAPÍTULO IV
DO PATRIMÔNIO E DA RENDA
Art. 19. O patrimônio da XXXXXXXXXXXXX será constituído por:
I – mensalidades e anuidades, pagas por todos os sócios.
II - doações e legados subsequentes recebidos de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado, nacionais, estrangeiras ou internacionais;
III – entre outros, quaisquer bens e direitos que venha a adquirir, além dos rendimentos gerados por suas atividades e propriedades, inclusive marcas e patentes.
IV – remunerações que receber por serviços prestados;
III – rendas ou subvenções públicas;
V – Juros bancários ou receitas eventuais;
VI – outras que vierem a ser estipuladas.
Parágrafo Único - A alienação de bens ou parcela do patrimônio é condicionada à aprovação prévia pela Assembléia Geral.
Art. 20. Todos os recursos obtidos pela XXXXXXXXXXXXX serão aplicados na manutenção e no desenvolvimento de suas finalidades.
§ 1º XXXXXXXXXXXXX poderá destinar um percentual de até 10% (dez por cento) dos recursos captados com parcerias, contratos e convênios para o seu próprio reinvestimento, assim como pelo pagamento efetuado aos técnicos contratados para a prestação de serviços.
§ 2º O percentual de retenção poderá ser alterado pela Assembléia Geral, respeitado sempre o teto máximo de 10% (dez por cento).
CAPÍTULO IV
DA ADMINISTRAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS
Art. 21. A administração da XXXXXXXXXXXXX respeitará os princípios da probidade, legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e eficiência, de maneira a garantir a boa gestão de seus recursos e coibir a obtenção, de forma individual ou coletiva, de vantagens em decorrência da participação no respectivo processo decisório.
Art. 22. A gestão administrativa observará as normas de prestação de contas segundo os princípios fundamentais de contabilidade e das Normas Brasileiras de Contabilidade, e em especial conforme determina o parágrafo único do art. 70 da Constituição Federal.

13 dezembro 2018

Complexo de vira-lata

"Complexo de vira-lata" é uma expressão criada pelo dramaturgo e escritor brasileiro Nelson Rodrigues, a qual originalmente se referia ao trauma sofrido pelos brasileiros em 1950, quando a Seleção Brasileira foi derrotada pela Seleção Uruguaia de Futebol na final da Copa do Mundo em pleno Maracanã.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Complexo_de_vira-lata

"Por complexo de vira-lata entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo." Nelson Rodrigues


"Que tenhamos mais respeito por nós mesmos, não nos sujeitando aqueles que nunca  nos ofereceram nada, pelo contrário sempre nos sugaram tudo que puderam, e que se continuarmos deixando, transformarão nosso país em um deserto, deteriorando nossa economia, destruindo nossas florestas, levando nossos meninos à morte, trazendo para cá uma guerra que não nos pertence. O interesse dessa "nação amiga", é explorar nossas riquezas, nosso petróleo e o de nossos vizinhos. Cuidado para que não transformem nosso continente em um Oriente Médio, com uma guerra que matará nossos filhos e netos e que transformará nosso país em um deserto coberto de sangue.

Tenho certeza absoluta que o nosso valoroso exercito não se envolvera em uma aventura sem futuro." Victor S. Gomez

Prestem atenção nisso:
"John Bolton, braço direito de Donald Trump para segurança nacional, vem se aproximando dos presidentes eleitos na Colômbia e no Brasil em 2018. O conservador Iván Duque tomou posse em agosto deste ano após vencer as eleições presidenciais na Colômbia."

11 dezembro 2018

Para Matar ou Morrer, Basta Apenas uma Arma

Para que servem as armas senão para matar. Mesmo com uma arma na mão você não conseguirá deter um assaltante, pois se ele souber que você está armado, ele vai te matar primeiro. Você sempre será pego de surpresa e perderá sua arma. É uma ilusão achar que você tem como deter alguém que esteja disposto a tudo, só se você ficar com sua arma na mão o tempo todo, aí a ameaça será você, que poderá ser abatido a qualquer momento. As armas são o passaporte mais garantido para a morte. O marginal sempre terá vantagem sobre você, pois ele vai estar observando você há algum tempo antes de agir. Pense bem antes de comprar uma arma, você poderá se tornar vitima da sua estupidez.

Oito pessoas foram baleadas no interior da Catedral de Campinas, 
cinco pessoas e o atirador morreram (Facebook/Reprodução)

Em Campinas, interior de São Paulo, um homem entra em uma Igreja, mata 05 pessoas e depois de mata.

“Ele chegou com a arma em punho e saiu atirando”, diz testemunha
As primeiras informações indicam que cinco pessoas teriam morrido, sendo quatro homens e uma mulher. O atirador se matou.
Por Ana Paula Niederauer, Júlia Marques e Ivan Machado, do Estadão Conteúdo access_time 11 dez 2018, 16h21 - Publicado em 11 dez 2018, 16h08

https://exame.abril.com.br/brasil/ele-chegou-com-a-arma-em-punho-e-saiu-atirando-diz-testemunha/

10 dezembro 2018

Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), que delineia os direitos humanos básicos, foi adotada pela Organização das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948. Foi esboçada principalmente pelo canadense John Peters Humphrey, contando, também, com a ajuda de várias pessoas de todo o mundo.

Abalados pela recente barbárie da Segunda Guerra Mundial, e com o intuito de construir um mundo sob novos alicerces ideológicos, os dirigentes das nações que emergiram como potências no período pós-guerra, liderados por Estados Unidos e União Soviética, estabeleceram, na Conferência de Yalta, na Rússia, em 1945, as bases de uma futura paz mundial, definindo áreas de influência das potências e acertando a criação de uma organização multilateral que promovesse negociações sobre conflitos internacionais, para evitar guerras e promover a paz e a democracia, e fortalecer os Direitos Humanos.

Programa BRB de Patrocínios Culturais 2019

Olá amigos!
Está na hora de vocês se ligarem rapidinho nessa oportunidade, para projetos de Arte e Cultura

O Programa BRB de Patrocínios Culturais 2019 é um processo seletivo que contempla projetos de arte e cultura, a serem realizados em Brasília e suas regiões administrativas, de 18/03/2019 a 31/12/2019. 

‍Confira aqui as datas do edital:
Fase de Inscrição e Regularidade Fiscal e Trabalhista: 03/12/2018 a 21/12/2018 
Fase de Análise: 02/01/2019 a 25/01/2019
Fase de Negociação: 04/02/2019 a 22/02/2019
Fase de Habilitação Jurídica e Contratação: a partir de 25/02/2019, respeitando a ordem de realização dos projetos.
‍FIQUE LIGADO! Só serão aceitos projetos postados até o dia 21/12/2018.

05 dezembro 2018

Montando um Projeto Social

Não é fácil montar um projeto social, se você está precisando de um modelo, esse aqui é bastante interessante. Mas não pense que ira conseguir ir em frente se não se capacitar, são muitos os detalhes para se montar um projeto, e só estudando muito é que você pode seguir em frente com seu projeto. Entre em contato com outras pessoas que trabalham com isso a mais tempo, faça cursos, procure pela internet, existem vários cursos e os presos são variados. Vá em frente e boa sorte!


Apresentação
Descreva, sucintamente, os objetivos do projeto, as atividades previstas e os principais resultados quantitativos e qualitativos esperados.

Justificativa
Deve-se responder a questão: por que executar o projeto? Ressaltar os seguintes aspectos:
• o problema social que o projeto pretende solucionar ou equacionar;
• a relevância do projeto em relação aos beneficiários e sua influência sobre adolescentes e jovens;
• o impacto social previsto do projeto e as transformações positivas e duradouras esperadas;
• a área geográfica em que o projeto se insere; e
• as características demográficas, socioeconômicas, ambientais e culturais da população; e o estágio de organização e mobilização das comunidades.

Atividades Anteriores
Descreva, sucintamente, ações anteriores da Organização voltadas aos adolescentes e jovens, incluindo os principais resultados quantitativos e qualitativos obtidos. Pode-se descrever o próprio projeto em caso de sua ampliação, aperfeiçoamento e/ou replicação.

Objetivo Geral
Identifique os benefícios mais amplos que as ações do projeto deverão propiciar aos adolescentes e jovens, apontando os parâmetros cronológicos e de mensuração. Por exemplo: reduzir em 35% a morbimortalidade juvenil por causas externas, até dezembro de 2002.

Objetivos Específicos
Estes objetivos referem-se às etapas intermediárias que deverão ser cumpridas no curso do projeto. Portanto, devem estar necessariamente vinculados ao seu objetivo geral. Também devem ser específicos, viáveis, hierarquizados, mensuráveis e cronologicamente definidos. Preencha o quadro abaixo, descrevendo os objetivos específicos do projeto por ordem de importância (hierarquização); os resultados quantitativos e qualitativos esperados em cada objetivo (mensuração); as atividades que deverão ser implementadas para sua consecução; e os períodos de execução das atividades (cronologia).

Hierarquização
Enunciado do Objetivo
Resultados Esperados Metas
Atividades Principais
Períodos

Metodologia Empregada
Descreva a maneira como as atividades serão implementadas, incluindo os principais procedimentos, as técnicas e instrumentos a serem empregados. Destaque outros aspectos metodológicos importantes, como a forma de atração dos públicos beneficiários; locais de abordagem desses grupos ou de execução das ações; meios a serem utilizados na divulgação dos serviços; natureza e função dos agentes multiplicadores; e mecanismos de participação comunitária.

Avaliação Processual
Esta modalidade de avaliação refere-se à forma como o projeto se desenvolve e à eficiência dos métodos e procedimentos empregados, de modo a fazer mais com menos. Para cada atividade principal, identifique os indicadores quantitativos e qua-litativos de progresso e, ainda, os meios de verificação das informações, ou seja: onde, quando e como as informações serão coletadas e analisadas.

Nº de Atividades
Indicadores do Progresso
Meios de Verificação

Avaliação de Resultados
Esta modalidade refere-se à eficácia dos métodos e procedimentos utilizados e denota as transformações sociais geradas pelas atividades. Para cada objetivo específico, identifique os indicadores quantitativos e qualitativos dos resultados esperados, assim como os meios de verificação.

Nº do Objetivo
Indicadores de Resultados
Meios de Verificação

Avaliação de Impacto
Esta modalidade de avaliação refere-se à continuidade das transformações decorrentes das ações implementadas, ou seja, à sua efetividade. Para cada objetivo específico, identifique os indicadores quantitativos e qualitativos de impacto, assim como os meios de verificação.

Nº do Objetivo
Indicadores de Impacto
Meios de Verificação

Parcerias e Alianças
Identifique as principais parcerias ou alianças estabelecidas para a execução do projeto, incluindo os parceiros-executores, as instituições de apoio técnico, material e/ou financeiro, organizações de referência, consultorias, etc., especificando as funções de cada uma delas.

Organização
Principais Funções no Projeto

Orçamento do Projeto
Considerando as principais atividades estabelecidas em cada objetivo específico, indique o valor do investimento solicitado ao programa, assim como a contrapartida da organização e os recursos provenientes de outras fontes (se for o caso). Como contrapartida, poderão ser computados os valores estimados das instalações, materiais e equipamentos da organização, cedidos ou utilizados na implementação do projeto, assim como o valor das horas de trabalho da equipe técnica, desde que esses itens não estejam incluídos no investimento solicitado ao programa.

Nº do Objetivo
Total

Investimento Solicitado
Total

Contrapartida da Organização
Total

Outras Fontes
Total

Total

Equipe Técnica
Relacione a equipe técnica principal do projeto, incluindo a formação profissional (médico, assistente social, psicólogo, etc.), a função ou cargo (diretor, coordenador, educador, pesquisador, etc.) e o tempo que cada profissional dedica ao projeto, em número de horas semanais.

Nome
Formação
Função no Projeto
Horas Semanais

Comunicação do Projeto
Este módulo refere-se às formas e meios pelos quais o projeto dará conhecimento de suas ações aos parceiros e aliados, líderes e formadores de opinião do Terceiro Setor, autoridades governamentais, público interno e sociedade em geral. Destaque as estratégias e materiais a serem utilizados com esse objetivo, assim como os mecanismos de vinculação do projeto ao programa Petrobras Social. Não confundir com a promoção de serviços junto aos beneficiários do projeto.

Cronograma de Atividades
O cronograma é a distribuição, no tempo, das principais atividades previstas. Constitui um instrumento essencial de gestão e, por isso, deve ser elaborado com critério. Relacione as principais atividades do projeto, indicando os prazos de início e conclusão de cada etapa. Considerando o prazo de vigência do contrato de parceria (12 meses), use o mês como unidade do cronograma.

01 dezembro 2018

Agência Mind7 Comunicação Integrada Festgraf 2018

Agência Mind7 Comunicação Integrada Conquista o Primeiro lugar na Categoria Campanha Integrada no Festgraf 2018

Ficha Técnica
Cliente: Serasa Consumidor
Agência: Mind7 Comunicação Integrada
Criação: Marcos Manarelli, Daniel Beduschi, Gustavo Pires
Marketing Serasa Consumidor: Daniel Ebbesen,
Eduardo Cavalheiro e Renan Maximiano
Ilustrações: Opala Rosa Choque

https://agenciamind7.com.br/serasa-itinerante-comemora-1-ano-de-sucesso/?fbclid=IwAR0G3mbVSOEN-lvW4hJCwN8W122TrPaYi072J_yz2459DGigSrM6SFoFCp0


"Para o amigo Daniel Beduschi
A beleza não está somente no material, no concreto, podemos encontrá-la no interior de cada um, naqueles que se dedicam com amor, que tem a sensibilidade a flor da pele, que constroem tudo com dedicação, mas sem muito esforço. Por que? Porque quando fazemos com amor, parece que nossa alma se expande, e tudo fica mais fácil. Na vida, os verdadeiros seres criadores, são aqueles que se doam, que tem o coração maior do que o normal, e que conseguem abrigar a todos, sem diferença. Daniel, eu sempre o vi desse jeito, um cara de sorriso fácil, sempre de bem com tudo, e sempre pronto a ajudar, uma alma criativa, que vem tendo o merecido reconhecimento no seu trabalho. Que bom que ele está em Valença, pois quanto mais alto ele voar, mais longe nossa cidade ira com ele. Parabéns meu amigo por esse prêmio mais do que merecido. Abraços. Victor S. Gomez"

Passo a passo de como criar uma ONG