Pesquise Modelo de Projeto Social

30 novembro 2018

Bienal de Pequim abre Inscrições para Seleções de Obras de Arte

A Bienal Internacional de Arte de Pequim (BIAB) iniciou o processo de seleção de obras para sua próxima edição, que será realizada entre agosto e setembro de 2019. Artistas de todo o mundo podem participar da convocatória. As inscrições podem ser feitas até 25 de dezembro, por meio do link:



Regulamento da 8ª Bienal Internacional de Arte de Pequim, China 2019

A Bienal Internacional de Arte de Pequim (abreviadamente Bienal de Pequim) foi iniciada em 2003, com a ratificação do Conselho de Estado e financiamento. É patrocinado conjuntamente pela Federação Chinesa de Círculos Literários e de Arte, o Governo do Município de Pequim e a Associação de Artistas da China, e é uma exposição acadêmica internacional com seu modo único que foi ratificado pelo Governo Central. Até agora, realizamos a Bienal de Pequim sucessivamente por sete vezes em 2003, 2005, 2008, 2010, 2012, 2015 e 2017. Os países participantes alcançaram de 45 a 102, os artistas participantes totalizaram mais de 4000 e os visitantes foram mais de 1 milhão nos últimos 10 anos. Como uma plataforma para intercâmbios culturais internacionais, a Bienal de Pequim adota o modo cooperativo do Comitê Curatorial chinês e os curadores internacionais. Nós aderimos à ideia de fazer esforços para construir uma plataforma internacional específica, e a Bienal de Pequim é elogiada como a maior bienal de arte, com suas exposições consistindo principalmente de pinturas e esculturas. Através da concepção de promover a harmonia global pela exposição artística contemporânea e respeitando a variedade da cultura internacional e aconselhamento de conversa igual entre a cultura oriental e ocidental, a Bienal de Pequim obteve o reconhecimento e o apoio de mais e mais artistas em todo o mundo .

I. A designação da exposição

8ª Bienal Internacional de Arte de Pequim, China 2019 (A 8ª Bienal de Pequim, abreviadamente)

II. Duração, Local e Soma das Exposições

Duração: 26 de agosto a 23 de setembro de 2019 (a ser determinado)

Local: Museu Nacional de Arte da China, Pequim

Soma das exposições: 600 ou mais

III O tema da 8ª Bienal de Pequim

Tema: Um mundo colorido e um futuro compartilhado

28 novembro 2018

Núcleo de Apoio à Produção Cultural da UFRJ Promove Orientações e Consultorias Gratuitas

Gostaríamos de contar com o seu apoio para divulgar o Núcleo de Apoio à Produção Cultural da UFRJ - NAPROCULT, para toda a comunidade universitária e demais interessados.

O NAPROCULT da UFRJ foi criado para atender estudantes, professores, técnico-administrativos, agentes culturais, coletivos, movimentos sociais e qualquer pessoa interessada em realizar alguma ação cultural, mas que necessita de uma orientação mais técnica, seja no processo de Elaboração de Projetos Culturais, quanto na Captação de Recursos, Produção Executiva e Prestação de Contas.

Para maiores informações, acessar o material em anexo ou o site da Pró-Reitoria de Extensão da UFRJ: 
http://extensao.ufrj.br/index.php/70-naprocult/159-naprocult

Estamos à disposição para qualquer dúvida!

Marize Figueira
Produtora Cultural
Pró Reitoria de Extensão - PR5
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tel. (21) 3938-9691/9698


Orientações e Consultorias Gratuitas

Elaboração de Projetos
- Cronogramas
- Plano de divulgação
- Orçamento
- Metodologia de avaliação e construção de indicadores

Captação de Recursos
- Prospecção de fontes de financiamento
- Plano de captação de recursos
- Enquadramento em editais de fomento e leis de incentivo à cultura

Produção Executiva
- Autorizações legais
- Logística de produção
- Montagem e desmontagem

Prestação de Contas
- Elaboração de relatórios

Público-alvo
- Artistas
- Estudantes
- Professores
- Técnicos Administrativos
- Coletivos
- Movimentos Sociais
- Agentes Culturais

24 novembro 2018

A Plataforma de Conhecimento do Programa Mais Médicos

A Plataforma de Conhecimento do Programa Mais Médicos (PMM), disponibiliza aos interessados 489 publicações de revistas científicas do mundo inteiro sobre a iniciativa.  Mais de 95% dos trabalhos de avaliação dos efeitos do PMM relatam impactos positivos do programa sobre diferentes aspectos e variáveis relacionados com a atenção primária no Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com os estudos, o PMM promoveu avanços em todas as dimensões da atenção à saúde: mais acesso, melhor qualidade do cuidado, crescente satisfação e forte vínculo com os usuários, redução das internações desnecessárias, ação sobre os determinantes sociais, além de outros.


20 novembro 2018

Seminário Internacional "Privação de liberdade e Direitos Humanos: o direito à saúde em debate"

A FIOCRUZ estará realizando nos dias 4 e 5/12/2018 o Seminário Internacional "Privação de liberdade e Direitos Humanos: o direito à saúde em debate".
As inscrições estão sendo realizadas através do e-mail: inscricao.pldh2018@gmail.com
Contamos com apoio de todos na divulgação.


Segue, abaixo, a programação do evento:

PROGRAMAÇÃO
4/12/2018
9:00 – Mesa de Abertura  - Comemorativa 30 anos do CLAVES
10:00 – 11:00 Conferência - "Privação de Liberdade de crianças e jovens em Portugal: direitos, liberdades e garantias".
Vera Duarte (Instituto Universitário da Maia - ISMAI, Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Portugal).
11:00 – 13:00 Mesa: O Direito à Saúde: “Dilemas dos sistemas prisional e socioeducativo”
Cecília Minayo (ENSP/CLAVES/FIOCRUZ)
Simone Gonçalves de Assis (ENSP/CLAVES/FIOCRUZ)
Sérgio Pereira (Coordenador de Gestão de Saúde Penitenciária)
Christiane Zeitoune (Coordenadora de Saúde Integral e Reinserção Social do DEGASE)
13:00 – Almoço
14:00 – 16:30 -  Cine Debate – Filme documentário  " A GENTE"
Vilma Diuana de Castro (doutora em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva da UERJ).
Cláudia Bezerra (Diretora de Supervisão e Acompanhamento da Coordenação de Psicologia SEAP).

5/12/2018
9:00 - 10:30 -  Conferência - “Te pesa la cana: las voces de los castigados”
Oscar Castro Prieto (Consejo de Formación en Educación, Uruguai).  
10:30 – 12:30 hs -  Mesa: Desafios da Atenção à  saúde  no sistema prisional
Saúde materna e infantil nas prisões: acompanhamento da saúde de gestantes e mães com seus filhos - Maria do Carmo Leal (ENSP/Fiocruz)
Controle da tuberculose nas prisões: uma causa perdida? Alexandra Sánchez (ENSP/ Fiocruz).
O Manicômio Judiciário em tempos de Reforma Psiquiátrica. Ana Carla Silva (psicóloga da SEAP-RJ e da SMS-RJ).
13:00 – Almoço
14:00 – 17:00 - Oficina da Rede Interinstitucional de Grupos de Pesquisa sobre Políticas de Restrição e Privação de Liberdade

Elionaldo Fernandes Julião
Professor Adjunto IEAR/PPGE/UFF
Chefe do Departamento de Educação do IEAR/UFF
Núcleo de Estudos e Documentação em Educação de Jovens e Adultos
Grupo de Trabalho e Estudos sobre Educação para Jovens e Adultos em Situação de Restrição e Privação de Liberdade 

19 novembro 2018

Não Deixe de Debater o Racismo

28 vídeos para nos fazer pensar. Enviado por:

Carlos R. S. Moreira Beto' carlos.moreira.beto@gmail.com 

pelo Forum do 3º Setor 

3setor-subscribe@yahoogrupos.com.br


Racismo
substantivo masculino
1.conjunto de teorias e crenças que estabelecem uma hierarquia entre as raças, entre as etnias.

2.doutrina ou sistema político fundado sobre o direito de uma raça (considerada pura e superior) de dominar outras.
28 DOCUMENTÁRIOS PARA DEBATER RACISMO

1) Menino 23
https://www.youtube.com/watch?v=4wmraawmw38

2) Chacinas nas periferias
https://www.youtube.com/watch?v=53rQggrAouI

3) The Colour of Money - A História do Racismo e do Escravismo
https://www.youtube.com/watch?v=0NQz2mbaAnc

4) Raça Humana
https://www.youtube.com/watch?v=y_dbLLBPXLo

5) O negro no Brasil
https://www.youtube.com/watch?v=zJAj-wGtoko

6) Ninguém nasce assim
https://www.youtube.com/watch?v=6H_xfUCLWBY

7) Racismo Camuflado no Brasil
https://www.youtube.com/watch?v=zJVPM18bjFY

8) Negro lá, negro cá
https://www.youtube.com/watch?v=xPC16-Srbu4

9) Vidas de Carolina
https://www.youtube.com/watch?v=AkeYwVc2JL0

10) Negros dizeres
https://www.youtube.com/watch?v=yjYtLxiVQ7M

11) Mulher negra
https://www.youtube.com/watch?v=WDgGLJ3TPQU

12) Negro Eu, Negro Você
https://www.youtube.com/watch?v=lpT17VJpnX0

13)A realidade de trabalhadoras domésticas negras e indígenas
https://www.youtube.com/watch?v=s4UsjpFg2Vg

14) Espelho, Espelho Meu!
https://www.youtube.com/watch?v=44SzV2HSNmQ

15) Open Arms, Closed Doors
https://www.youtube.com/watch?v=uXqpOFBXjBs

16) The Brazilian carnival queen deemed 'too black'- A Globeleza que era negra demais
https://www.youtube.com/watch?v=3yp4Fg_eT_c

17) Boa Esperança - minidoc
https://www.youtube.com/watch?v=3NuVBNeQw0I

18) Você faz a diferença
https://vimeo.com/27014017#at=70

19) Memórias do cativeiro
https://www.youtube.com/watch?v=_Hxhf_7wzk0

20) Quilombo São José da Serra
https://www.youtube.com/watch?v=f0asl1-SpP4

21) 7%
https://www.facebook.com/usp7doc/

22) Olhos azuis
https://www.youtube.com/watch?v=In55v3NWHv4

23) Pele Negra, Máscara Branca
https://www.youtube..com/watch?v=sQEwu_TJi0s

24) Introdução ao pensamento de Frantz Fanon
https://www.youtube.com/watch?v=mVFWJPXscm0

25) Invernada dos Negros
https://www.youtube..com/watch?v=TCyu-Tb6D1o

26) A negação do Brasil
https://www.youtube.com/watch

27) Sua cor bate na minha
https://www.youtube.com/watch?v=gm-WjcZwgvg

28) História da Resistência Negra no Brasil
https://www.youtube.com/watch?v=68AApIpKuKc

18 novembro 2018

Modelo de Ata de Fundação

Publicar modelos de Ata de Fundação facilita a vida de quem quer fundar uma ONG e ainda não consegue muita informação em como proceder sobre o assunto. Gosto de ajudar essas pessoas, pois quando fundei minha ONG não tive apoio de praticamente ninguém, então venho publicando aqui alguns modelos de Ata de Fundação, pois ainda existe muita dificuldade por parte de pessoas que estão querendo fundar uma ONG (Organização Não governamental). Esse modelo encontrei no site do Ministerio da Justiça.


Devemos sempre tentar aprender mais, buscar informações onde quer que seja, fazer cursos de capacitação, só assim teremos condição de gerirmos melhor a instituição que queremos fundar.



ATA DE FUNDAÇÃO
Aos ____ dias do mês de __________ de 20___, nesta cidade de __________ a Rua ___________________________________, nº ___, ___ às ____horas, reuniram-se as pessoas que assinam o livro de presença, com o fim de fundarem a Associação de Defesa do Consumidor de (nome da cidade) - ADECON ___________________________________. Dando inicio aos trabalhos, o(a) Sr.(a) _______________________________________ pediu aos presentes que indicassem uma pessoa para presidir a Assembléia Geral. Por aclamação foi indicado (a) o (a) Sr. (a) __________________________________________ que, assumindo, designou a mim, ________________________________________________, para secretariar os trabalhos e redigir a ata dos mesmos. Por solicitação do Sr. Presidente, li o edital de convocação publicado no dia ______, pagina nº _______, do jornal local de nome __________________________ após, por solicitação do (a) Presidente, passei a ler o projeto de estatuto social . Na medida que o mesmo ia sendo lido, o Senhor Presidente colocava, artigo por artigo, em discussão e votação. Ao final, verificou-se que o estatuto social foi aprovado pela maioria dos presentes. Determinou, a seguir, o (a) Sr. (a) Presidente que fossem eleitos os membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, sendo apresentada, pelo(a) Senhor(a) _________________________________________ uma chapa que, posta em votação foi aprovada pela maioria. Foram assim eleitos e empossados as seguintes pessoas, como membros do Conselho Administrativo e Conselho Fiscal: (seguem os nomes). A seguir, o(a) Sr. Presidente passou a direção dos trabalhos ao Presidente do Conselho de Administração, que, assumindo, agradeceu a presença de todos, congratulando-se pela fundação da associação e agradecendo, em seu nome e no dos demais membros eleitos, suspendeu os trabalhos por quinze (l5) minutos, a fim de que fosse redigida a presente, após os quais, foi a mesma lida e aprovada pelos presentes, como boa e verdadeira, razão pela qual, juntamente com o (a) Senhor (a) Presidente, a assino.
Cidade, datas, assinaturas.
Esta ata é cópia fiel do que consta do livro respectivo.
Assina o Presidente da Diretoria com reconhecimento de firma.

14 novembro 2018

Premiação Pontos de Cultura

544 Iniciativas Culturais poderão ser premiadas. O encerramento das inscrições será no dia 01 de dezembro.  O programa premiará 544 iniciativas culturais – 94 a mais do que na última edição. Do total, 144 iniciativas receberão o prêmio de R$ 60 mil reais cada, e 400 serão premiadas com Kits Culturais (Kit Audiovisual ou Kit Musical).  

PONTOS DE CULTURA: PRÊMIOS PARA 544 INICIATIVAS CULTURAIS

Encerram-se no dia 1 de dezembro as inscrições para o edital de chamamento e premiação dos Pontos de Cultura, lançado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo em 18 de outubro.

O restante da matéria você lê nesse link:
http://www.proac.sp.gov.br/noticias/pontos-de-cultura-premios-para-544-iniciativas-culturais/

12 novembro 2018

Casa Viva, na Fundação Lea Pentagna

Ontem estive na abertura da exposição Casa Viva, na Fundação Lea Pentagna, Valença - RJ, como eu estava sozinho tirei uma foto minha no espelho do quarto de D. Lea Pentagna, meio com medo de que na foto saísse algo que eu não esperasse, algumas pessoas que eu conheço já me falaram que sentiram a presença dela por ali, mas deu tudo certo no final. Queria apenas registrar minha presença nesse evento maravilhoso. Não deixe de visitar essa exposição, você não vai se arrepender. Victor S. Gomez


A Casa Viva está aberta para visitas.

Fundação Lea Pentagna, exposição Casa Viva, acontece de 10 a 18 de novembro de 2018, de 13:30, às 19:30h.

Informações:
Rua Vito Pentagna, 213
Valença (Rio de Janeiro)
Tel: 024 2453-4178
E-mail: lea.pentagna@uol.com.br
Visite o site da Fundação Lea Pentagna
www.casaleapentagna.org.br

Vejam algumas fotos do evento: Coral "Cantar é Viver" sob a regência Jean Murat, Academia de Dança Clebinho e Beth, artesanato, e interior da casa Lea Pentagna.






08 novembro 2018

O Gemido das Plantas - Conto de Victor S. Gomez

Do livro Universo Interior, vencedor do Prêmio Olho Vivo 2014.
Veja a página do escritor no site da Editora Patuá.
https://editorapatua.minhalojanouol.com.br/produto/40926/universo-interior-de-victor-s-gomez


O Gemido das Plantas - Victor S. Gomez

Era um dia de sol forte, muito quente e sem vento. Começou baixinho, quase imperceptível e aos poucos foi se tornando mais alto. Era um barulho diferente, parecia um terremoto. Só tinha escutado algo parecido quando era pequeno e colocava o ouvido sobre os trilhos do trem, que passava por trás do Morro do Chapéu, distante alguns quilômetros da minha casa. Tinha o costume de ir até lá por causa das pitangueiras do “seu” Ricardo, sempre carregadas no final da primavera. Depois, de barriga cheia, ia esperar o trem passar. Para saber se ele estava perto, colava o ouvido no trilho e esperava o barulho crescer. Agora, porém, era outro o barulho que crescia. Podia até saber de onde vinha, já não estava muito longe. Pela intensidade, sabia que havia passado pela Ponte das Lavadeiras e, nesse momento, devia estar perto da porteira da Fazenda dos Amores. A essa distância a poeira levantada podia ser vista daqui. Era uma nuvem amarelada, enorme. Quanto mais o barulho aumentava, maior ficava. Quando o barulho já se tornava ensurdecedor elas apareceram na curva da estrada. Em meio à poeira, as formas das máquinas foram se definindo até se tornarem nítidas. Eram tratores com pás na frente para abrir caminho. Eles vinham em fila pela estrada, dois a dois, num mesmo ritmo, até parar na frente do terreno do “seu” Romão. 

O começo ninguém sabe. Acho que foi com a chuva de meteoros. Naquela noite fria de julho eu os vi riscando o céu quando voltava de uma festa na cidade. Mas o que achei mais impressionante era que eles caíram somente nas terras de “seu” Romão.Corri para lá. Queria ver como eram. Parecia chuva de granizo. Eram pedras pequenas, do tamanho de bolas de gude. Fiquei parado na cerca admirando aquelas pequenas pedrinhas brilhantes caindo no chão e formando minúsculas crateras no terreno arenoso. No dia seguinte, quando ia para a escola, passei pelo mesmo local onde aconteceu a chuva de meteoros. Enquanto caminhava pela estrada, notei um movimento maior do que o normal. As pessoas passavam por mim apressadas. Tinha gente de bicicleta, carroça, a cavalo, a pé. Estranhei aquilo tudo e só fui entender melhor quando cheguei ao terreno do “seu” Romão. Uma multidão boquiaberta estava parada em frente à cerca do terreno. Todos perplexos. O local estava cheio de plantas. Não havia espaço para mais nada. Elas se amontoavam umas sobre as outras e chegavam a transbordar pela cerca. Mas não era esse o motivo do espanto daquelas pessoas. Nem mesmo o fato de naquele terreno arenoso, um dia antes, só haver uma pequena plantação de mandioca e agora estar tomado de plantas, deixava aquele povo mais assustado. O que as apavoravam é que aquelas plantas estavam gemendo. Quando conseguiu chegar à estrada, “seu” Romão se viu cercado pelas pessoas, que perguntavam tudo ao mesmo tempo. Mal dava para ele respirar, tamanha era a multidão que se amontoava ao seu redor. Aos poucos, foi conseguindo falar e disse o pouco que sabia sobre aquilo tudo. Tinha acordado bem cedo, como de costume, e já se preparava para fazer o café quando percebeu um ruído estranho. Era como se dezenas de gatos estivessem no cio. Foi à janela, que parecia estufar para dentro, tentou abrir o trinco de ferro e só conseguiu depois de várias marteladas. Com a pressão que as plantas faziam, a janela abriu com tanta força que o jogou em cima da pequena mesa de madeira no meio da sala. As plantas caíram para dentro da sala, tomando conta de mais da metade do cômodo. Assustado, notou que a porta estava do mesmo jeito. Por ali também não dava para sair. Pensou no que estava acontecendo, não entendeu nada. Teve, então, a ideia de por uma cadeira em cima da mesa. Tirou uma telha e alcançou o telhado. Notou que somente o seu terreno estava assim. Viu também as pessoas chegando e se aglomerando na estrada. Era difícil entender. Tentou se acalmar. Foi até a cozinha, pegou o facão e saiu. Teria de ser pela janela mesmo. Não se arriscaria a abrir a porta para ser jogado longe. O facão estava bem afiado, como ele gostava. Ao começar a abrir caminho, a gemedeira aumentou, mas não quis nem saber, seguiu em frente e só parou depois de cair exausto do outro lado da cerca. 

Naquela tarde a notícia já tinha se espalhado para além dos lados do Morro da Cerração. À noitinha, atravessou o município e na manhã seguinte os primeiros carros começaram a chegar. Parecia romaria: os carros chegavam em fila, atravessavam a cidade e iam direto para o terreno do “seu” Romão. “Seu” Camargo, dono da Fazenda dos Amores, arrumou uma forma de ganhar mais dinheiro e aumentar sua fortuna. Abriu um estacionamento no terreno da fazenda. Teve gente que começou a montar barraquinha para vender de tudo. Os primeiros caminhões chegaram ao fim da tarde, os soldados foram descendo e tomando suas posições. Enquanto alguns arrumavam o terreno e armavam tendas de campanha, outros tratavam de desmontar as barraquinhas e expulsar os curiosos. Disseram que ninguém poderia ficar a menos de 500 metros de distância do local. Bem antes do raiar do dia toda aquela parafernália estava armada. “Seu” Romão foi o único que teve permissão para ficar. Talvez para tentarem tirar dele algo mais, que ele mesmo não sabia. Depois de o levarem para o imenso caminhão branco, o maior deles, ficou mais esquisito ainda. Parecia que tinham tirado algo do cérebro dele, não falava coisa com coisa, saiu perambulando pelo meio do acampamento e nunca mais foi visto. Dentro do caminhão diziam haver coisas que até Deus duvidava. Era uma espécie de laboratório sobre rodas, tinha de tudo lá dentro. Os homens que lidavam com as coisas do laboratório estavam sempre de branco e, às vezes, usavam roupas estranhas, principalmente quando iam recolher amostras das plantas para pesquisar. Eu tinha ouvido falar de coisas parecidas, acontecidas além do Golfo de Péricles. Pesquisadores haviam desenvolvido bactérias que comiam gelo e tiveram grande dificuldade para controlá-las quando algumas escaparam e começaram a devorar as grandes geleiras do Norte. Como o gelo é formado de água e a água é formada de oxigênio, o medo dos cientistas era de que, depois da água, todo o oxigênio da Terra fosse consumido pela insaciável praga. Não sei como isso acabou. Só sei que os cientistas, aqui, não descobriram nada. Por isso é que os tratores vieram. Depois de passar por mim, foram direto para a cerca, posicionaram-se lado a lado e, à ordem do comandante, avançaram juntos na direção do terreno. As pás-mecânica arrancavam as plantas, que faziam grande alvoroço, como se estivessem chorando, sentindo dor. Mas isso não impedia o trabalho dos tratores. Depois de reunirem os montes numa imensa montanha verde, jogaram por cima um líquido de cheiro forte, parecendo gasolina. E foram colocando fogo pelas beiradas. Em poucos minutos, o amontoado de plantas ardia em chamas e as labaredas quase chegavam ao céu. Os gritos saídos daquele inferno se tornavam mais fortes e, ao mesmo tempo, mais espaçados, até acabarem por completo. Aquelas plantas, antes vivas e verdes, agora não passavam de um monte de cinzas. Estava acabado. Rapidamente tudo foi desarmado. Restou apenas o terreno arenoso e sem vida. O terreno do “seu” Romão.

05 novembro 2018

A história se Repete?

A história se repete?
Como conseguiremos passar por essa etapa? Como será o nosso futuro? Teremos um futuro? São perguntas que fica pairando no ar o tempo todo. No artigo abaixo no site "ÉL PAÍS - O Jornal Global", alguns pontos importantes, que podem elucidar melhor o momento que estamos vivendo. Espero sinceramente estar errado.


Por que a Alemanha, o país com um dos melhores sistemas de educação pública e a maior concentração de doutores do mundo na época, sucumbiu a um charlatão fascista?
Por que votamos em Hitler A longa história das notícias falsas
Ao longo da década de 1920, Adolf Hitler era pouco mais do que um ex-militar bizarro de baixo escalão, que poucas pessoas levavam a sério. Ele era conhecido principalmente por seus discursos contra minorias, políticos de esquerda, pacifistas, feministas, gays, elites progressistas, imigrantes, a mídia e a Liga das Nações, precursora das Nações Unidas. Em 1932, porém, 37% dos eleitores alemães votaram no partido de Hitler, a nova força política dominante no país. Em janeiro de 1933, ele tornou-se chefe de governo. Por que tantos alemães instruídos votaram em um patético bufão que levou o país ao abismo?

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/06/opinion/1538852257_174248.html?id_externo_rsoc=FB_CC&fbclid=IwAR1ssxuK2K9S1M_Q7RVHpd38sBnC48L_QlCwLVyz9uBbEoJqLWAm7W4EUZE

Passo a passo de como criar uma ONG