Pesquise Modelo de Projeto Social

26 julho 2018

V Curso de Extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos

Foto do cartaz: Naldinho Lourenço
Programação visual: Sérgio Lourenço/Nepp-DH-UFRJ

O Núcleo de Estudos de Políticas Públicas (Nepp-DH) recebe, até o dia 1º de agosto, inscrições para o V Curso de Extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos, que tem o Núcleo Piratininga de Comunicação - NPC como um dos seus parceiros. 

O objetivo do curso é promover uma reflexão acerca da representação das diferentes formas de violência (contra a população negra, moradores de favelas e periferias, de gênero e outras) na mídia empresarial e propor alternativas discursivas à comunicação hegemônica. O público preferencial são moradores de favelas e periferias, líderes comunitários, comunicadores populares, profissionais com atuação nesses territórios e demais interessados. O formato do curso mescla aulas expositivas, mesas de debates, exibição de material audiovisual e rodas de conversa.

As aulas acontecem nos dias 9, 16, 23 e 30 de agosto; 6, 13 e 27 de setembro; 4, 11 e 25 de outubro; 1º e 8 de novembro, das 17h30 às 20h30, no auditório do Nepp-DH, localizado no campus universitário da Praia Vermelha (Avenida Pasteur, 250, fundos, Urca). Total de vagas: 60 vagas.

Os interessados devem enviar nome, endereço, profissão e os motivos pelos quais deseja participar (até 3 linhas) para o e-mail mvdh@nepp-dh.ufrj.br até o dia 1º de agosto. Serão excluídos candidatos que manifestarem incitações de ódio, violência e intolerância de qualquer espécie. Os candidatos serão selecionados através de sorteio público a ser realizado no dia 2 de agosto em local e horário a ser informado na página do Curso de Extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos no Facebook.

O curso é uma realização do Nepp-DH e da Decania do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), através do edital de Registro Único de Ações de Extensão (RUA) da Pró-Reitoria de Extensão da UFRJ, com o apoio das entidades parceiras Defezap, Fórum Grita Baixada, Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC) e Redes da Maré..


Confira a programação abaixo:

2 de agosto: sorteio público dos candidatos.

9 de agosto: aula inaugural do curso: O extermínio da juventude negra no Brasil. Palestrantes: Mônica Francisco, cientista social e liderança do Movimento de Favelas; Renata Souza, jornalista e doutora em Comunicação e Cultura pela ECO-UFRJ; e Vantuil Pereira, historiador, professor e diretor do Nepp-DH. Mediação: Aline Sant´Ana, jornalista e mestra em Comunicação pelo PPGCOM/Uerj.

16 de agosto: segunda aula. Apresentação do curso “Mídia, violência e Direitos Humanos” e apresentação dos alunos. Palestrantes: Pedro Barreto, jornalista do SeCom/CFCH, doutor em Comunicação e Cultura e coordenador do curso; e Diego Santos Francisco, jornalista, mestre em Comunicação pelo PPGCom/Uerj e doutorando em Relações Étnico-Raciais pelo Cefet. Mediação: Aline Sant´Anna, jornalista, mestra em Comunicação pelo PPGCOM/Uerj e professora do Cederj.

23 de agosto: terceira aula: “O que são os Direitos Humanos?”.
Professor: a confirmar.

30 de agosto: quarta aula: Teoria crítica dos Direitos Humanos: Ana Cláudia Tavares, professora do Nepp-DH/UFRJ.

6 de setembro: Mesa “Bandidos e vítimas virtuais: a representação da violência na mídia”, com a presença dos professores Michel Misse (IFCS) e Paulo Vaz (ECO). Mediação: Tatiana Lima, jornalista e professora da UFRRJ.

13 de setembro: quarta aula: mesa de debates “O monopólio midiático no Brasil: é possível mudar ‘por dentro’?”. Professoras: Suzy dos Santos (ECO/UFRJ) e Márcio Castilho (UFF). Mediação: Akemi Nitahara, jornalista da EBC.

27 de setembro: sétima aula: “A violência de gênero e a questão de gênero”. Professores: Lilia Guimarães Pougy (ESS) e Pedro Paulo Bicalho (IP e Nepp-DH/UFRJ). Mediação: Maria Niedja, assistente social e ativista da Unegro/Caxias.

4 de outubro: oitava aula: mesa de debates: “A violência contra mulheres, gays, lésbicas e transexuais”. Palestrantes: Renata Saavedra (jornalista e doutora pela ECO), Gabi Oliveira, youtuber do canal DePretas; e Indianare Siqueira, ativista e militante trans e idealizadora do projeto PreparaNem. Mediação: Lilian Barbosa, assistente social, pós-graduanda do Nepp-DH e integrante do Coletivo de Mulheres da Escola de Serviço Social da UFRJ, do Coletivo de Negras e Negros da ESS-UFRJ Dona Ivone Lara e do Coletivo de Mulheres Afroindigena Zacimbagaba.

11 de outubro: nona aula: “Encarceramento e adolescentes em conflito com a lei”. Professores: Eduardo Caon (TV Degase), Lívia Vidal, pedagoga e mestre em Educação, e Marcelo Biar, historiador e professor no Sistema Prisional. Mediação: Vanusa Maria de Melo, professora e mestra em Educação pela PUC-Rio.

25 de outubro: décima aula: “Comunicação comunitária e outras narrativas”. Palestrantes: Cláudia Santiago Gianotti (jornalista e coordenadora do NPC), Guilherme Pimentel (coordenador do Defezap), Hélio Euclides (jornalista Redes da Maré) e Michel Silva (jornalista do Fala Roça). Mediadora: Thaís Cavalcante, jornalista e co-criadora do Portal Favela em Pauta.

1º de novembro: décima primeira aula: Políticas Públicas em Direitos Humanos. Professor Pedro Paulo Cunca Bocayuva (Nepp/DH).

8 de novembro: décima segunda aula. Exibição do filme “Nossos mortos têm voz”, produzido pelo Fórum Grita Baixada, Quiprocó Filmes e Rede de Mães e Familiares Vítimas da Violência de Estado da Baixada Fluminense, seguido de roda de conversa com os realizadores.

23 julho 2018

Projeto realiza Colônia de Férias Cultural na Casa Lea Pentagna em Valença

Oficina do Saber: Complemento Educacional & Oficinas Culturais - Transformando vidas! 

Na Fundação Cultural Lea Pentagna aconteceu uma Colônia de Férias Cultural, realizada pela oficina do Saber. O evento aconteceu nos últimos dias 16 e 17 para crianças de 3 a 5 anos, e no dia 18 e 19 para crianças acima de 6 anos. Além de oficinas diversas com o professor Giovanni Nogueira como brincadeiras antigas e jogos de tabuleiro, houve oficina de contação de histórias com os professores Rafael Rochê e Jô Coelho e ainda Oficina de Plantio e Cultivo de Cactus e Suculentas com a professora Luiza Luth, além de passeio e piquenique de confraternização com mães e pais no jardim da casa. O próximo passo é realizar um dia especial para moradores carentes de comunidades próximas ao museu, e ainda uma turma para crianças com transtorno do espectro autista (TEA).


TRANSFORMANDO VIDAS

Com o lema "Transformando vidas!" a Oficina do Saber, além de realizar a Colônia de Férias, irá a partir de agosto oferecer as Oficinas Culturais e o Complemento Educacional de forma mensal. Por um valor simbólico, os pais terão diversas atividades para seus filhos, como aulas de reforço escolar, com os deveres de casa, trabalhos e estudo para provas realizados de forma eficiente, somados às Oficinas que incluem desde histórias em quadrinhos à oficina de Música em uma parceria com a  AR MUSIC KIDS e ainda uma Oficina de Empreendedorismo.

- Existe este desejo de estimulá-los a terem um próprio negócio, como uma oficina de pipas ou de artesanato e darem valor à isso como parte da vida de deles. Agora, imagina se começarmos a realizar cursos para crianças desde os 4, 5, 6 anos de idade? Uma aula de culinária seria o maior barato também! Está sendo um sonho poder vê-los sorrindo e felizes! - disse Giovanni Nogueira coordenador do projeto.

Informações e inscrições podem ser realizadas através do WhatsApp: (24) 981-37-38-35.




09 julho 2018

Vamos falar um pouco sobre a AgriculturaOrgânica?

Texto de Márcio Leal - marcio_leal@uol.com.br

Nos últimos dias, nós do Instituto Tijuipe ficamos muito tristes com o viés que os atuais (des)governo federal e congresso nacional apontaram para a nossa #alimentação e #saúde.

De um lado, ampliaram a possibilidade de uso de agrotóxicos (muito proibidos internacionalmente) na produção agrícola.

E, na outra ponta, criaram regras que dificulta muito a venda de alimentos orgânicos (não foi proibida a venda em supermercados, como muitos noticiaram, mas acaba com o mercado nas feiras, por exemplo).

Essas decisões nada mais são que a clara submissão desse espectro de políticos (também chamados de "direita") aos interesses das empresas de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs), como a #Monsanto.

A multinacional está agindo da mesma forma nos EUA, onde Trump e republicanos apresentaram em junho passado proposta orçamentária reduzindo e eliminando diversos programas de fomento à agricultura orgânica.


Conversão

Na contramão desse movimento, o governo dinamarquês investe, desde 2015, para converter as fazendas tradicionais em orgânicas (foto).

Até maio de 2017, a área orgânica já correspondia a 9,2% do total de área agrícola na Dinamarca.. Em apenas um ano, houve uma ampliação de 13% dessa área - 28,4 mil hectares

E não foi apenas em espaço físico. A agricultura orgânica mostra lá sua força, também, nos resultados financeiros: em 2016, o lucro das fazendas orgânicas foram quase 5 vezes superior ao das fazendas convencionais

E, para reforçar essa estratégia, em abril de 2018, o país europeu lançou um plano de investimento de 147 milhões de euros (mais de R$ 667 milhões) para apoiar a conversão de 33,6 mil hectares de fazendas por ano.

Quer saber mais sobre esses assuntos? Vamos deixar alguns links aqui:

Comissão especial aprova parecer que muda legislação brasileira sobre agrotóxicos: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/AGROPECUARIA/559559-COMISSAO-ESPECIAL-APROVA-PARECER-QUE-MUDA-LEGISLACAO-BRASILEIRA-SOBRE-AGROTOXICOS.html

Projeto de lei que tramita na Câmara proíbe venda de produtos orgânicos em supermercados? Não é verdade!: https://g1.globo.com/e-ou-nao-e/noticia/projeto-de-lei-que-tramita-na-camara-proibe-venda-de-produtos-organicos-em-supermercados-nao-e-verdade.ghtml

Denmark to Spend a Billion to Help Farmers Convert to Organic Agriculture (Meanwhile, Our Government is Still Promoting GMOs): https://www.march-against-monsanto.com/denmark-to-spend-a-billion-to-help-farmers-convert-to-organic-agriculture-even-as-the-u-s-continues-to-promote-gmos/ #EmInglês

Government rolls out strategy for organics: http://cphpost.dk/news/government-rolls-out-strategy-for-organics.html #EmInglês

Vækstplan for dansk økologi (Plano de crescimento para a ecologia dinamarquesa): http://mfvm.dk/fileadmin/user_upload/MFVM/Vaekstplan_for_dansk_oekologi.pdf #EmDinamarquês

Danish Agriculture & Food Council - Organic Farming: https://agricultureandfood.dk/danish-agriculture-and-food/organic-farming #EmInglês

Statistics Denmark - Organic Production and Trade: https://www.dst.dk/en/Statistik/emner/erhvervslivet-paa-tvaers/oekologi #EmInglês

04 julho 2018

6º Seminário de Grupos de Pesquisa Sobre Crianças e Infância

6º Seminário de GRUPECI: prazo para submissão de trabalhos é até 30 de julho

Foi prorrogado até o dia 31 deste mês o prazo para submissão de trabalhos científicos do 6º Seminário de Grupos de Pesquisa sobre Crianças e Infâncias (GRUPECI), evento científico nacional que congrega grupos de pesquisas, professores, estudantes de pós-graduação e graduação e demais profissionais envolvidos na investigação sobre crianças e suas infâncias.

Com o tema “Diversidade e Participação em Pesquisas”, o seminário será realizado no período de 27 a 30 de novembro, no Centro de Eventos Benedito Nunes, da Universidade Federal do Pará (UFPA).

O Seminário constituiu-se como um importante espaço de debate coletivo, inter e multidisciplinar, cujo objetivo é fomentar a constituição e o fortalecimento institucional de grupos de pesquisa nas diversas regiões brasileiras, podendo também favorecer intercâmbios com outros grupos e pesquisadores internacionais.

O evento é bianual e teve início na Universidade Federal de Juiz de Fora (2008), com segunda edição na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2010), terceira na Universidade Federal de Sergipe (2012), quarta na Universidade Federal de Goiás (2014) e quinta na Universidade Federal de Santa Catarina (2016).

Para mais informações acesse o site grupeci2018.com.br

Passo a passo de como criar uma ONG