Pesquise Modelo de Projeto Social

29 abril 2016

Algumas Frases de Victor S. Gomez

01- Se você se capacitar agora, mais tarde verá que seus sonhos não terão limites.

02- Ainda não entendi direito o que está acontecendo aqui no Brasil.
Que situação, hein?

03- Crescer é uma necessidade inerente ao ser humano. Todos temos dentro de nós uma grande necessidade de crescermos, seja até como uma forma de auto defesa, uma preocupação para com o nosso futuro e o de nossos descendentes.

04- Uma ONG não deve ser criada com o intuito de se ganhar dinheiro, ela é feita para transformar pessoas, para distribuir cidadania. Se você a cria apenas com objetivo financeiro, ela perde todo seu sentido social.

05- Quando nos doamos com amor, nossa doação ilumina o caminho de alguém e principalmente o nosso próprio caminho.

06- Quando não gostamos de algo, temos que trabalhar para mudarmos o que está ruim. Juntos, somos mais fortes. A divisão só interessa aqueles que nos querem fracos, para nos controlar melhor, para aqueles que querem apenas o poder pelo poder.

07- Se você errou, tenha a grandeza de reconhecer seu erro. Essa atitude faz com que você cresça e torna sua vida fique cada vez melhor.

08- Sorrio todos os dias pela manhã, isso liberta minha alma criativa e me dá forças para seguir adiante.

09- Procuro sempre fazer meu melhor, mas estou longe de ser o melhor. Estou aqui para aprender cada vez mais.´

10- Tudo na vida exige entrega, então devemos avaliar se elas são válidas ou não. Só assim caminharemos para uma vida melhor.

11- Os desafios são imensos nessa vida, mas um dia estarei relembrando desses momentos como um passado distante. Bom ou mau, se foi.

12- Quando a pessoa acredita em si mesmo, e se dedica com paixão, ela vai mais longe

13- Ler abre portas, janelas, tira pedras do caminho, rompe barreiras, te liberta, torna você um gigante.

14- Pensar positivo e trabalhar muito é a melhor maneira de espantar nossos fantasmas.

15- Se lamentar não vai ajudar você em nada, para com isso e comece a se ajudar ajudando outras pessoas.


16- O passado nem o futuro me amedrontam mais, pois aprendi com os erros do passado a encaminhar minha vida para um futuro melhor.

17- A leitura abre sua mente para novos caminhos e possibilidades.
Nada mais poderoso do que ler um livro. Tudo muda quando você lê. A leitura faz com que você passe a ter consciência dos seus direitos e deveres. É ela que vai te propiciar isso.

18- Em determinados momentos da história, uma boa parte das pessoas parecem que ficam cegas e seguem as piores bestas.

19- A leitura abre sua mente para novos caminhos e possibilidades.
Nada mais poderoso do que ler um livro. Tudo muda quando você lê. A leitura faz com que você passe a ter consciência dos seus direitos e deveres. É ela que vai te propiciar isso.

20- Ideias, pensamentos, reflexões, gosto disso, me encaminha para o lugar certo, me faz acreditar que o mundo pode ser melhor, que o ser humano pode ser melhor.

21- Cultive bons pensamentos, você só tem a ganhar com isso.

22- Escrevo ouvindo música erudita, que prazer isso me dá! 
Bach, Haendel, Mendelssohn, Mozart, Beethoven, Schubert, Wagner, Brahms, Debussy, Stravinsky e outros.

23- Dentro de mim mora um passáro, mora uma planta, dentro de mim mora o amor a tudo que nos cerca.

24- Queria um espelho para pregar na porta da câmara dos deputados, que refletisse o interior das pessoas, poucos veriam seu melhor lado refletido, a maioria talvez nem tivessem reflexo, apenas uma grande mancha negra.

25- A quem interessa o fim da internet.
A liberdade assusta, a liberdade de expressão assusta mais ainda e o conhecimento apavora a quem não quer que tenhamos direitos.

28 abril 2016

Abertas Inscrições para Projetos de Artes Cênicas

FUNARTE abre inscrições para Projetos de Artes Cênicas. Inscrições estão abertas até o dia 2 de maio.

As Inscrições estão abertas até o dia 2 de maio, para projetos de Artes Cênicas, e são somente para espaços localizados em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília.

 A Fundação Nacional de Artes – Funarte publicou nesta segunda, 11 de abril, os Chamamentos Públicos que instituem o programa Laboratório da Cena 2016, que irá selecionar projetos artísticos para a programação de seus espaços nas cidades de São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Brasília (DF). As inscrições estarão abertas no período de 11/04/2016 a 02/05/2016.

Mais informações no site da FUNARTE:
http://www.funarte.gov.br/circo/laboratorio-da-cena-2016-funarte-seleciona-projetos-de-artes-cenicas/

26 abril 2016

Capitães da Areia - Jorge Amado

Capitães da Areia livro de  Jorge Amado.

Escrito em 1937, Capitães da Areia livro de Jorge Amado, é um drama ambientado em Salvador, Bahia. Em novembro de 1937, o governo da época, mandou queimar 808 exemplares, junto com livros de outros escritores, alegando que as obras eram propaganda de comunistas. O tempo passa, mas nossos políticos continuam os mesmos, a cultura os assustam tanto, que eles agem das formas mais aberradoras possíveis.


Capitães da Areia é um romance de autoria do escritor brasileiro Jorge Amado, publicado em 1937. O livro retrata a vida de um grupo de menores abandonados, chamados de "Capitães da Areia", ambientado na cidade de Salvador dos anos 30.

24 abril 2016

Projeto Criatividade é Tudo

"A criatividade não se esgota, pode estancar por um tempo, mas sempre volta. Busco inspiração lendo muito. Leio tudo que acho pelo caminho, desde garoto faço isso, sempre procurando tirar o melhor de tudo que encontro. Posso me inspirar em uma notícia de jornal, já me aconteceu isso, tem um conto do meu livro "A Semente", que surgiu de uma notícia que li. Posso me inspirar ao ver um filme, posso me inspirar ao olhar pela janela de casa e ver um cão brincando na rua. São tantas as formas, infinitas. A inspiração está por toda parte, é só saber procurá-la, e pode estar até escondida entre as notas de uma música. Adoro escrever ouvindo música. Me assusto quando vejo pessoas, apenas sentadas em um boteco, simplesmente bebendo, sem nada fazer, elas podem ser fontes de inspiração também, mas gostaria mesmo que elas estivessem produzindo algo de bom, ao invés de estarem apenas se destruindo."

"Nada contra quem bebe, também adoro uma cerveja, mas com moderação. rs"

22 abril 2016

O Fim da Internet

Estou assistindo um documentário sobre Bob Dylan, nele o cantor de folk toca e canta, juntamente com Joan Baez, no comício de Martin luther King, em 1963. Estou escrevendo postagens para o Facebook, lendo jornais na internet, trabalhando com Photoshop e outras coisas. Vejo aquela multidão assistindo o show e me pergunto, será que eles foram respeitados? Em algumas coisas sim. Mas tiveram muita luta pela frente. Então me lembro de nós brasileiros, que em vez de estarmos lutando lado a lado contra a corrupção, estamos nos xingando nas redes sociais. Espero sinceramente que isso acabe logo e que tomemos consciência que o inimigo é outro. A ganância e a corrupção se entranharam não só na politica, como no meio de uma boa parte da nossa população. E agora que temos a oportunidade de usarmos essa poderosa ferramenta contra eles, nós ficamos nos digladiando, ofendendo e ameaçando uns aos outros. Querem acabar com a nossa internet, sabem porque? Porque ela tem o poder de esclarecer, de libertar nossas mentes, Acordem e façam bom uso dela, ao invés de ficarem botando nariz de palhaço e se igualando aqueles que nos querem dominados. Respeitem a si mesmos, só assim seremos respeitados.

Serra dos Mascates no Blog Cidadania

O Blog Serra dos Mascates agora faz parte do Blog Cidadania.

Mais preservação ambiental, mais meio ambiente, mais cidadania.

É só clicar no link: Serra dos Mascates



Agora quem procura material relevante, mais informações sobre a Serra dos Mascates e sobre meio ambiente encontra tudo isso aqui, no Blog Cidadania.

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/serradosmascates

História da Serra dos Mascates

Projeto de Resgate da Cultura da Serra dos Mascates. Trabalho de pesquisa sobre a Serra dos Mascates realizado pelos Professores Adriano Novaes e Antonio Carlos da Silva, Laboratório de Historia Regional e Centro de Documentação Histórica, Instituto Superior de Educação.

Produção do vídeo e Locução Victor S. Gomez

A imponente Serra dos Mascates faz parte do maciço da Serra da Mantiqueira, dividida entre três estados: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Na porção do estado do Rio de Janeiro encontra-se a menor parte da Serra, que corresponde apenas 10%. A maior parte encontra no estado de Minas Gerais, seguido do de São Paulo.


No Estado do Rio de Janeiro a Serra da Mantiqueira ocupa toda a área do Médio Paraíba do Sul, margem esquerda do Rio Paraíba do Sul, e nesta área encontra-se o importante Parque Nacional de Itatiaia, o primeiro do Brasil (1937). Nesta mesma área também se localiza o Pico das Agulhas Negras, com 2.792,66 metros de altura, o ponto culminante do estado do Rio de Janeiro e a oitava montanha mais alta do Brasil.

De acordo com as bases do IBGE, a Serra dos Mascates faz parte de uma cadeia de pequenas montanhas (serrotes) que tem início no município de Barra do Piraí, passa pela cidade de Valença e termina no município de Rio das Flores, nas proximidades da foz do mesmo rio. Cada trecho da Serra em lugares diferentes recebe denominações especificas: No trecho entre a divisa do município de Barra do Piraí até o Bairro São Francisco, recebe o nome de Concórdia, com altitudes de 1.045 m; o trecho entre os bairros de Santa Cruz, e Centro de Valença, é conhecido pela denominação de Serra dos Mascates, com altitude de 1.032m; e toda a parte restante, localizada no município de Rio das Flores, recebe o nome de Serra da Boa Vista (este trecho também é denominado de Serra da Taquara). Existem também apelidos adotados a determinados morros localizados próximos a fazendas ou rios, como por exemplo: “Serra de Santa Catarina” no trecho entre aos bairros São Francisco e Santa Terezinha. Serra da Glória, no bairro de mesmo, e no município de Rio das Flores, Mirante da Boa Vista, com altitude de 619m, no centro da cidade, e Monte Formoso, com 784m.

A Serra dos Mascates também conhecida no século XIX como Serra Velha ou Serra de Valença, exerce o papel de divisor das águas dos rios Paraíba do Sul e das Flores. A vertente norte onde se assenta a cidade de Valença faz parte da bacia do rio das Flores, que por sua vez ajuda a formar a grande bacia do Rio Preto, formando o importante Vale do Rio Preto.

Desde os primórdios da fundação da Aldeia de Valença a Serra dos Mascates foi presença marcante na história da cidade. Imponente, assistiu o surgimento da cidade e acompanha assustada o avanço da área urbana sobre suas encostas, tendo por conseqüência a destruição de seus últimos resquícios de vegetação nativa e a extinção de suas nascentes.

O Registro mais antigo sobre a Serra era uma transcrição de um mapa datado de 1819, referente ao Tombo das Terras dos Índios Coroados, elaborado em 1836. Esse documento que constituía a certidão de nascimento da cidade de Valença foi destruído por um incêndio no Casarão da Cultura em 2001. Outros documentos referentes à concessão de sesmarias próximas a atual área urbana da cidade de Valença também fazem referencia a Serra. Porém, nenhuma cita a denominação atual de Serra dos Mascates, mas sim, de “Cordilheira da Serra d’Aldeia” ou simplesmente “Serra da Aldeia”. Em meados do século XIX a Serra passa a ser denominada “Serra Velha”, como consta em vários documentos desta época. A designação “Mascates” aparece pela primeira vez em uma “Memória Justificativa para o Saneamento”, publicada em 1894. A toponímia Mascates, provavelmente, se deve aos viajantes que se dirigindo ao Rio de Janeiro do interior ou vice-versa dessa Serra utilizavam-se, mascateando suas mercadorias.


Em janeiro de 1822, ao regressar a cidade do Rio de Janeiro após ter explorado, em diversas viagens cientificas, territórios do sul e centro-sul do Brasil, o naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire constatara que parte de sua coleção coletada nas províncias de do Rio de Janeiro e Minas Gerais havia se estragado. Aborrecido, porém resignado, resolveu empreender sua última viagem antes de regressar a França. Assim, entre os meses de janeiro e maio de 1822, voltou atravessar as trilhas de mulas que cortavam a Serra do Mar, o Vale do rio Paraíba do Sul e Mantiqueira em direção ao sul de Minas, tendo a oportunidade de percorrer o “Caminho do Comércio”, aberto há poucos anos com o objetivo de articular a então sede do Império português à zona de produção de mantimentos das terras altas da Mantiqueira. Em quatro de fevereiro quando se aproxima da futura cidade de Valença, observou a paisagem e anotou em seu diário:

“Um pouco antes de chegar à Aldeia, avista-se o pico de elevada montanha imensa extensão de terreno, notando-se de todos os lados montanhas cobertas de mato”.

Saint-Hilaire já havia passado por Valença antes, em 1819, quando realizou sua primeira viagem a província Minas Gerais. Comparando, observou o aumento da população:

“As terras nos arredores da Aldeia estão um pouco mais povoadas; atualmente nelas se contarão umas sessenta casas”.

Como foi dito, o ilustre naturalista percorreu o caminho do Comércio que em Valença chagava-se pela atual Serra da Glória, descendo por onde fica atualmente o Hospital de Clínicas da Unimed e Rua Vito Pentagna, no Bairro do Benfica.

Nesta mesma ocasião estava sendo construída a Estrada da Polícia pela Intendência de Polícia do Rio de Janeiro. A idéia era ligar a cidade do Rio de Janeiro às cidades da comarca de Rio das Mortes, na província Minas Gerais. A Estrada deveria cortar a região do Vale do Paraíba, passando pela fazenda de Francisco Rodrigues Alves - onde mais tarde irá surgir a cidade de Vassouras - e pela Aldeia de Valença.

No município de Valença, a Estrada da Polícia, tinha início nas margens do Paraíba do Sul, em terras da fazenda Santa Mônica, onde mais tarde irá surgir distrito de Barão de Juparanã. Desta fazenda tamava-se a direção de Quirino para depois galgar o lado sul da Serra dos Mascates, descer para a Vila de Valença, através da atual Rua Rodrigues da Cruz. Depois de percorrer as atuais Ruas Domingos Mariano, dos Mineiros, Praça Visconde do Rio Preto, Rua João Rufino e Dr. Humberto Pentagna, a importante Estrada toma a direção de Rio Preto, passando antes pela Passagem, Charneca, Pentagna, Chaves e finalmente Parapeúna, na divisa com o Estado de Minas Gerais.

Passado alguns anos o trecho da Estrada da Polícia que atravessava a Serra dos Mascates foi substituído por uma volta da Serra, através dos Bairros Santa Cruz e João Dias. O objetivo de tal mudança era de se evitar a subida íngreme da Serra. Mesmo deixando de ser o eixo principal de tão movimentada Estrada o antigo leito da Polícia existente na Serra continuou durante quase todo o século XIX sendo freqüentado por moradores locais que possuíam chácaras e sítios atrás da Serra. Com o advento da Estrada de Ferro as Estradas de Terras perderam sua importância. O Relatório do Presidente da Província de 1857 prevê o seguinte sobre a Estrada da Polícia:

“É uma das mais transitadas da Província, porque partindo do rio Preto corta os municípios de Valença e Vassouras no meio. A produção que desce por ela é enorme. Até São João Del Rei se serve dessa via. Com a E.F. Pedro II, logo que galgue a serra, esta e a do Presidente e outras paralelas tendem a serem abandonadas”.

A Estrada da Polícia e outras que cortavam o território de Valença nada tinha haver com o transporte de ouro. Atendia ao transporte de víveres, como o gado de corte e principalmente o café que era produzido nesta região.

Duas pedreiras localizadas na Serra dos Mascates forneceram granitos à cidade de Valença: a “Pedreira da Câmara”, durante todo o século XIX, e “Nossa Senhora Aparecida”, durante o século XX e XXI, e ainda em funcionamento.

Foi através dos mananciais da Serra dos Mascates que durante todo o século XIX e as primeiras décadas do XX que população foi servida de água potável.

Dois eram os mananciais que até 1915, abasteciam de água a cidade de Valença, o do Machado ou José Alves (Benfica) e o da Serra dos Mascates (Laranjeiras). O mais antigo foi o do Machado.

O projeto de canalização do manancial do Machado foi realizado em 1838 pelo Major César Cadolino, que atendia ao primeiro projeto de urbanização da então Vila de Valença.

Com o paulatino crescimento populacional da então cidade de Valença, surgiu a necessidade de novas fontes de abastecimento de água potável. Em 1870 formou-se uma comissão composta por vereadores da Câmara Municipal a fim de dar parecer sobre a necessidade de construção novo reservatório, bem como orçamento para realização da obra.

Em 20 de novembro de 1873, a firma “Faria, Ariosa, Villaronga & Companhia” firmava contato com a Câmara Municipal de Valença para a construção do novo abastecimento de água potável da cidade de Valença, aproveitando os mananciais da Serra dos Mascates. Comprometia a firma contatada a construir na chapada do morro do Manoel Hipólito (atual condomínio Mata Atlântica), um reservatório com dois compartimentos (ainda hoje existentes).

Em 1894, ainda era insuficinte o serviço de abastecimento de águas na cidade. O engenheiro Ernesto C. de Araujo Viana, chefe da Comissão do Saneamento de Valença, em seu relatório publicado nesse ano, cauculou o volume dos mananciais da Serra do Mascate e dos denominados José Alves ou Machado (Benfica), o que foi feito após demorada estiagem, chegando ao seguinte conclusão: o manancial da Serra do Mascates dava, em 24 horas, um fornecimento de 98.000 litros, e o do Benfica, 40.000 litros. A esse tempo, para uma população de cerca de 4.000 habitantes, cabia, apenas, a cada individuo, a insignificante percentagem de 34,5 litros. O engenheiro Araujo Viana faz a seguinte referência:

“Assisti, e, por experiência própria, tive oportunidade de sofrer as consequências da falta d’água em Valença. Depois das 9 horas da manhã as torneiras de minha casa não deitavam uma gota.”

Neste mesmo ano foi firmado o contrato entre a Câmara Municipal de Valença e o engenheiro Dr. Ernesto da Cunha Araújo Vianna e o construtor João Marques Faria, para a execução do projeto de substituição dos canos de barro por tubos de ferro, na canalização das águas da Serra dos Mascates. Neste contrato se obrigavam eles a construir uma nova represa mais abaixo da existente, na dita Serra dos Mascates, fazendo uma barragem de alvenaria de pedra e argamassa de cimento e areia, e modo e serem por aquelas represas captadas as águas, que corriam pelo aqueduto existente e as que nasciam em nível inferior, ou que, por efeito de infiltração, não eram aproveitadas. Toda a linha de canalização desde a nova represa deveria ser ligada ao o novo reservatório de distribuição (atual sede da SECTUR), que deveria ser construído com capacidade para armazenar 77.481 mil litros. O projeto foi levado a efeito.

Em função da grande seca de 1914, que teve como conseqüência uma crise de abastecimento de água potável na cidade, a Câmara Municipal estudou a possibilidade de ampliar a rede de abastecimento. Nesta época a cidade era abastecida apenas pelo o Manancial de Serra dos Mascates (o maior) e o do Manancial do Benfica.

Segundo o memorialista valenciano Luis Damasceno Ferreira, por conseqüência desta crise de abastecimento irrompeu na cidade uma epidemia de febre tifo, que ceifou várias vidas.

Aos poucos novas fontes capitação de água foram sendo construídas na cidade. As nascentes do Benfica, em grande parte em terras da família Pentagna, foram aproveitadas e ampliadas. Apenas a primitiva de José Alves foi inutilizada pela Câmara Municipal em 1918.

A mais de meio século o reservatório da Serra dos Mascates não é utilizado como fonte de abastecimento de água potável a cidade de Valença. Consta que em curto periodo de tempo atendeu a uma fábrica de doces “Danger” que ficava situada a alguns metros a baixo do reservatório.

O Mato das Águas localizado nessa Serra e onde se encontra inúmeras nascentes é hoje área de preservação permanente, considerada de interesse ecológico por Lei Orgânica Municipal.

Desde a construção de um edifício pela Embratel para suas retransmissões, na década de 1970, no topo da Serra, muitos valencianos começaram a freqüentar o local. Principalmente depois do calçamento da estrada de acesso.

Apesar das agressões que a Serra vem sofrendo ao longo dos anos como loteamentos inadequados, e mais recentemente, o incêndio nas matas (2007) e desmatamentos, a bela paisagem ainda nos surpreende. Podemos imaginar qual deveria ser a impressão que muitos viajantes e mascates vindos do Rio de Janeiro tinham ao atravessar a Serra e se deslumbrar com paisagem que descortinava diante de seus olhos. Uma extensa região salpicada de colinas com um longínquo horizonte com as Serras de Minas, tendo na sua base a cidade de Valença.

Não de hoje que inúmeros projetos têm sido ventilados para o aproveitamento da Serra dos Mascates: mirantes, teleféricos, área de proteção ambiental e etc... O certo é que em 2004 o Instituto Estadual de Patrimônio Cultural – INEPAC - tomou a iniciativa de tombar a Serra, passando ser considerada patrimônio histórico do Estado do Rio de Janeiro.

Em 2008 foi criado por um grupo de abnegados cidadãos valencianos, com intuito de proteger e defender a Serra da destruição de sua fauna e flora, o SOS SERRA DOS MASCATES. Desde então foram realizadas inúmeras palestras educativas para a população em geral e campanhas de reflorestamento. Importantes parceiros como a Fundação D. André Arcoverde, através do Centro de Ensino Superior de Valença contribuiram irrestritamente com esta importante ação cidadã.

Fundadores do SOS Serra dos Mascates: André Dias e Victor S. Gomez

Professor Adriano Novaes

Laboratório de Historia Regional

Instituto Superior de Educação

_______________________________________________________________

Fontes utilizadas:

1VIANNA, Ernesto da Cunha de Araújo. Saneamento de Valença: Memória Justificativa dos Planos Apresentados a câmara Municipal de Valença. Rio de Janeiro: Typographia “Mont’Alverne”,1894, p.43.

2MARQUESE, Rafael de Bivar. Diáspora africana, escravidão e a paisagem da cafeicultura no Vale do Paraíba oitocentista. Almanack braziliense.n.07,p.139, maio de 2008.

3Relatório do Presidente da Vice Presidente da Província do Rio de Janeiro, João Manoel Pereira da Silva para Assembléia Legislativa. Agosto de 1857.p.36.

4VIANNA, Ernesto da Cunha Araújo. Op.Cit.

5FERREIRA, Luiz Damasceno. Historia de Valença: 1803 -1924. Valença: Editora Valença S. A., 2ª edição, 1978, p.128-135.

6 Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. Secretaria de Estado de Cultura. 1.12.2004. Ano XXX, n 222. Parte 1. p.61-2. “Tombamento Provisório nos termos do Inciso II do Artigo 5° do Decreto n° 5.808 de 13.07.1982, de acordo com o Processo n°E-18/001004/2004: 3. Sítio Histórico e Paisagístico da Serra dos Mascates. “O Tombamento do sítio histórico e paisagístico da Serra dos Mascates, compreendendo as vertentes dos morros que integram a Serra da Boa Vista, voltados para a área urbana de Valença, onde se encontra o ponto culminante da cidade, a 1.032 metros de altitude, limitada pela linha de cumeada e o sopé do maciço que segue pelos bairros do parque Pentagna, Jardim Agelina, Laranjeiras, até o bairro Santa Cruz, inclusive”.

Sobre a Serra dos Mascates

Serra dos Mascates

A imponente Serra dos Mascates, com seus 1031 metros de altitude, ainda hoje nos oferece uma biodiversidade bem grande. A cidade de Valença surgiu aos pés da Serra dos Mascates, numa época em que os mascates, vindos de Minas Gerais carregando ouro, cruzavam a Serra em direção ao Rio de Janeiro

Valença foi elevada a categoria de cidade em 1857 e a Serra sofreu degradações durante o plantio do café, seguido de pecuária leiteira; e através do tempo vem sofrendo com queimadas, desmatamento e caça. Objetivando a preservação deste importante patrimônio ecológico, o Blog Cidadania, vem desenvolvendo um trabalho de conscientização ambiental, no sentido que no futuro a Serra dos Mascates se torne uma área de preservação ambiental (APA).

21 abril 2016

A Quem Interessa o Fim da Internet.

A liberdade assusta, a liberdade de expressão assusta mais ainda e o conhecimento apavora a quem não quer que tenhamos direitos. A internet é a voz do povo, e isso incomoda os corruptos. Hoje em dia tudo se espalha mais rapidamente, e isso não interessa a quem quer agir pelo submundo, corrompendo e se corrompendo. Quanto menos gente souber o que está acontecendo melhor para eles. Leia, se informe, senão será demais.

Entre no link e veja o absurdo que está por trás da internet reduzida. Espalhem isso o máximo que puderem.


"O que mudou de 2014 para 2015? Um dos maiores adversários do Marco Civil, o então deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) lutou contra a legislação até ela chegar à mesa de Dilma — forte adepta do Marco Civil — e ser assinada. Um ano depois, com Dilma enfraquecida e Cunha agora presidente de uma Câmara muito mais conservadora, a internet é vista de forma totalmente diferente pela maioria do Legislativo. Além de autor, Cunha apoia inúmeras leis que acabam com garantias do Marco Civil e criminalizam o uso das mídias sociais. Para continuar operando na obscuridade, o Congresso tenta impedir que a população use livremente a internet. Continue lendo."

19 abril 2016

Leia mais, Escreva Melhor

Todos podem escrever. Escrever não é nada de outro mundo, nada sobrenatural. É sim, mágico, pois nos leva a lugares nunca imaginado, a viagens fantásticas. 

Escrever é hábito, prática. Quanto mais lemos, mais temos condições de escrever

O escritor não é um Deus, é simplesmente um mensageiro, por isso temos que ter cuidado e humildade, para podermos escrever coisas que acrescentem e não o contrário. 

Não devemos pensar que somos os melhores, devemos sim nos preocupar que a leitura conscientize as pessoas, principalmente os jovens e os transformem em pessoas de bem. 

Quem lê mais, escreve mais e melhor.


Meus livros à venda:
Amo o que faço e me emociono com isso.

Livro Universo Interior 2013
1º lugar no Prêmio Olho Vivo 2014, de Volta Redonda, região sul do Estado do Rio de Janeiro.

Livro A Semente 2015
3º lugar no Prêmio Olho Vivo 2015, de Volta Redonda - RJ.

17 abril 2016

Hora da Mudança

Hoje é um dia especial para nosso país e sempre devemos acreditar que tudo vem para melhorar. Acreditem, dividir o povo, só nos enfraquece, e faz com que todos eles fiquem mais fortes e se perpetuem na lama da corrupção. Tentem olhar o mundo com outros olhos, tentem enxergar que de tudo sairão coisas boas, essa é a esperança que devemos ter. Vamos torcer para que essa seja a hora da mudança. Como já falaram, na era de Aquarius, tudo irá mudar. 

Deixem de lado as vozes torpes da redes sociais, esqueçam as ameaças do EI, deixem de lado as violência das torcidas organizadas, tenho certeza que as mudanças acontecerão e na hora certa saberemos nos defender. Nosso país lá fora é invejado, pois temos tudo que precisamos, então vamos fazer dele o melhor lugar do mundo, não para os marginais, não para os que estão sujando o nome de nosso Brasil, ou para os que comandam o crime organizado e sim para todos os honestos cidadãos brasileiros, que são a grande maioria do nosso povo. Um povo unido pode mais.

16 abril 2016

Trecho de um Conto do livro "Outros Mundos" de Victor S. Gomez

Trecho de um conto do meu novo livro "Outros Mundos". Em breve.

"Sombras da Noite - Victor S. Gomez
Meses depois fui começando a lembrar de alguns momentos do passado. Uma das primeiras lembranças que me ocorreram foi da noite que acordei e dei de cara com uma sombra me espiando. Poucos pessoas viram uma sombra tão de perto como eu a vi. Parecia uma pessoa chapada, toda preta, sem olhos, um papelão recortado pintado de preto. Não fiz nada, não gritei, nem corri, apenas me sentei na cama e fiquei ali parado encarando aquela mancha negra, que parecia ser a sombra de um homem, ou talvez de uma mulher, não posso dizer ao certo. Ela não se moveu também, apenas a cabeça, virava um pouco para um lado e depois para outro, como se estivesse dizendo um não. Ficou ali por alguns minutos, me fitando, como que querendo dizer algo, perguntar algo, mas sem coragem de dizer o que queria. De repente virou no ar, fez uma curva e desceu, passando por uma pequena fresta debaixo da porta do meu quarto."

fonte da imagem: http://migre.me/tx57J

Meus livros à venda:
Amo o que faço e me emociono com isso.

Livro Universo Interior 2013
1º lugar no Prêmio Olho Vivo 2014, de Volta Redonda, região sul do Estado do Rio de Janeiro.
http://www.editorapatua.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=189

Livro A Semente 2015
3º lugar no Prêmio Olho Vivo 2015, de Volta Redonda - RJ.
http://www.mostraliteraria.com.br/a-semente
http://ciadolivro.com.br/?pagina=detalhe_livro&isbn=9788565444408#livro

13 abril 2016

A Leitura Abre Novos Caminhos e Possibilidades

A leitura abre sua mente para novos caminhos e possibilidades.

Nada mais poderoso do que ler um livro. Tudo muda quando você lê. A leitura faz com que você passe a ter consciência dos seus direitos e deveres. É ela que vai te propiciar isso.

Entender o que você lê e o que lhe falam, é essencial, e a leitura é o principal aditivo para esse entendimento. 

O incentivo à leitura deve ser a proposta principal de todo projeto cultural e social, que tenha como objetivo elevar a autoestima e a disseminar a cultura entre os habitantes de uma comunidade.

Ao ler um livro você viaja para lugares nunca imaginados, A leitura te proporciona ir a outros mundos, conhecer outros hábitos, visitar a outras dimensões, mundos paralelos, sem mesmo sair de casa.


No meu livro "Universo Interior", no conto "O Menino sem Peso", eu mostro como as pessoas encaram as diferenças e como elas podem ser vistas e interpretadas por todos.

"Não sei pensar nele como uma criança diferente. Para mim não era. Não sei se por causada nossa amizade, eu o via como uma pessoa normal. Mas havia uma coisa destoando, que se a gente quisesse dava até para ignorar. Para uns ele era diferente mesmo. Para mim o fato de ser um menino sem peso não tinha a menor importância."

Autor do livro Universo Interior, Victor S. Gomez - Responsabilidade Social é Escritor, Ator e Educador Social.


Primeiro lugar no Prêmio Olho Vivo 2014 - Volta Redonda - RJ

Veja a página do escritor no site da Editora Patuá.
http://www.editorapatua.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=189

08 abril 2016

Troca ou Escambo, o Inicio do Comércio.

Postagem publicada na página da ACIVA - Associação Comercial e Industrial de Valença - RJ no Facebook.

De caçadores e coletores à agricultores e criadores. 
texto de Victor S. Gomez

No início, nos primeiros aglomerados humanos a troca, ou escambo surgiu da necessidade que as pessoas tinham de determinados produtos, mais tarde outras necessidades fizeram com que moedas fossem criadas para facilitar a vida de todos. Surge o comércio.


Na antiguidade, nas primeiras aldeias, cada um tinha uma função, e a troca era a forma de todos terem tudo que precisavam para sobreviver. Mas com o passar do tempo as necessidades foram aumentando, pois nem todos tinham algo de valor parecido, algumas coisas tinham peso maior, pois a dificuldade de fazer algo era diferente de outra, então tiveram a ideia de definir um valor para cada coisa. Assim surgiram as moedas, no inicio algumas tribos africanas usavam conchas, outros pedras, sementes. Mais adiante o metal começou a ser forjado e surgiram as primeiras moedas cunhadas, em bronze, prata e ouro. Surge então o comércio.


Evolução do comércio – Das aldeias aos dias de hoje
Com a troca de produtos, criou-se um grande dilema, pois começavam a se complicar sobre os valores de cada um deles. Assim, surgiu a moeda e o comércio!

Fonte: http://www.colegioweb.com.br/historia/evolucao-comercio-das-aldeias-aos-dias-de-hoje.html#ixzz458afSGUY

06 abril 2016

Sobre o Livro "A Semente" - Por Marisa Madalena Silva

Para o escritor é muito  bom saber o que o leitor pensa de seus escritos. Abaixo uma amiga da Feira Hippie de Ipanema que comprou meu livro "A Semente", conta uma experiência que teve enquanto lia meu livro durante uma viajem no metrô do Rio de Janeiro. Muito obrigado por partilhar comigo essa sua história relacionada com meu livro.

"Boa noite. Tudo bem?  Seguinte: Semana passada terminei de ler a Semente, durante uma viajem no metrô. Gostei muito. Dei umas viajadas como dou lendo Saramago. Você gosta dele? Tenho alguns e empresto. Livro tem que circular. Voltando ao metrô. Quando terminei, coloquei na bolsa e saquei outro livro, porque eu ando sempre armada de livros. Uma senhora que estava sentada ao meu lado perguntou, onde poderia comprar o livro. Já ia mostrar o livro que estava nas minhas mãos e ela falou: não, o outro. A Semente. Falei que era de um amigo meu e, quando ia dizer o seu nome, ela falou: -eu vi, é Victor S. Gomez. Foi pena que eu já ia descer, mas dei para ela o marcador do livro e falei para ela procurar na internet.  Fiquei curiosa. O que será que ela leu que mexeu tanto com ela?  Geralmente os escritores não tem um retorno dos leitores. Esse é o meu. Favor não revisar porque comi todos os parágrafos. Um abraço, Marisa Madalena Silva"


Meus livros à venda:
Amo o que faço e me emociono com isso.

Livro Universo Interior 2013
1º lugar no Prêmio Olho Vivo 2014, de Volta Redonda, região sul do Estado do Rio de Janeiro.

Livro A Semente 2015
3º lugar no Prêmio Olho Vivo 2015, de Volta Redonda - RJ.

Coletanea Autores Valencianos 2014
Coletânea Presente do Céu 2014
Coletanea Autores Valencianos 2015

04 abril 2016

Frases de Victor S. Gomez


01- A saudade pode destruir você por dentro, mas também tem o poder de propagar o amor que você sente.

02- As vezes nos sentimos um lixo, cheios de problemas insolúveis, nos sentimos mal mesmo, mas quando olhamos ao nosso redor, vemos que os nossos problemas são diminutos comparados com os de outras pessoas, então percebemos que os nossos podem ser resolvidos apenas com um simples sorriso.

03- Devemos sempre estar aberto ao novo para que possamos aprender mais. Aprender nunca é demais.

04- Deus criou o homem e ele criou magnificas obras de arte. Cabe a nós preservá-las. Será que seremos capazes disso, ou destruiremos tudo, até mesmo a nós?

05- Pessoas dissimuladas se fazem de inocentes e escondem com muita perfeição o seu lado ruim. São aquelas que se fazem de boazinha para tirar proveito de uma situação. Cuidado, pois sempre encontramos algumas dessas pessoas em nosso caminho.

06- A vida é uma passagem, para um lugar melhor ou não, depende de nós irmos para um bom lugar. Tudo retorna quando nos dedicamos de corpo e alma a fazer coisas boas.

7- Ainda a pouco, na rua, me disseram:
- Hoje está muito difícil.
Eu disse:
- Então pinte a vida com as cores do coração.
- E quais são as cores do coração? Perguntaram.
- Aquelas que te fazem feliz.

8- A sua vitória vem do quanto você se esforça, do quanto você estuda, do quanto você acredita em si mesmo.


9- Eu melhoro a cada dia, porque eu quero, porque eu me esforço, porque eu acredito em mim, porque eu não deixo nada nem ninguém atrapalhar meu caminho.

10- Não conte só com sua aparência, ela não representa nada, se você não tem conteúdo, se você não tem caráter.

11- Vinicius de Moraes dizia: Me perdoem as feias, mas beleza é fundamental. 
Um pouco machista essa frase. Nós da ACIVA achamos que a força, a determinação e a coragem diante de situações adversas, é que são as melhores partes das mulheres.

12- Temos sempre que tirar o melhor do que a vida nos dá e o bom humor é um deles.

13- Ninguém passará despercebido por essa vida, todos deixarão suas marcas gravadas na luz, boas ou más elas se eternizarão no universo.

14- Saudade, muita saudade. O amor é que nos alimenta, mas a saudade doí.

15- Devemos orientar nossos filhos para que sigam o melhor caminho, mas sem imposição, muitas vezes o melhor para nós pode não ser o melhor para eles.

16- Todos podem escrever. Escrever não é nada de outro mundo, nada sobrenatural. É sim, mágico, pois nos leva a lugares nunca imaginado, à viagens fantásticas. 
Escrever é hábito, prática. Quanto mais lemos, mais temos condições de escrever. 
O escritor não é um Deus, é simplesmente um mensageiro, por isso temos que ter cuidado e humildade, para escrevermos coisas que acrescentem e não o contrário. 
Não devemos pensar que somos os melhores, devemos sim nos preocupar que a leitura conscientize, principalmente os jovens e os transformem em pessoas de bem.

17- As vezes sinto tanta falta dos meus amigos e de todos que compartilharam comigo momentos de alegria e felicidade, que os retiro de onde estavam guardados, um lugarzinho dentro do meu coração, e os sinto novamente bem perto de mim.

18- O tempo é meu melhor amigo, sempre esqueço o mal que me fizeram, e de tudo o que aconteceu, tento carregar apenas as boas lembranças.

19- Quando deixamos de lado nossa história, ficamos propensos a repetir nossos erros.

20- Estamos aqui por merecimento, porque fizemos o bem, ou fizemos o mal. Se continuarmos no caminho do bem, seremos muito mais felizes.

21- Que o nosso caminho seja sempre coberto de luz. Paz e luz para todos.

22- Existem algumas pessoas que conhecemos apenas pelo que são, outras pelo que tem, mas existem aquelas que são especiais e conhecemos por aquilo que fazem, principalmente se aquilo que fazem, é feito com amor e e respeito a todos.

23- Qual é a real importância que temos na vida de nossos amigos?
Só sabemos disso quando a oportunidade se faz presente, aí, então, conhecemos a verdadeira amizade. O verdadeiro amigo se faz presente, nos melhores e nos piores momentos de nossa vida, seja da maneira que for. A presença física ou mesmo uma pequena mensagem de texto já é o bastante para que possamos ver o quanto somos importantes para alguém. A amizade não pesa só para um lado, ela é uma balança com igual medida.

24- Com tudo que está acontecendo em nosso país nos últimos meses, o que estamos precisando? Muita clareza, paz e luz em nossos caminhos. Que todas as decisões daqui para frente sejam tomadas com o objetivo de voltarmos a ser aquele país que sempre primou pela paz e sempre foi considerado o país do futuro. Que todos deixem a estupidez e a intolerância bem longe e sigam o caminho do amor e da verdade. Que "TODOS" os suspeitos de corrupção sejam julgados com lucidez e imparcialidade. Amém!

25- Que possamos amar mais, criar mais, compartilhar mais. 
Se doar mais é o caminho. Doar cultura, doar educação. 
Que todos possam doar um pouquinho mais do seu tempo, para que todos cresçam por igual.

02 abril 2016

Nosso País tem Futuro

No dia 01 de abril postei esse texto no Facebook da ACIVA - Associação Comercial e Industrial de Valença - RJ.

"Sem piadas, pois não temos mais condições de aguentar piadas como as que estamos vivendo agora.
A ACIVA torce para que nosso futuro seja mais sério, comprometido com o social e com a verdade; e que as mentiras daqui para frente não sejam mais toleradas, nem compartilhadas. Que as bençãos de Deus, cubram nosso país com seu manto de sabedoria, para que possamos verdadeiramente nos tornar o tão aclamado país do futuro."

Cada moeda que ganho é com meu suor, não quero nada que não seja meu. Não sou perfeito e tenho certeza que nunca o serei. Não sou o melhor, tenho consciência disso, nem tenho pretensão de sê-lo. Gostaria apenas que todos nossos políticos pensassem um pouco mais em nosso povo do que nele mesmos. Utopia, pode ser, mas acredito que isso vai mudar, e já estamos caminhando para isso. Então sem mais, como dizia aquele velho político, "vamos aos finalmentes". Que os verdadeiros corruptos sejam julgados e punidos, que se mudem as leis (nosso povo não aguenta mais tanta violência - vide o assassinato da menina de 6 anos, Ana Carolina, em Madureira), que façamos a tão esperada reforma tributária. Para terminar, que o nosso querido Brasil venha a ser um exemplo do bem e não o que está sendo agora, uma piada internacional.


Compartilhem a página da ACIVA no Facebook:
https://www.facebook.com/associacao.comercialindustrialvalenca

Visitem o site da ACIVA:
http://www.acivarj.com.br/

Passo a passo de como criar uma ONG