Pesquise Modelo de Projeto Social

31 julho 2013

Projeto Cultural Escola Livre de Cordel

Projeto Escola Livre de Literatura de Cordel

Inicio 24/08/2013
Casa da Leitura - Rua Pereira da Silva, 86 – Laranjeiras – Rio de Janeiro

Matéria enviada por:
Fernando Silva Assumpção
fernandosilvaassumpcao@yahoo.com.br


A Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), neste ano de 2013, completa 25 anos de fundação. Fazendo parte do calendário de comemorações, propõem, em parceria com a Fundação Biblioteca Nacional (FBN), através da Casa da Leitura, o projeto “Escola Livre de Cordel”.

O curso tem como por objetivo promover, divulgar e difundir a literatura de cordel a professores da rede publica e privada, a poetas e a cantadores, a pesquisadores e a estudantes de letras, pedagogia e a interessados em compreender o método, a história e a evolução da literatura de cordel.


O projeto “Escola Livre de Cordel” será considerado um curso livre e os professores serão os próprios cordelistas, membros da ABLC: Gonçalo Ferreira da Silva, Sepalo Campelo e João Batista Melo, Ivamberto Albuquerque, Rosário Pinto, Victor Lobisomem e Dalinha Catunda. “No curso serão abordados os temas que a literatura de Cordel se apropria, tangencia e busca insumo para sua produção poética. Sem deixar de lado, características que a fazem ser mais que um simples gênero literário, como os Contos e Causos Populares, os Mitos e as Lendas Folclóricos e Populares.

Abordaremos, também a parte teórica como: O Romance na Literatura de Cordel, a Nordestinidade, a Regionalidade e a Religiosidades e por fim, as Pelejas e Brigas” – esclarece o coordenador do projeto Fernando Assumpção.

O curso terá duração de 20 (vinte) horas e 04 (quatro) de atividades complementares nas plenária na Academia brasileira de Literatura de Cordel          

Informações:
Escola Livre de Literatura de Cordel
Inicio 24/08/2013
Termino: 26/10/2013
Horário: 9hs às 13hs
Aos Sábados
Local: Casa da Leitura - Rua Pereira da Silva, 86 – Laranjeiras – Rio de Janeiro
tel (21) 2557-7437 / 2557-7458
Inscrições pelo e-mail : casadaleituracursos@gmail.com

29 julho 2013

Modelo de Projeto Cultural

Um modelo de projeto social detalhado para tirar dúvidas. Ele saiu no edital de ocupação dos espaços dos correios


MODELO DE PROJETO CULTURAL
IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

Título:
Área:                                                                            Segmento:
Cidade de Realização do Projeto:                                                                                 UF:
Data de Realização:
Valor total do projeto:                                                   Valor já captado:
Valor solicitado para patrocínio:
Nº PRONAC (apenas para projetos incentivos pela Lei Rouanet):


IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE
(Informe os dados da Entidade e de seu representante legal)

Entidade:
CNPJ:
Endereço:
Cidade:                                                            UF:                              CEP:
Telefone:
E-mail:

REPRESENTANTE LEGAL
  
Nome:
CPF:
Endereço:
Cidade:                                                            UF:                              CEP:
Telefone:
E-mail:

APRESENTAÇÃO

(Elaborar um texto informando o que é o projeto e do que se trata a solicitação de patrocínio)
Descreva as especificações técnicas do seu projeto de acordo com o segmento cultural em que o mesmo se enquadra (exemplo: Se o projeto for uma exposição de artes visuais, descreva o tamanho e quantidade de obras a serem expostas, a técnica utilizada pelo artista, a área mínima necessária para a exposição incluindo mostra de acervo e equipamentos + circulação de visitantes; altura do pé-direito mínimo; temperatura média ambiente; umidade relativa do ar na área de exposição, etc).
Detalhar o que será apresentado no projeto:
Currículo dos principais profissionais envolvidos no projeto (artistas, atores, músicos etc), bem como da empresa responsável pela sua realização.
Ficha técnica do projeto:

OBJETIVO
(Informar o que pretende realizar)

Os objetivos devem ser expostos de maneira clara e sucinta e expressar o(s) resultado(s) que se pretende atingir, o(s) produto(s) final(is) a ser(em) alcançado(s), período e local de realização. Um projeto pode ter mais de um objetivo, mencione todos.

JUSTIFICATIVA
(explicar porquê se propõe o projeto)

Responda as seguintes perguntas: 
Por que tomou a iniciativa de realizar o projeto?
Que circunstâncias que favorecem a sua execução?
Qual o diferencial desse projeto? (ineditismo, pioneirismo, resgate histórico, etc.)
Qual o histórico?
Público-alvo:
Quantidade:
Descreva os principais eventos realizados pela empresa proponente:
Descreva se houve algum evento realizado pela empresa proponente que contou com o patrocínio dos Correios:
Outros aspectos que julgue pertinente mencionar:
BENEFÍCIOS A SEREM PRODUZIDOS A PARTIR DA REALIZAÇÃO DO PROJETO
(Detalhar os benefícios)

Culturais – Quais os benefícios para a população quanto aos aspectos culturais?
Sociais – Quais os benefícios para a população quanto aos aspectos sociais?
Econômicos – Quais os benefícios para a população quanto aos aspectos econômicos?

ESTRATÉGIA DE AÇÃO
(Detalhar como e quando será realizado)

Estratégia de ação é o detalhamento das etapas de trabalho. Enumere e descreva as atividades necessárias para atingir os objetivos desejados e explique como pretende desenvolvê-las. Uma boa estratégia de ação é aquela que:
Demonstra a capacidade do proponente em viabilizar o projeto;
Detalha os objetivos e mostra claramente a ordem da realização;
Prevê o tempo de duração de cada etapa;
Lista os profissionais envolvidos;
Demonstra coerência com o orçamento;
Informa ações que não serão subsidiadas pelo mecanismo de apoio escolhido, mas que serão importantes na compreensão geral do projeto. Neste caso é necessário indicar como essas ações serão custeadas.

CONTRAPARTIDAS

Proposta de contrapartidas específicas relativas ao valor do patrocínio ao projeto:

Deverá estar em papel timbrado e assinada pelo representante legal da empresa;
Deverá conter o detalhamento do plano de mídia.

OBS: As contrapartidas inicialmente apresentadas poderão ser negociadas durante o processo de contratação.

PLANILHA DE CUSTOS

Elaborar um orçamento detalhado de todas as ações do projeto, especificando de maneira clara todas as rubricas da planilha (quantidade unitária, valor unitário e valor total).

Deve estar em papel timbrado e assinado pelo representante legal da empresa;

Deverá prever quais serviços serão executados por pessoas físicas ou por pessoas jurídicas, especificando cada caso;

CRONOGRAMA

Cronograma atualizado, assinado pelo representante legal em papel timbrado, com o período de realização do projeto e descrição de todas as etapas a serem realizadas;

24 julho 2013

Projeto que Economiza Energia

Hoje, mais do que nunca é essencial que se economize o máximo de energia possível. Com o aumento da população novas fonte de energia devem ser criadas, mas para melhor preservar o meio ambiente devemos fazer a nossa parte economizando cada vez mais.

A conscientização é primordial para que no futuro não venhamos a sofrer com a falta de energia ou seu racionamento.

Projetos como esse devem ser criados cada vez mais, pois só assim teremos mais pessoas economizando energia no futuro.


Um Grupo de alunos da EMEF José Mariano Beck, sai na frente, dá o exemplo e mostra o que podemos fazer para economizar energia.

Vale a pena apostar na juventude, todo trabalho de conscientização tem resultado, quando feito com vontade e amor.

O vídeo mostra a pesquisa sobre a energia e as ações que realizaram na comunidade da Vila Pinto, onde moram, para economizar luz e gás.

É emocionante ver o resultado do projeto desses alunos, com isso podemos acreditar num futuro melhor.

20 julho 2013

Verba do PRODETUR beneficia Valença

Verba do PRODETUR contempla pontos turísticos do município de Valença e interior do estado. Projeto visa melhorar e incrementar turismo sustentável na região.

Enviado pelo amigo Ivan Artesão

Matéria do jornal O Dia de hoje.

Valença vai começar a receber os benefícios do Programa de Desenvolvimento do Turismo (PRODETUR), com obras já definidas.

Saiu a verba do PRODETUR para Valença.

Implantação de Centros Pilotos - Conservatória
Estação de Juparanã – Implantação de Centros de Memória e Museus 
Museu do Café- Implantação de Centros de Memória e Museus
Implantação de Iluminação de Conservatória
Urbanização Conservatória - Reforma da Estação Ferroviária
Urbanização Conservatória - Mirante da Serra da Beleza 
Urbanização Conservatória – Constr. Plataforma e Cobertura Locomotiva do Trem 206
Urbanização Conservatória – Reforma do Mirante da Ponte dos Arcos
Urbanização Conservatória - Reforma da Praça Getúlio Vargas
Urbanização Conservatória - Adequação do Túnel que Chora

Vamos ficar de olho. Tempo de execução das obras, cinco anos.


17 julho 2013

ONU Contrata Jovens Profissionais

Projeto da ONU Programa Jovens Profissionais está contratando para trabalho em diversas cidades do exterior, entre elas: Beirute, Santiago, Nova York, Nairobi e Viena


ONU contrata jovens profissionais para trabalharem em diversas cidades.

Candidatos devem falar inglês ou francês.

Beirute, Santiago, Nairobi e Viena são algumas das cidades nas quais os candidatos escolhidos poderão atuar.

A Organização das Nações Unidas (ONU) tem inscrições abertas para o Programa de Jovens Profissionais, que selecionará pessoas de até 32 anos para trabalharem na instituição. Os escolhidos poderão atuar em diversas cidades, como Viena (Áustria), Santiago (Chile), Beirute (Líbano), Nova York, entre outras.

Serão selecionados profissionais das áreas de administração, finanças, assuntos jurídicos, informação pública e estatística. Para participar, é necessário ter concluído licenciatura ou graduação em alguma das áreas e falar fluentemente inglês ou francês. Conhecimentos em outras línguas oficiais da ONU (árabe, russo e espanhol) também são bem-vindos.

Os candidatos que cumprirem os requisitos poderão participar de um exame escrito, no dia 3 de dezembro.

As inscrições podem ser feitas até 2 de agosto (para as vagas em assuntos jurídicos, informação pública e estatística) ou 5 de setembro (para administração e finanças). Confira mais informações, em inglês, no site do Programa de Jovens Profissionais da ONU.

Os detalhes sobre os requisitos para os respectivos campos profissionais, assim como todo e qualquer detalhe adicional sobre o tema, estão disponíveis no site do programa, em https://careers.un.org/lbw/home.aspx?viewtype=NCE

Um guia detalhado sobre como se candidatar está disponível em https://careers.un.org/lbw/attachments/Inspira-How_to_get_started.pdf

Atualizações da ONU são feitas no link “What’s new”, em https://careers.un.org/lbw/home.aspx?viewtype=NCEWN

Tem alguma dúvida? Visite as perguntas frequentes: https://careers.un.org/lbw/home.aspx?viewtype=NCEF

16 julho 2013

Edital para Projetos FUNARTE

Edital FUNARTE para Projetos de Encontros, Seminários, Mostras, Feiras e Festivais.

Mais um Edital, uma oportunidade imperdível . Você pode fazer a inscrição do seu projeto atá o dia 30 de julho, pessoas jurídicas de natureza cultural, sem fins lucrativos, privadas ou públicas, podem se inscrever gratuitamente no Edital Funarte para Realização de Encontros, Seminários, Mostras, Feiras e Festivais. Os contemplados receberão recursos de R$ 100 mil a R$ 200 mil para realizar projetos para eventos, em todo o território nacional, nas áreas de circo, dança, teatro e música. A portaria de chamamento público para o edital foi publicada no Diário Oficial da União, no dia 15 de julho, segunda-feira.


A Presidente em exercício da Fundação Nacional de Artes – FUNARTE, no uso das atribuições que lhe confere a Portaria nº 85 de 15/04/2009, publicada no DOU de 17/04/2009, torna público o presente Edital Funarte para Realização de Encontros, Seminários, Mostras, Feiras e Festivais, para todo o território nacional. Destina-se a entes federados municipais, estaduais e ao Distrito Federal, e a instituições privadas de natureza cultural sem fins lucrativos, nas condições e exigências estabelecidas neste Edital, em conformidade com o disposto na Lei nº 8.313/1991, no Decreto nº 5.761/2006, no Decreto nº 6.170/2007, na Portaria Interministerial nº 507/2011- MP/MF/CGU, na Portaria 29/2009, na Portaria n º 130/2011 e do art. 20º, inciso XIII da Lei nº 12.465/2011 – LDO/2012, na Lei nº 4.320/1964, na Lei nº 8.666/1993 e eventuais modificações legais, e na Lei 9.504/1997.

1. OBJETO
1.1 Constitui objeto deste chamamento público a seleção de projetos artísticos com vistas à concessão de apoio financeiro através de transferência voluntária na modalidade de convênio, para a realização de 44 (quarenta e quatro) encontros, seminários, mostras, feiras e festivais em todo o território nacional nas seguintes linguagens artísticas: Circo, Dança, Teatro e Música.

a) Entende-se por encontros ou seminários, a reunião de pessoas ou manifestações que buscam estabelecer discussões ou confluência de ideias acerca de uma ou mais linguagens artísticas.

b) Entende-se por festival ou mostra, manifestações nacionais ou internacionais, realizadas no território brasileiro, que promovam a circulação, intercâmbio ou qualificação de artistas e demais profissionais da arte.

c) Entende-se por feira, para fins deste edital, manifestação com intuito de expor, divulgar ou oferecer serviços ou bens artísticos, de indivíduos, grupos e companhias, abrangendo uma ou mais linguagens artísticas.


11 julho 2013

Conferência Municipal de Turismo em Valença

Aconteceu ontem a Conferência Municipal de Turismo.

A Conferência Municipal de Turismo visa a organização de todas as instituições de Valença ligadas ao turismo, para que nosso município possa receber verbas federais para projetos nessa área e que elas possam ser usadas no desenvolvimento turístico de nossa cidade.


Secretário de Cultura e Turismo de Valença, João Ewerton, falou na Conferência Municipal de Turismo, sobre os pontos importantes para a implementação de um turismo forte em Valença.

Ninguém faz sucesso sozinho, isso é um principio do mercado de cultura e que serve pra tudo. João Ewerton - Secretário de Cultura e Turismo de Valença




O evento contou com a presença do Prefeito de Valença, Alvaro Cabral e de empresários ligados ao turismo e a cultura de nossa cidade. 



09 julho 2013

Reunião dos Diretores da AGFORV

Reunião da Diretoria da AGFORV - Associação dos Grupos de Folias de Reis de Valença — em Valença - RJ.

Aconteceu no início do mês de julho em sua sede, na Igreja do Rosário, a reunião dos Diretores da AGFORV, nela foram discutidos futuros eventos da instituição e também o Projeto de Ponto doCultura.

Cidadania se faz com participação de todos e nisso a AGFORV é craque, pois uma instituição que se mantém transparente e aberta a participação de todos só tem a ganhar.






05 julho 2013

Edital: Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais

INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 16 DE AGOSTO

As meninas estão com tudo.

Dia 16 de agostas abrem as inscrições para o Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais que tem por objetivo selecionar projetos de proponentes do sexo feminino, em âmbito nacional, que visem à prática de linguagens artísticas, à reflexão crítica e à profissionalização dos processos de gestão cultural



Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais é uma realização da Fundação Nacional de Artes – Funarte, em parceria com o Ministério da Cultura e com a Secretaria de Políticas para as Mulheres, e o edital pretende contribuir para o fomento e a difusão da expressão artística considerando o reconhecimento das mulheres nas artes visuais. Serão contemplados dez projetos com premiações de R$ 70 mil para cada um. O investimento total é de R$ 744.200,00.

Podem concorrer ao  Prêmio pessoas físicas (indivíduo ou representante de coletivo de artistas) do sexo feminino e pessoas jurídicas de direito privado de natureza cultural, com ou sem fins lucrativos, atuantes na área das Artes Visuais e composta exclusivamente por pessoas do sexo feminino. O projetos inscritos podem ser de exposições, mostras, oficinas, intervenções urbanas, publicações, produção crítica e documental, seminários, que tenham como resultado esperado ampliar a geração do mercado de artes visuais no âmbito da produção feminina, bem como contribuir para a formação de público.

A seleção será feita em três etapas: habilitação de projetos pela equipe técnica do Centro de Artes Visuais da Funarte, de caráter eliminatório; avaliação pela comissão de seleção, de caráter classificatório; análise documental, de caráter eliminatório.

O edital e a ficha de inscrição estão nesse link:
http://www.funarte.gov.br/edital/premio-funarte-mulheres-nas-artes-visuais-2013/

Mais informações:
mulheresnasartes@funarte.gov.br

04 julho 2013

Projeto Um por Todos e Todos pelo Livro

Projeto UM POR TODOS, E TODOS PELO LIVRO, que tem como propósito fazer leitores nas escolas,base para melhorar o aprendizado didático.

De par com o melhor aproveitamento escolar, diminui-se a evasão escolar , repetência, rebeldia e delinquência juvenil, base da violência e criminalidade.

O Projeto não tem fins pedagógicos, para o bem estar de todos, por isso compartilho.

A oportunidade é esta, os recursos para implantá-lo em sua cidade existem e as infomações estão abaixo. De qualquer forma, pode ser implantado em escolas públicas e particulares.

Abraços,

Jorge Klein - Manaus - Amazonas

Modelo de Projeto Social enviado por Jorge Ernesto Klein, estudante de pedagogia (formado no primeiro semestre de 2013), Presidente do Instituto Navegando e Lendo, autor de projeto de incentivo à leitura que leva o nome do Instituto (disponibiliza livros nas embarcações que singram as águas deste Estado); Tem três pontos de leitura na cidade de Manaus, formou mediadores de leitura em comunidade. É autor de 2 paradidáticos com temática ambiental amazônica; ex-presidente fundador da Federação Amazonense de Automobilismo; organizou campeonato de moto-cross em 1985, ganhou o Prêmio Machado de Assis de 2009 – MEC/BN, e vive pensando em como melhorar o mundo. 

Jorge Klein 

Autor do Projeto 

11- CONTATO 

Jorge Ernesto Klein 

Fone (92) 8114-4100 

Av. Torquato Tapajós n 600 – Cond. João Bosco bloco 15 apto. 107 – Flores 

CEP 69048-660 – Manaus – Amazonas 

E-mail; jorgeklein@uol.com.br 



Projeto 

UM POR TODOS E TODOS PELO LIVRO 

Por 

Jorge Klein 

Manaus – 2012 

O hábito de ler literatura é base para melhor absorver aprendizado escolar. 

Jorge Klein 


1- INTRODUÇÃO 

2- JUSTIFICATIVA 

3- OBJETIVO GERAL E ESPECÍFICO 

4- PÚBLICO-ALVO 

5- RESUTADOS ESPERADOS 

6- METODOLOGIA 

7- ORÇAMENTO 

8- COMUNICAÇÃO DO PROJETO 

9- ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO 

10- CURRICULO 

11- CONTATO 

12- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 

1- INTRODUÇÃO 

São várias as causas do mau aproveitamento escolar no Brasil, mas, sem dúvida, o maior deles é a falta de leitura. Mesmo nas escolas, a realidade está muito distante do ideal, principalmente em termos de leitura de livros literários por alunos ao longo do ano. Todos sabem do problema, mas tímidas são as ações para aumentar o número de leitores nas escolas, aliás, muitas delas formam estudantes do ensino fundamental e médio, e não desenvolvem leitores competentes. 

A realidade brasileira mostra o baixo nível de leitura como um dos responsáveis pelo baixo aproveitamento escolar e profissionais mal qualificados. A leitura tem caráter transversal, uma vez que, favorece o aprendizado, melhora a qualidade do ensino no país favorecendo maior participação da sociedade; melhora a saúde do cidadão, evitando maiores 
gastos do governo, porque quem lê mais, tem melhor informação e, por isso, adoece menos; melhora a harmonia familiar, pois o leitor costumás (normalmente), tem melhor diálogo e mais habilidade argumentativa para amenizar conflitos, diminuindo assim a violência. 

O Projeto “Um por todos e todos pelo livro”, inovador, tem o propósito de auxiliar nessa árdua tarefa de fazer leitores nas escolas. É através do hábito de ler literatura que o estudante terá mais facilidade para aprender. 

Como funciona o Projeto: para cada aluno matriculado, deverá ter um livro de literatura disponível, de acordo com a série escolar dele (não haverá duplicidade de títulos na mesma escola). Os livros serão selecionados pela escola (professores e bibliotecários), ou pelas secretarias de educação. Ficarão dispostos em pequenos módulos com porta e chave, fixos nas paredes de cada sala de aula. 

Nos casos em que alunos comprarão os livros: se o aluno prosseguir no colégio, não será necessário comprar outro no ano seguinte; alunos veteranos só deverão comprar um novo livro no terceiro ano consecutivo no mesmo colégio, ou seja em anos ímpares. 

Devemos levar em consideração que, ao comprar um livro e ler até 100 ou mais livros, representa uma economia razoável no bolso da família e um investimento alto na educação. 

Comprar o mesmo título de um livro para uma turma inteira é ignorar o potencial nato da curiosidade que desperta pela novidade da criança e do jovem estudante. 

A escola faria mensalmente um encontro entre turmas para que os alunos compartilhem suas boas experiências. A palavra de jovem para jovem, às vezes, é mais convincente. É a experiência dos próprios alunos, falando e entendendo sua linguagem. O aluno que se entender leitor habitual, poderá 

solicitar da direção da escola, o Diploma de Leitor Habitual, fornecido pelo Instituto Navegando e Lendo, se assim a escola o definir. 

02- JUSTIFICATIVA 

Entre os estudantes do ensino superior, 38% não dominam habilidades básicas de leitura e escrita, segundo o Indicador de Alfabetismo Funcional. (INAF: 2011). O número de leitores de livros e jornais impressos nas universidades é considerado muito baixo, o que é um dado preocupante, pois a pouca leitura produz desinformação e profissionais mal formados. 

O baixo número de leitores é associado ao desempenho escolar. Se no ensino fundamental o aproveitamento é baixo, não é diferente no ensino superior, como se pode ver pelo desempenho do exame da OAB em todo o Brasil. É isso mesmo, base bem feita ou mal feita, tende a verticalizar. O fato é que os professores do ensino fundamental (principalmente) não estão levando a leitura a sério – Professor que pouco lê, não compreende o ato, nem tem argumento para incentivar a leitura. Por décadas se tem dado pouca importância ao ato de ler e, ainda hoje, as escolas, mesmo às que têm biblioteca, não têm dado a relevância devida. 

Em uma entrevista feita pela socióloga Zoara Failla feita com 145 professores, somente 3 leem prazerosamente em seu tempo livre. É daí que parte o problema. O ditado popular “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço” faz jus a realidade dos professores do país. A falta de argumentos convincentes dos professores(as) está alicerçada ao fato de que muitos deles não compreendem que a leitura literária é a base para o melhor aproveitamento escolar. 

O que dizer da violência crescente em todo o país? Grande parte dos conflitos familiares ou externos poderia ser amenizados ou solucionados, se houvesse, entre eles, pessoas com mais formação e com a leitura mais presente no seu cotidiano. Atualmente, a pouca informação congestiona hospitais e postos de saúde, ou acaba em morte por falta de boa 
argumentação antes ou durante o desentendimento, gerando sofrimento e prejuízos para as famílias e governos. O leitor costumás tem maior facilidade de resolver conflitos por meio de diálogos. 

É preciso romper com metodologias que não vislumbram a leitura como prioridade e dar oportunidade ao estudante de descobrir que a leitura é base do conhecimento, mas também é lazer. Desenvolver a leitura é um desafio a ser vencido – Esse é o objetivo do “Um por todos e todos pelo livro”. 

03- OBJETIVO GERAL E ESPECÍFICO 

Objetivo Geral 

Sensibilizar os estudantes e professores sobre importância do hábito de ler 
literatura e com isso promover a leitura na escola. 

Objetivo Específico 

- Para cada estudante do mesmo colégio, um título literário diferente; 

- Para cada sala de aula, um módulo com porta e chave para guardar os 
livros; 

- Realizar, entre turmas de diversas séries, encontros mensais ou 
bimestrais para que os alunos falem de suas experiências com a leitura. 

- Divulgar para os alunos seu direito de conquistar o Diploma de Leitor 
Habitual; 

- Difundir o ato de ler literatura, como primordial para o aprendizado geral e 
sucesso profissional; 

04- PÚBLICO-ALVO 

O público-alvo constitui-se de alunos matriculados nas escolas públicas ou particulares, dos ensinos Infantil, Fundamental e Médio. 

05- RESUTADOS ESPERADOS 

Qualquer resultado positivo que se pretende almejar para a educação no Brasil, é preciso contar muito com a participação dos governantes, professores 

e pais de alunos em prol do incentivo à leitura. Só assim teremos melhor aproveitamento escolar, melhor divisão de renda, digno de um país do primeiro mundo. (1)  

Quem nasce em uma família de pais leitores, quem é apresentado ao livro por bons professores, quem experimenta o prazer de um livro bem lido, o prazer e o deleite estético de um belo texto, sabe da importância da leitura para a plena realização da nossa humanidade - Juca Ferreira. (2) (3) 

06- METODOLOGIA 

A estruturação e expansão do Projeto para um número significativo de atendidos é mais uma oportunidade de tentar novas alternativas para melhorar o aprendizado escolar. O Brasil tem um problema, a falta do hábito de ler dos brasileiros. 

O Projeto “Um por todos e todos pelo livro” é versátil, pode ser aplicado tanto em escolas públicas como em particulares. Os livros poderão ser bancados pela instituição de ensino, pelo Estado no caso de escolas públicas, ou pelos pais de alunos, no caso de escolas particulares. A fonte de doação dos livros é o único ponto que diferencia a ação da escola pública da particular. 

A partir de uma variedade de livros disponíveis na sala de aula, o aluno terá oportunidade de ler livros diversos ao seu gosto, sem ter que se locomover a biblioteca da escola (quando tem), perdendo um tempo precioso. Os livros deverão ficar armazenados em um módulo com porta e chave o suficiente para acomodá-los (medindo aproximadamente 60x30x30 cm), na própria sala de aula; mais especificamente fixos na parede. Na necessidade, os livros serão trocados pelos de outra sala, da mesma série. Em todo módulo deverá conter o nome do Projeto e seu autor, o patrocinador governo, ministério, prefeitura ou secretaria (se houver). 

O aluno que se matricular no mesmo colégio estará livre de comprar um novo livro, mas no terceiro ano consecutivo, poderá a escola cobrá-lo, já no quarto ano consecutivo fica isento de compra, ou seja, só comprará livro em ano consecutivo ímpar. Poderá a escola ter acervo disponível para atender a demanda, nesse caso, será desnecessária a compra pelo aluno veterano (sendo, contudo, solicitada dos novatos). – Em se tratando de escola particular, é lógico. 

A escola promoverá encontros mensais ou bimestrais entre turmas para ouvir os alunos e suas boas experiências. A palavra de jovem para jovem, às 

vezes é mais convincente. É a experiência dos próprios alunos, falando e entendendo sua linguagem. 

Não haverá cobrança pela leitura e sim, incentivo, e esclarecimento sobre a importância da leitura literária como fator importante para um bom aprendizado didático. 

O aluno que se entender leitor habitual, poderá solicitar da direção da escola, o Diploma de Leitor Habitual, e recebê-lo, se assim a escola o definir. Quanto ao Diploma, poderá o modelo ser fornecido pelo Instituto Navegando e Lendo. 

A literatura regional deve ter participação significativa, desde que passado por crivo pedagógico. Desde a literatura infantil é necessário que haja literatura regional, adquirido tanto de pessoa física como de jurídica. Muitas vezes o autor patrocina toda a obra (ilustrador, diagramador, impressão e comercialização) sem retorno, por falta de patrocínio e estrutura. E não é por qualidade da obra, mas por falta de mercado. Por isso deve estar inserido neste Projeto em pé de igualdade, sem pedras no caminho que invalidem a comercialização por pessoa física. A literatura regional se faz muitas vezes mais atrativa, por denunciar mais o cotidiano do leitor da região. 

Os comentários orais e escritos pelos alunos nos encontros periódicos ficarão nos arquivos da biblioteca, identificando-os. Em se tratando de escola pública, os comentários serão encaminhados às secretarias de educação municipais e estaduais. 

Alunos dos primeiros anos do ensino fundamental que ainda não sabem ler, deverão receber visitas de alunos de séries mais avançadas, para que estes leiam para eles. Dessa maneira, incentivando o desejo de aprender a ler. 

07- ORÇAMENTO 

Comprar um livro a mais sempre é incompreendido pelos pais (governantes estaduais e municipais também não compreendem a importância de comprar livros de literatura, se não, já teriam comprado 1 livro de literatura por aluno), mas ao entenderem que ao comprá-lo, seus filhos terão à sua disposição centenas deles para ler na escola ou em casa, com certeza entenderão. Entenderão que o esforço é válido e que o custo é realmente baixo. O autor reconhece e parabeniza o esforço do Governo Federal pelas medidas de incentivo à leitura em todo país. 

Os livros poderão ser doados pelo governos federal, estadual, ou municipal, até mesmo pelos pais de alunos tanto em escola pública como a particular. Dessa maneira, demonstra o Projeto ser executável em escolas públicas e privadas, com a participação do governo e sociedade. 

08- COMUNICAÇÃO DO PROJETO 

A comunicação é um dos pontos altos na execução do Projeto. Utilizando a TV, rádio, jornal e revistas locais e de circulação nacional, deverão se exploradas com a participação dos alunos mostrando exemplos a seguir. Também de pessoas que foram bem sucedidas graças ao estímulo à leitura literária. Uma iniciativa que vai mostrar à sociedade como devem agir se almejam um futuro melhor para seus filhos. 

09- ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO 

O compromisso de fazer leitor é da escola, do governo, e da sociedade, já a responsabilidade de ler é do aluno. O resultado é quase imediato. A melhora da leitura nos Primeiros Anos, os depoimentos dos alunos nos encontros entre turmas de diferentes séries. Quanto ao aprendizado, é a médio prazo (dois a três anos), pois a compreensão do ensinamento é um processo que precisa ser 
estimulado muito para que a interpretação e armazenagem sejam bem aproveitados. 

Vale a iniciativa. O aluno não esquecerá o colégio ou governante em que se firmou como leitor. Os filhos destes terão melhor aproveitamento escolar, darão menos problemas aos professores, às escolas e à sociedade. 

A avaliação inicial do Projeto “Um por todos e todos pelo livro”, será o ponto de partida que o aluno leu uma quantidade de livros que a escola e os professores entenderem como expressivo e em critérios como: compreensão do que leu; quantidade lida na escola, capaz de resumir, em poucas palavra o conteúdo do livro; participa das reuniões de leitura (vale por escrito). 

12- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 

Livros: 

ZAGURY, Tânia, O Professor Refém 

Estratégias de Leitura; SOLÉ, Isabel; 

Jornais: 

A Crítica, Em Tempo, e Diário. 

Site/blogs: 








* Site www.fecilcam.br 

História da Educação – Internet

01 julho 2013

Editora Patuá Lança Livro Universo Interior de Victor S. Gomez

Você encontra no site da Editora Patuá o meu livro de contos "Universo Interior". 
É só clicar no link abaixo e comprar. Não deixe de entrar nesse mundo fantástico, cercado de mistérios e fantasia.

"O livro Universo Interior é formado por contos, aonde são reveladas passagens de uma infância rica e cheia de fantasia, apresentadas por meninos que viveram em uma época em que tudo era possível, até mesmo acreditar que o improvável poderia ser realidade.

O livro nos remete a um passado não muito distante, de cidades interioranas, tranquilas, mas cheias de mistérios; e a um mundo interior que é o nosso interior, com problemas que não são revelados, mas que todos nós temos. 

Um universo interior que pertence a todos, mas que só nós mesmos é que podemos administrá-lo.

"Uma Certa Rua Deserta

Lá ia eu, naquele sobe e desce, parecia até um ioiô, para cima e para baixo, pela Rua da Garapa rumo ao galpão da feira livre, como fazia todos os domingos. Eu já tinha me acostumado, com aquele sobe e desce da Rua da Garapa, toda cheia de lombadas. Era cansativo, mas ainda era o caminho mais curto para a feira. Aos domingos no galpão, toda cidade se encontrava para colocar os assuntos em dia. Desde a venda de uma vaca até comentários maldosos sobre quem dormiu com quem ou quem bebeu demais e não chegou em casa. Desse jeito é que se colocavam os assuntos em dia aqui na minha cidade. No final da Rua da Garapa era obrigatório virar à esquerda ou à direita e para se chegar ao galpão da feira não era permitido seguir em frente. Não que fosse impossível ir em frente, não havia nenhum morro impedindo a passagem, apenas aquelas duas placas, uma apontando para a direita e a outra para a esquerda. Eu não entendia muito bem essa situação porque como todo mundo podia ver aquela rua não acabava ali. Ela continuava. Não igual ao caminho anterior cheio de lombadas, mas igual a uma rua normal, plana, com lojas, calçadas e postes. Só com uma pequena diferença: por lá não passava ninguém."

Autor do livro Universo Interior, Victor S. Gomez é Escritor, Ator e Educador Social: Trabalhou com crianças em situação de risco social pela prefeitura do Rio de Janeiro como terceirizado (1998-1999) e no Projeto Comunidade solidária em Paciência, com adolescentes dependentes químicos (1999). 
Fundador da ONG CADECS - Centro de Assessoria e Desenvolvimento Cultural e Social - Seropédica (2000-2002). 
Fundador da ONG CECI – Centro Cultural Criança Cidadã – Seropédica (2002-2005). Coordenador do curso de informática das ONGs CADECS e CECI em parceria com o CDI (Comitê para Democratização da Informática), durante os anos de 2000/2005. 
No município de Valença, ajudou a realizar o Projeto SOS Serra dos Mascates desde 2008. Participou como convidado do evento de meio ambiente TEDx-Amazônia, representando a cidade de Valença (2010). 
Em 2011 recebeu o Título de Cidadão Valenciano pela Prefeitura Municipal, pela imensa contribuição e relevantes serviços prestados ao município de Valença. 
Voluntário da AGFORV - Associação dos Grupos de Folias de Reis de Valença exercendo a atividade de Fotografia, Filmagem e Divulgação na Internet (2013). 
Autor do Livro Universo Interior publicado pela Editora Patuá. (2013). 
Participação no livro "Coletânea FLIVA 2014 - Autores Valencianos. 
Participação no livro "Coletânia de Natal - Um Presente do Céu" da Editora Interagir (2014).
1º lugar no Prêmio Olho Vivo 2014, de Volta Redonda, região sul do Estado do Rio de Janeiro, com o livro "Universo Interior".

Compre o livro pelo link abaixo:


Passo a passo de como criar uma ONG