Pesquise Modelo de Projeto Social

28 dezembro 2011

As Folias de Reis em Valença

Um pequeno histórico das Folias de Reis, como surgiram, como são compostas e a importância delas para a cultura valenciana.

O texto foi escrito por:
Francisco José Figueira Ferreira, Alberto Carlos dos Santos e Agostinho Gomes Filho, componentes da Diretoria da AGFORV - Associação dos Grupos de Folias de Reis de Valença.


O inicio das Folias de Reis deu-se em Portugal e pelos portugueses trazidos para o Brasil. Os Barões portugueses e colonizadores faziam de seus empregados escravos e subordinados que ao serem catequizados pelos Padres portugueses ao conhecer o mistério do nascimento do Menino Jesus, montaram alguns pequenos grupos em diferentes pronuncias, totalmente diferenciada do que são as Folias de Reis hoje. Com menos instrumentos e menos pessoas como integrante. Quando as folias começaram, houve muitas brigas entre elas, não que os integrantes quisessem, porem era uma maneira dos patrões tirarem suas diferenças entre si sem que as folias tivessem nada a ver, sempre por motivo de briga por escravos e a compra da terra.


As nossas bandeiras nos dias de hoje são compostas de um quadro de madeira forrado com tecido, ao fundo a imagem dos Santos Reis e às vezes de um Presépio, onde consta o Menino Jesus, São José e a Virgem Maria e os animais que fizeram companhia na noite do nascimento de Cristo. Em sua frente fitas coloridas onde os devotos e necessitados escrevem seus nomes fazendo seus pedidos assumindo uma promessa de 7 anos para que sejam resolvidos seus problemas nas mais diversas naturezas. Em sua frente como cobertura um véu que é tido com respeito pelas santidades ali existentes.


Em sua parte mais alta as estrelas que simbolizam as caminhadas dos Reis para Belém que foi através da Estrela de Davi. O outro símbolo importantíssimo esta no triangulo e no integrante que o conduz nas cantorias que na verdade são orações e rezas por se tratarem de Mistérios Sagrados. Estes integrantes chamam-se Riquinta. O triangulo é importante por representar os sinos de Belém, e o Riquinta ao responder o seu grito oitavado, representa o cantar do galo no alto da estrebaria em uma forma de anunciar que Jesus nasceu. O Mestre Folião e os outros componentes conduzem a reza e os outros instrumentos conduzem a cantoria. As Folias de Reis são compostas de Foliões, Contra-Mestre, Riquintas, Baichões, Sanfoneiros, Caixeiros, Bandeireiros e vários outros integrantes tendo hoje uma media de 15 a 52 pessoas numa só folia. Valença nos últimos quatro anos se tornou o maior pólo de Folias de Reis do Sul do Estado. E depois de um imprescindível apoio religioso para o resgate da religiosidade das Folias através do Padre Medoro de Oliveira Souza Neto.


Foi feita uma pesquisa por uma emissora de televisão e a festa maior das Folias de Reis no pátio da Catedral de Nossa senhora da Glória, chamada encontrão de todas as folias do município. Foi confirmado pela pesquisa como a segundo maior festa do município em termos de publico e que tende a aumentar pois ao longo de mais de 30 anos só a parte folclórica era inserida nas festas e apresentações das folias de Reis.

27 dezembro 2011

Como Captar Recursos no Exterior II

Uma série de artigos explicando como obter recursos no exterior.

Somente com uma boa capacitação é que você poderá gerir um bom projeto.

Carla Cristina Daher é Vice-Presidente fundadora e Presidente executiva da Association Enfants d’Amazonie AEDA, organização não governamental de solidariedade internacional, cuja sede encontra-se  em Chessy, França.

 
Como obter financiamento para projetos em países da Europa

Por Carla Cristina Daher
Elaboração do projeto

Gostaria de “abrir” esse texto retificando o anterior.

Há poucas horas foi anunciado o salto do Brasil para a sexta potência econômica mundial, o que vai tornar ainda mais difícil a busca de recursos na Comuniade Européia se seu projeto não conseguir contextualizar exatamente o problema que o objetiva e a necessidade de recursos para executá-lo.

Provar aos “bailleurs de fonds” (investidores) a desigualdade social e a massa de pobreza existentes em todos os países emergentes passa a ser a partir de então, tarefa para técnicos ainda mais especializados e talentosos na arte da escrita e do detalhamento, sem que a leitura de seu projeto torne-se cansativa.

A elaboração de um projeto obedece a etapas e seu conteúdo deve mostrar as reais necessidades de seu público alvo não esquecendo principalmente das perguntas-chave que seu financiador fará ao deparar-se com o material apresentado.

•    Quem está apresentando o projeto, conhece as reais necessidades do público alvo ?
•    O público alvo deseja realmente transformar sua realidade ?
•    Existe alguma liderança associativa envolvida no projeto ?
•    Qual a perenidade de seu projeto ?
•    Existe a possibilidade de se criar multiplicadores ?
•    Qual o interesse do seu projeto para a comunidade ?
•    Seu projeto altera ou tenta transformar costumes culturais ?

Não adianta alimentar o sonho de que basta contextualizar a miséria social que seu parceiro investidor europeu “sonhará o seu sonho”.

Partindo do princípio que o “Bailleur de fonds” é um parceiro em potencial, ele precisa estar a par de todos os detalhes dos outros parceiros e da sua instituição. Ninguém aposta em parcerias no escuro.

•    Qual é o estado da “saúde” financeira desse parceiro ?
•    A imagem do parceiro nacional coaduna com a imagem da sua instituição ?
•    Qual é a imagem que o púlico em geral tem do seu parceiro nacional ?
•    Os parceiros nacionais apresentados são idôneos ? 

Você precisa ser convincente, realista e acima de tudo TRANSPARENTE. Deve também gozar da simpatia das pessoas que conhecem a sua instituição. Isso não é primordial mas é certamente um “plus” bastante positivo, pois quando um parceiro investidor se interessa pelo que lê em seu projeto ele certamente procura informações sobre a sua instituição nos meios mais variados, dentre êles, rêdes sociais, sites correlatos, participações em eventos, etc.

Lembre-se, eles entrarão em contato com os parceiros que você citou no seu projeto; portanto, evite a “livre criação” para que sua instituição não “caia” no descrédito e consequentemente seu projeto não “caia” na lixeira mais próxima do analista de projetos. Um “bailleur de fonds” recebe milhares de projetos diariamente, muitos vêm do planeta “Pinóquio”, outros apresentam qualidade e obedecem aos critérios estabelecidos.

Uma segunda análise é feita e elimina de vêz os projetos duvidosos, inviáveis.

Outro elemento de extrema importância, os custos não devem conter centavos e devem ser apresentados na moeda do seu parceiro internacional em potencial. Não superfature seu projeto pois se acaso for aprovado, o “bailleur” estará acompanhando futuramente cada etapa da sua execução ou enviará pessoal especializado para analisar as contas com sua instituição em períodos acordados.

1ª Etapa:
Breve apresentação da sua instituição;
Identificação da problemática;
Localização da execução do projeto;
Contexto político local;
Apresentação da solução.

2ª Etapa
Discriminação do projeto
a- Material necessário
b- Pessoal técnico envolvido

3ª Etapa
c- Cronograma de execução;
d- Custos do projeto (com os respectivos anexos – orçamentos justificando custos);
d- Cronograma de despesas.

Apresentaremos na próxima edição os “passos” para a apresentação do projeto aos financiadores em potencial.

23 dezembro 2011

Novos Projetos para um Novo Ano

Mais um ano se finda, com projetos realizados, outros não, outros apenas engatinhando. O que esperar para 2012?  Eu lhe garanto que não será o fim do mundo e sim o início de um novo ciclo. Cheio de esperanças, novos projetos e também para dar continuidade aos que começaram no ano que passou.

Acredito muito nas pessoas, por isso às vezes me dou mal, e quantas vezes foram isso? Inúmeras, de perder a conta, mas não é por isso que deixo de acreditar, pelo contrário, acredito com mais força, pois acredito mesmo que tudo sempre caminha para melhor.

Devemos então seguir em frente para tentar acertar, devemos prosseguir sempre, aprender sempre, com erros e acertos, para que possamos assim lidar melhor com a vida.

Que o próximo ano nos deixe mais abertos para as novas idéias, sabendo que quando a gente se abre para novo aprendemos mais e envelhecemos menos.

Vamos em frente, plantando árvores, plantando idéias, plantando sementes, para um mundo melhor.

Espero sinceramente ter cumprido meu papel nesse ano que passou. Que meu trabalho nesse Blog tenha realmente ajudado alguém, pois só assim me sentirei recompenssado e poderei continuar em frente, repassando conhecimento, pois essa é a minha proposta.


19 dezembro 2011

50 anos de exclusão

Não adianta apenas ficar achando que tudo vai mudar de uma hora para outra, ou que nada da certo nesse país. É hora de implantar projetos sérios, que tenham como objetivo a capacitação de nossos jovens, a educação e a cultura, além de projetos que tenham como finalidade a geração de renda, para que a cidadania plena seja alcançada por todos.

Desde os anos 50 o mapa da exclusão mudou pouco ou quase nada. Na opinião economista Ricardo Amorim, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), "a região Norte e Nordeste continuam sendo as mais pobre e as mais afetada pelas questões de desigualdade e de pobreza no Brasil, “o que é gravíssimo” porque, nesse período, é quando o Brasil dá um salto industrial fantástico. "Mesmo assim, nós não conseguimos melhorar a distribuição da riqueza no Brasil inteiro.”

A favelização dos grandes centros, a imensa concentração da pobreza e o aumento da migração são reflexos dessa exclusão. A falta de interesse político de nossos governantes faz com que o aumento da favelização, traga problemas ainda mais agravantes, como o trafico de drogas e a banalização da violência.

O que falta não são formulas mágicas, mas sim vontade política e um desejo de realmente querer mudar essa situação. Reforma agrária, reforma tributária e um plano sério para melhor distribuição de renda, podem ser o caminho para a mudança desse quadro. Não esquecendo também da criação de empregos, para que nossos jovens não sejam mais aliciados pelo trafico, com vantagens ilusórias, que apenas os levam a uma morte prematura.

fonte : Moderador do Banco do Planeta

18 dezembro 2011

Palhaços se Preparando para o Natal

Palhaços se preparando para o Natal das crianças no Hospital Escola.

A Companhia Artística Phoenix nasceu em 09 de outubro de 2009, com a união de atores e atrizes, que tem como objetivo em comum o incentivo a cultura, além de mostrar o seu trabalho e o seu talento de forma séria.

Mostramos que com Arte (Teatro), podemos nos expressar melhor e fazer-nos ser entendidos e com isso cobrarmos o que queremos que mude em nossa sociedade de forma leve e criativa, além de alegrarmos um pouco mais as pessoas com nossa Arte.








Psicoart é um projeto desenvolvido no Hospital Escola de Valença, com atividades focadas na pediatria. 

O projeto já tem 2 anos de trabalho e conta com jovens atores que se vestem de palhaços e se dedicam como voluntários, levando as crianças que estão nas enfermarias do hospital, um pouco de alegria durante seu período de internação.  

Os voluntários desenvolvem brincadeiras com as crianças, para com isso ajudar na melhora da sua saúde, até o retorno para suas casas já totalmente recuperadas, levando no coração um pouco de alegria e esperança. 

É comprovado que a alegria acelera visivelmente o processo de recuperação de pacientes, segundo pesquisas veiculadas pelos meios de comunicação.

13 dezembro 2011

Pró-Menino

A Fundação Telefônica criou o Portal Pró-Menino com intuito de contribuir para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

O site atende a Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselhos Tutelares e demais organizações que trabalham com crianças e adolescentes.

O objetivo do portal é disseminar informações e também apoiar ONGs e e outras instituições que lidem com crianças e adolescentes e com profissionais que atuem nessa área.

O site também trás informações sobre editais para projetos sociais e oportunidades de empregos para o terceiro setor.

Pró-Menino



11 dezembro 2011

Projeto Biblioteca Amiga - CECI

Centro Cultural Criança Cidadã, Projeto de Incentivo a Leitura realizado de 2000 à 2005 no município de Seropédica, Baixada Fluminense.

Novas Fotos do Projeto Blibioteca Amiga.

Objetivos do Projeto:

Responder concretamente a questão da ociosidade, despertar o interesse pela leitura e pelas artes plásticas e o descobrimento de outras alternativas de subsistência. 

O Projeto Biblioteca Amiga busca fundamentalmente tirar essas crianças da situação de risco social, criando oportunidades para o desenvolvimento pessoal, valorização da identidade, cidadania e auto-estima, ajudando também na identificação de suas potencialidades. Pretendemos fazer um trabalho preventivo, e de compromisso com o fortalecimento dessas crianças, através de práticas artísticas culturais e complementação da ação educativa.

A biblioteca atenderá toda a comunidade, buscando a participação da família nas diversas fases do projeto, tornando-as assim sujeitos ativos no processo de formação dos alunos.

 

09 dezembro 2011

Encontros Conceituais

Encontros conceituais - Traçando histórias em Valença 

 
O cheiro de café vaga distante num imaginário-lugar, num vale regado pelo serpenteado do Rio Paraíba do Sul.

Ainda era de manhazinha e as tias, pais, avôs costuravam doces contações de histórias ao pé do ouvido, e mais adiante entoavam cantigas-tardes, dos povos Bantus mestiçados em terra índio.

Candongueiros, Caxambus... Faziam a Vó Maria de Darcy, saracotear o ventre umbigo, enquanto o tempo senhor de todas as coisas envolvia tudo num manto do sem fim.

Os kilombolas ainda acendem fogueira nas noites de muitas estrelas, a lua nos enfeitiça com seu manto de prata e diz com riscos no céu, que estamos em Valença, do vale, do rio, da voz Clementina, da dança de vó Maria, das aldeias kilombos, e agora também nossa, dos poetas peregrinos cantadores tortuosos, Da interação em arte e do reencontro de velhos amigos.

Amigos são elos, idas e vindas, como que num braço de rio serpente, rasgando os vales de Valença, valente incontinente e que ainda nos faz sentir ao longe o cheiro das lutas dos homens pretos e indígenas, demarcando traçados-encontros mineiros que ainda com as mãos calejadas das minas de ouro que nunca tiveram, se espalham em paisagem.

Vamos inteiro para Valença com nossas canções nas malas, nossa poesia nos olhos e com o coração aberto para toda alma valenciana.

Marko andrade


Foco

Nós navegantes loucos que partiremos rumo a Valença temos como meta reconetar nossa propria historia enquanto individuos e coletivo, tendo como barco a poética das canções que nos faz vencer as distancias e as tempestades dentro de nós e seguirmos ao enconro das muitas gente que tem história, que tambem é a nossa história.

Vamos para Valença fazer arte com amigos novos e velhos, sabendo que esse nosso distante mundo é uma grande casa de esinar e aprender.

07 dezembro 2011

O Poeta Thiago de Mello no Tedx Amazônia

Um poema do poeta amazonense Thiago de Mello em sua palestra no Tedx Amazônia em novembro de 2010.

Um poema sobre o meio ambiente escrito por um dos maiores poetas brasileiros

Um vídeo de Victor S. Gomez


É UMA QUESTÃO DE AMOR

Thiago de Mello

O que é o meio ambiente?
É simplesmente uma casa,
só que grande  já demais.
Do tamanho do universo.

Dentro dela cabe o mundo,
mundo, mundo, vasto mundo,
cabe o sonho azul profundo
e mais, do que tudo, cabe
o amor que  essa casa  tem.

Amor: dar e receber.
A Casa gosta é de dar,
sabe que é sempre a  melhor
 maneira  de  receber.

O  seu  nome é Terra,
céu e chão  da  Natureza,
 mãe da sombra e do esplendor,
do  orvalho  e do  temporal.
 É a Gaia do  mito grego.
Já  não é mais um segredo
que  ela é um ser  vivo  também.

E vive  de  inventar  vida.
Cada coisa  que ela cria,
pássaro, nuvem, lajedo,
 oceanos, constelações,
 a luz do dia e a da noite,
é pra dar contentamento
 a quem  mora  nela  e  dela.

Sua invenção mais poderosa?
O  manancial  que  não  cessa.
Sua glória e sua festa
é ter plantado a Floresta:
pátria de todas as águas,
verde de todas as cores.
Mãos  de mágicos poderes
Prontas  sempre a bem servir.
Vôo sereno de garças
ensinando paz aos homens.

De gavião e bem-te-vi,
de coruja anoitecida
dando adeus paras as estrelas.
De caboclo plantador
de mandioca pra farinha.
Da sardinha ao peixe-boi,
da argila escura ao diamante.
De boto de olho na moça
tomando banho no rio.
De tudo a Floresta faz
um  jeito para  ensinar
a  magia de viver.

Mas da multidão de seres
que ela gerou, cuidadosa,
de todos o seu predileto,
o Humano, feito e perfeito
das virtudes dos seus verdes,
o único a quem deu o dom
de se indagar e escolher,
mal nascido,  a  malquerença
da cobiça o converteu
em  maldoso  Desumano:
animal ímpio,  feroz,
que lhe vem  varando  o ventre
com  lâmina  envenenada
de gaz, fogo  e  ingratidão.

A Terra sabe  ser  mãe.
Queimada e compadecida,
persiste fiel à bondade,
que é  seu destino e  seu dom.

 Ela te ama e estende a mão
a ti filho da Floresta,
a mais luminosa benção
que a Natureza te deu.

Dos seus âmagos em brasa,
das flores desarvoradas,
das asas enlouquecidas,
quando anoitece
                               - ouve bem -
Se  ergue um pungente clamor.
Não é grito de guariba,
não é esturro de onça
nem silvo do Curupira.

É a mata pedindo ajuda.

A Floresta é a tua casa,
cuida dela com amor.


Rio Andirá , Barreirinha, 
No coração do Amazonas - 2008

04 dezembro 2011

Alunos Visitam Galeria

Vídeo e fotos da visita dos alunos da Escola Manoel Duarte de Rio das Flores à Galeria Arte Cultura.

Projeto Galeria Arte Cultura de Valença abre as portas do prédio da Prefeitura Municipal de Valença fora do horário de expediente para alunos poderem usufruir da cultura valenciana.

Quando levamos a cidadania a sério, todos tem a ganhar.

 

O objetivo desta iniciativa, pioneira em nossa região, é fomentar a produção das artes plásticas do Município, contribuir com sua divulgação e promover a integração comunitária, aproximando a arte do público.

Além disso, visa valorizar e divulgar os artistas da cidade, tanto os já consagrados, como também os novos talentos, oferecendo uma nova opção para mostrarem sua arte e dando oportunidade à comercialização de suas obras.

O espaço pretende ser um centro cultural, ponto de referencia para a difusão da arte e da cultura em suas mais variadas expressões: artes plásticas, música, dança, artes visuais, poesia, teatro, entre outras.



 




01 dezembro 2011

Programa de Educação Vale dos Tambores na Região do Ciclo do Café

Matéria enviada por Henrique Luth.

Este projeto propõe mudanças no enfoque da Educação, na sua metodologia, na prática pedagógica diária, que leva em consideração a cultura valenciana e os assuntos universais produzindo conhecimento significativo, sempre baseado na legislação, enfatizando as Leis 1.630 (afro descendência) e 11.654 (povos indígenas).

Para tanto, desenvolve atividades calcadas em dois grandes pensadores: Vygotski e Paulo Freire.

Em um primeiro momento abrange da Creche ao 5° não de Ensino Fundamental, sendo promovido pela Secretaria Municipal de Educação as seguintes ações:

1.    Construção do Projeto Norteador;

2.    Construção do Subprojeto por cada Unidade Escolar;

3.    Reuniões de apresentação para diretores, professores, pedagogos, secretarias municipais e outros grupos interessados;

4.    Qualificação de professores até dezembro de 2011, pela coordenadora de Desenvolvimento de Projetos e Gestão, profª Sônia Reis, convidada especialmente para este trabalho;

5.    Oficinas paralelas sobre:

-Educação Musical
-Turismo em Valença – panorama e possibilidades
-Meio Ambiente
-Cultura, como necessidade
-História da África

6.   Aula passeio: Excursão:

      a) Atrativos culturais, naturais e Fazendas no município;
      b) Visitas a Museus, Exposições, Teatro no Rio de Janeiro;

7.   Aquisição de livros específicos e Cd’s, que ficarão à disposição dos professores na Biblioteca Municipal D. Pedro II;

8.   Aquisição de material didático próprio para o desenvolvimento do trabalho;

9.   Parcerias com diversos segmentos da Sociedade Civil Organizada;

 
 
A Secretaria Municipal de Educação, com o Projeto Vale dos Tambores espera dar o primeiro passo para que a mensagem do provérbio africano “É preciso toda uma Aldeia para educar uma criança”, seja efetivamente concretizada e que cada criança seja capaz de ser sujeito de sua própria história e construtora de seus saberes, objetivos de uma Educação integral e integrada.
 
No Distrito de Santa Isabel, o “Programa de Educação Vale dos Tambores na Região do Ciclo do Café “, com uma programação variada, e envolvendo todos os alunos da Escola Municipal João Batista Gomes, realizou apresentação de músicas, capoeira, Shows musicais, desfile de fanfarra, recital de poesias, sempre homenageando artistas de Valença. O Programa realizou o plantio de 40 mudas de Palmeira Imperial em diversas áreas daquele Distrito.


Passo a passo de como criar uma ONG