Pesquise Modelo de Projeto Social

30 outubro 2011

Aquecimento Global em Cartuns

A proposta do livro "Aquecimento Global em cartuns" é dar um alerta para a vida, no qual os cartunistas terão o desafio de mostrar o risco que o planeta e a humanidade correm. Desta forma, os autores participantes são convidados a fazer um traçado sobre as consequências do aquecimento global, e assim, despertar a sociedade para a seriedade do problema.

Os cartuns abordam a questão do aquecimento global com bom humor e bastante irreverência que visa expressar, através do humor gráfico, um alerta sobre a importância da preservação ambiental em nosso planeta.

O cartunista Léo Valença desenvolveu o projeto do livro em parceria com o portal Brazil Cartoon, que realizou um processo de seleção de cartunistas, onde foram selecionados 25 trabalhos inscritos para a publicação.

 
A coletânea visa criar um espaço de divulgação de novos talentos do humor gráfico e desenvolver uma reflexão sobre a questão do aquecimento global.

Cada cartunista selecionado e autor participante da publicação contribui com um cartum que ele desenvolveu sobre o tema. Os autores participantes são: Léo Valença, Leite, Jottas, Da Costa, Jorge Barreto, Alex Larcher, J. Bosco, Waldez Duarte, Alan Souto Maior, José Alves Neto, Casso, Ferreth, Kampos, Lederly Mendonça,  Jota A, Lex Franco, Gustavo Oliveira, Bira Dantas, Marcelo Rampazzo, Melo, Marcos Noel, Adriano Louzada, Moises Macedo, Max e Edra.

 
O livro poderá ser comprado pelo site da editora PoD no link abaixo:

http://www.podeditora.com.br/produtos.asp?lang=pt_BR&tipo_busca=subcategoria&codigo_categoria=1&codigo_subcategoria=28

A utilização do PoD – Print on Demand, impressão sob demanda – é um recurso de alta tecnologia de preservação do planeta, disponível há alguns anos e de eficiência comprovada. O que vem a ser o PoD?

Mais do que um recurso tecnológico, em si, o PoD é uma ferramenta de administração de recursos: ao invés de produzir estoques de livros impressos, estes são impressos à necessidade em que são requeridos. Dessa forma, evita-se desperdício financeiro e ambiental.

28 outubro 2011

Galeria de Arte em Valença

Parabéns a Prefeitura Municipal de Valença por essa valiosa contribuição a arte e aos artistas valencianos.

O Governo Municipal inaugura, no dia 09 de novembro, a Galeria Arte e Cultura, no segundo piso do Centro Administrativo da Prefeitura Municipal.

O objetivo desta iniciativa, pioneira em nossa região, é fomentar a produção das artes plásticas do Município, contribuir com sua divulgação e promover a integração comunitária, aproximando a arte do público.

Além disso, visa valorizar e divulgar os artistas da cidade, tanto os já consagrados, como também os novos talentos, oferecendo uma nova opção para mostrarem sua arte e dando oportunidade à comercialização de suas obras.

O espaço pretende ser um centro cultural, ponto de referencia para a difusão da arte e da cultura em suas mais variadas expressões: artes plásticas, música, dança, artes visuais, poesia, teatro, entre outras.

A criação, a divulgação e a apreciação da cultura, em todos os seus aspectos, artísticos ou não, fortalecem a identidade do indivíduo, bem como de sua integração à família e à toda comunidade. O comprometimento com a arte e a cultura gera prazer e felicidade no indivíduo, sentimentos estes que se refletem em seu grupo social e na comunidade.

“É também papel dos gestores públicos o apoio a essas iniciativas. Existem muitas prioridades num governo: infra-estrutura, saúde, emprego, mas uma cidade sem educação e cultura é uma cidade sem futuro.”



27 outubro 2011

Algumas Perguntas sobre ONGs

 Algumas perguntas sobre ONGs.

"Tenho interesse em montar uma ONG para ajudar crianças não favorecidas, o que você me diz sobre isso? Terei mais facilidades? Ou se tentar fazer na informalidade poderia ter mais resultados.

Obrigado"

Olá amigo
O melhor é trabalhar legalizado, facilita arranjar parcerias e dá mais credibilidade. Na informalidade fica como um grupo de pessoas bem intencionadas que fazem um trabalho voluntário.

Crie uma ONG e trabalhe sério e com honestidade, que assim você conseguirá obter êxito.

Abraços


 "Moro em uma cidade do interior do Ceara. É uma cidade cujo município tem aproximadamente 6.300 habitantes.

Sou funcionário público e trabalho por escala de plantão e tenho um bom tempo livre.

Atualmente me dedico nas horas de folga, a ministrar aulas de matemática e português além de noções de direito constitucional, penal e administrativo a alunos que, já terminaram o curso secundário e não têm recursos financeiros nem perspectivas de fazer cursinho particular pelos altos valores cobrados, objetivando passar em concursos públicos.

Minhas aulas são sempre nos meus dias de folga e são inteiramente gratuitas. A única cobrança que se faz é o empenho e dedicação de todos.  Faz quase 3 anos que me dedico a esse trabalho voluntário.

Há, também, no nosso município o trabalho desenvolvido por um amigo que se dedica a prática de futebol com algumas crianças e adolescentes, também de forma voluntária. Aplicando recursos do seu próprio bolso para ver realizado seu projeto. Quando aqui cheguei esse trabalho já existia. É um trabalho precário e sem recursos de terceiros.

Então me veio a idéia de criar uma associação na área de educação e desporto.

Todavia, minha preocupação inicial era mostrar um trabalho nesse sentido. Visto que na região existem algumas associações constituídas e não se observa, com tanta clareza, o trabalho desenvolvido e nem muito menos a transparência necessária dos recursos recebidos para aplicação.
Então, do exposto, gostaria que me orientasse da viabilidade da constituição desse projeto e de como poderei proceder para atingir esse objetivo.

At.
"

Olá amigo
O primeiro passo é a constituição de uma ONG para que seja possível seguir com seu projeto.

Sempre existe uma possibilidade de levarmos nossos projetos adiante. Para isso devemos nos preparar, capacitar, para que nossos projetos tenham sucesso.

Um bom projeto deve estar bem fundamentado e detalhado. Não tenho grande experiência em escrever projetos, mas sempre procuro me informar bastante.

Faço apenas consultoria em fundação e gerenciamento de ONGs.

No meu Blog vc encontra dicas de como fundar uma ONG.


Fazer alguns cursos sobre elaboração de projetos sociais é fundamental. Veja essa postagem.

Caso tenha mais dúvidas entre em contato comigo.

Abraços

24 outubro 2011

Escola Voluntária


Um bom projeto deve ser reconhecido por todos. 

O projeto Escola Voluntária vem fazendo um excelente trabalho e merece o parabéns de todos.

Leia o regulamento.

"O Prêmio Escola Voluntária tem por objetivo divulgar, incentivar e premiar instituições de ensino responsáveis por projetos sociais que incentivem o trabalho voluntário entre os seus alunos. O trabalho voluntário deve ser em prol de uma comunidade com a participação de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental (ou 8ª série) do Ensino Fundamental e/ou em qualquer série do Ensino Médio."

Escola Voluntária


21 outubro 2011

Projeto Centro de Vida Independente - CVI - Rio

Uma instituição que trabalha pelo bem do próximo, fazendo com que o deficiente se sinta incluído na sociedade de maneira eficiente e completa. 

Um projeto que valoriza o ser humano.

"O Centro de Vida Independente do Rio de Janeiro (CVI-Rio) é uma associação de utilidade pública, sem fins lucrativos, fundada em 1988 e liderada por pessoas com deficiência.

Missão do CVI - Rio Mobilizar a sociedade para uma visão inclusiva através do fortalecimento da pessoa com deficiência e reconhecimento da diversidade humana."

14 outubro 2011

Projeto Amigos da Escola

Se você gosta de ajudar o próximo, não deve deixar de conhecer o projeto Amigos da Escola. Criado pela Rede Globo de Televisão, o projeto trabalha com voluntários junto as escolas.


"Programa criado pela Rede Globo (TV Globo e emissoras afiliadas) para o fortalecimento da escola pública de educação básica por meio do trabalho voluntário e da ação solidária.

O projeto Amigos da Escola incentiva a participação de voluntários (inclusive alunos, professores, diretores e funcionários) no desenvolvimento de ações educacionais - complementares, e nunca em substituição, às atividades curriculares/educação formal - e de cidadania em benefício dos alunos, da própria escola e seus profissionais e da comunidade."

Amigos da Escola

Você quer ser voluntário mas não sabe como, então veja o que o site Amigos da Escola pode fazer por você.

O projeto Amigos da Escola acaba de lançar seu mais novo autoestudo Quero ser voluntário!, que tem por objetivo orientar aqueles que desejam realizar ações de voluntariado nas escolas.

O novo material é de grande utilidade também para as escolas, que poderão utilizá-lo para capacitar novos voluntários e aprimorar o conhecimento dos colaboradores já existentes. O conteúdo está dividido em cinco módulos:
 1) O que é ser voluntário;
 2) Como o voluntariado ajuda na educação;
 3) Quem pode oferecer este apoio;
 4) Como desenvolver projetos; e
 5) Em que áreas o voluntário pode atuar.

Clique no link e saiba mais: http://amigosdaescola.globo.com/TVGlobo/Amigosdaescola/0,,AA1712882-6969,00.html

11 outubro 2011

Encontro Ibero-americano sobre Desenvolvimento Sustentável

De 17 a 20 de Outubro
Auditório da Fundação Getulio Vargas
Avenida 9 de Julho, 2029, Bela Vista - São Paulo

A sustentabilidade é o caminho para um futuro melhor para todos. Usar nossos recursos naturais com sabedoria fará com que possamos ter um meio ambiente mais saudável.

Os temas do Encontro: Economia Verde, Energia, Água e Cidades
O Encontro Ibero-americano de Desenvolvimento Sustentável (EIMA), organizado pela Fundação Conama, e em sintonia com seus objetivos, pretende construir um espaço de diálogo e de encontro do mundo Ibero-americano da sustentabilidade com a premissa de que para o progresso em uma sociedade sustentável, é necessário somar e concentrar o valor de esforços e histórias de sucesso. Considera-se que este processo deve envolver não apenas os governos, mas todos os representantes que compõem a sociedade, até chegar aos cidadãos. Leia mais aqui...


10 outubro 2011

Parceiros Voluntários

Há algum tempo venho batendo na mesma tecla, no meu Blog Victor S. Gomez
Que tal você ser voluntário?
Pois não é que esses dias achei mais um site sobre voluntariado, seria bom que todos o conhecessem. 

o voluntariado só me trás felicidade.

"A Parceiros Voluntários é uma Organização Não-Governamental, sem fins lucrativos, apartidária, criada em janeiro de 1997 por iniciativa do empresariado do Rio Grande do Sul, com a Missão de estimular, captar, qualificar e encaminhar voluntários à comunidade gaúcha, para promover a cultura do voluntariado organizado."


Visão

Ser um movimento disseminador da cultura do voluntariado organizado no Brasil, visando pessoas, comunidades e uma Sociedade mais solidária.

Missão

Potencializar o desenvolvimento humano, por intermédio do voluntariado organizado, para a solução das demandas sociais da comunidade.

Crenças e Valores
Toda pessoa é solidária e um voluntário em potencial
A filantropia e o exercício da cidadania, pela prática do voluntariado, são indispensáveis para a transformação da realidade social.
O voluntariado organizado é a base do desenvolvimento do Terceiro Setor.
Todo trabalho voluntário traz retorno para a comunidade e para as pessoas que o realizam.
A prática do princípio da subsidiariedade é indispensável à autonomia das comunidades para seu desenvolvimento.
O desenvolvimento sustentado é alcançado pela interação entre os sistemas econômico, ambiental e social.

Parceiros Voluntários

07 outubro 2011

Como Captar Recursos no Exterior

Uma série de artigos explicando como obter recursos no exterior.

Somente com uma boa capacitação é que você poderá gerir um bom projeto.

Carla Cristina Daher é Vice-Presidente fundadora e Presidente executiva da Association Enfants d’Amazonie AEDA, organização não governamental de solidariedade internacional, cuja sede encontra-se  em Chessy, França.

 
Como obter financiamento para projetos em países da Europa

Por Carla Cristina Daher

Preâmbulo –

Apresentar um projeto social requer antes de tudo que a estrutura da sua instituição esteja organizada, que os membros administrativos estejam preparados para prestar contas de acôrdo com o calendário estipulado entre as partes e que os membros executivos estejam preparados para aceitarem interferências do financiador.

O Brasil hoje figura entre os países do BRICs (Brasil, ĺndia, Rússia e China) e goza da fama de 8ª potência mundial. Os grandes investidores voltaram-se para a África e países do leste Europeu. O que torna ainda mais dificil a aprovação de um projeto originado do Brasil.

Se sua organização é jovem e ainda não comprova 3 anos de criação e ainda não executou projetos, as chances de êxito do pedido de financiamento serão bastante reduzidas.

Existem algumas instituições financiadoras que coparticipam em percentuais de até 50% do seu projeto, ainda que sua instituição seja debutante, mas há degraus à galgar principalmente se o projeto em questão não estiver focalizado no que eles pretendem financiar.

Nomenclaturas de organizações não governamentais –

A figura legitimizada do trabalho humanitário surgiu na França em 1901, sofrendo alterações de acôrdo com os contextos apresentados durante cada catástrofe natural e  guerras inter-nações e mundiais.

Nos países Europeus as nomenclaturas diferem das nacionais. Uma organização nãogovernamental pode ser uma ONG, uma Fundação, uma Associação. A figura da OSCIP  não é conhecida. Mas isso não consiste em impedimento.

Existe uma equivalência que pode servir de base para que o pleiteante saiba como os financiadores “entendem” sua instituição:

ONG – Associação (de solidariedade nacional ou internacional)cujo exercício financeiro (doações, renda em eventos, venda de produtos pertinentes à causa da qual defendem, etc.) esteja acima do patamar de 132mil euros/ano.

ASI – Associação de solidariedade internacional cujo exercício financeiro anual não excedeu o patamar citado acima.

Associações – são organizações não governamentais que promovem o bem estar social local ou regional, seja desenvolvendo projetos de média e longa durações ou fazendo assistência pontual.

Exemplo: Association du Coeur (Associação do Coração) – promove por meio de arrecadação de alimentos, refeições para pessoas de baixa ou nenhuma renda.

Fundação – Só existem 2 maneiras de se registrar uma organizaçao não governamental com a nomenclatura de “Fundação”.

a-    Fundação empresarial;

b-    Fundação criada por família de pessoa que tenha sido figura proeminente ou afortunada,cujos bens seriam no todo ou em parte, doados à instituição nascente.

Tipos de organizações não governamentais –

Desenvolvimento – São aquelas cujos projetos apresentam a perenidade média mínima de 1 ano e deixam em seu “rastro”, a consolidação do trabalho por meio de multiplicadores locais;

Emergenciais – São aquelas cujo trabalho é o de minimizar as consequências de catástrofes (Cruz Vermelha, Médicos Sem Fronteiras).

Se após ter lido essa resumida explicação você ainda pretende apresentar um projeto às financiadoras européias, minha sugestão é que acompanhe os artigos que serão postados periódicamente.

Esse artigo nao pretende ser um curso, ou um “passo-a-passo” pois há emprêsas altamente preparadas no mercado para assistí-lo.

Quero lembrá-los principalmente que a figura do captador de recursos comissionado é proibida na Europa. Seu captador deve ser membro da sua instituição.

06 outubro 2011

Fundação Banco do Brasil e Parceiros Selecionam Cooperativas de Catadores

Frederico Cardoso
frederico@cinemaiscultura.org.br
http://br.groups.yahoo.com/


Os projetos serão recebidos pela SENAES/MTE até 23 de outubro de 2011.

A Fundação Banco do Brasil torna público o Edital para que cooperativas de catadores de recicláveis apresentem propostas ao projeto 'Fortalecimento da Infraestrutura de Cooperativas de Catadores para Coleta, Transporte e Comercialização de Materiais Recicláveis - Logística Solidária Cataforte'.

Além da Fundação Banco do Brasil, são parceiros do 'Logística Solidária' a Petrobras, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES e a Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego.

O Edital vai selecionar propostas de cooperativas sem fins lucrativos voltadas diretamente às atividades de coleta, transporte e comercialização de material reciclável.

As ações selecionadas serão apoiadas pela Fundação Banco do Brasil, com recursos dos parceiros, por meio de convênio.

As propostas devem ser voltadas para o aumento da capacidade produtiva da cooperativa - como o incremento de faturamento, renda e inclusão de novos postos de trabalho - ou para a estruturação e fortalecimento da mesma, mediante aquisição de veículos para coleta, transporte e comercialização.

A seleção abrange a participação de cooperativas voltadas diretamente às atividades de coleta e processamento de material reciclável, de todo o território nacional, de qualquer região, estado e município, incluindo o Distrito Federal, desde que integradas por catadores de materiais recicláveis.

Para ver o edital acesse o site www.fbb.org.br

04 outubro 2011

Seminário Estadual Serviço Social, Direito à Cidade e Política Urbana

As inscrições podem ser feitas pelos telefones (21) 3147-8751 ou 3147-8753.
Email enviado por
Jefferson Lee de Souza Ruiz


Organização
CRESS/7ª Região e REDE QUESS – Rede Questão Urbana e Serviço Social

10 de outubro de 2011
I dia – noite (18h às 21h30m)
Auditório 91 – UERJ (9º andar)
18h – Credenciamento

19h - Abertura
19h20m – Mesa I – Cidade Capitalista em Tempos de Exceção: conquistas e desafios do desenvolvimento urbano e do direito à cidade no Brasil
Convidados:
Fátima Cabral – Escola de Serviço Social / UFRJ
Carlos Vainer – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional / UFRJ
20h45m – Questões / debate
21h30m – Encerramento.

11 de outubro de 2011 – II dia 
9:30h – Mesa I – Serviço Social, Direito à Cidade e Política Urbana: avaliação histórica e desafios atuais.
Auditório 91 – UERJ (9º andar)
Objetivos/conteúdos da mesa: membro do CRESS ou mediador/a deverá recuperar, em 20 minutos, os elementos do dia anterior e apresentar os objetivos da sessão: problematizar a inserção histórica do Serviço Social nas políticas urbanas articulado ao fortalecimento das lutas e conquistas pelo direito à cidade. A reflexão e o debate mais aprofundados serão realizados a partir de quatro eixos de discussão sob responsabilidade respectivamente de cada convidado.
Eixos:
1) A Política Urbana no contexto dos megaeventos e o aprofundamento dos conflitos urbanos
Isabel Cardoso (Faculdade de Serviço Social / UERJ)
2) Violência Urbana, criminalização da pobreza e a territorialização de Políticas Públicas no ordenamento das cidades
Eblin Farage (Escola de Serviço Social / UFF – Rio das Ostras)
3) Participação e Controle Social: o que se alterou depois do Estatuto das Cidades?
Marcelo B. Edmundo (Central de Movimentos Populares / CONCIDADES)
4) Política Urbana e Justiça Ambiental
Tatiana Dahmer Pereira (Escola de Serviço Social / UFF - Niterói)

13h – Almoço

14h30m – Oficinas

Mesa II – Tema geral: O trabalho social na política urbana: o trabalho do/a assistente social na perspectiva do direito à cidade

1 – Habitação, urbanização e regularização fundiária
Gabrielle Bastos (Secretaria Municipal de Habitação – Rio de Janeiro)
Lenise Lima Fernandes (Escola de Serviço Social / UFRJ)

2 – Saneamento básico e ambiente
Mariana Pereira (Faculdade de Serviço Social da Unigranrio)
Juliana Pimentel  (Faculdade de Serviço Social Uniabeu / Prefeitura de Nova Iguaçu)

3 – Desastres e riscos socioambientais
Dora Vargas  (Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sociais em Desastres – UFSCar)    
Rosana Morgado (Escola de Serviço Social – UFRJ)

4 – Transporte e mobilidade
Alexandre Magnavita (Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência / RJ)
Tatiana Fonseca (Faculdade de Serviço Social da UNISSUAM e Escola de Serviço Social da UNIRIO)

5 – Ordem Urbana e criminalização da pobreza
Maria Helena Tavares (Secretaria Municipal de Assistência Social / Rio de Janeiro
Hilda Correa de Oliveira (CRESS-RJ e Fórum Estadual de População Adulta em Situação de Rua do Rio de Janeiro)

Conteúdo/dinâmica das oficinas: as oficinas contarão com dois mediadores (docente pesquisador do tema e assistente social com atuação na área) que deverão expor, em 30 minutos, alguns conteúdos sintéticos para provocação/organização da discussão das oficinas, tais como: 1) conteúdos relevantes do campo político-institucional e normativo das políticas urbanas 2) tipos de requisições do trabalho do assistente social e definição do Trabalho Técnico Social, 3) articulação entre requisições institucionais e os pressupostos teóricos, ético-políticos e de regulamentação profissional do Serviço Social 4) elementos de reflexão sobre as condições e relações de trabalho do mercado de trabalho profissional do SS a partir das políticas urbanas 5) elementos de avanços e desafios colocados ao campo dos direitos e das lutas urbanas.

As oficinas deverão gerar sínteses a serem encaminhadas à mesa final do evento para aprovação das contribuições e propostas do Seminário Estadual para atuação no cenário regional e nacional do Serviço Social (Encontro Nacional de 28 a 29 de outubro/2011, em São Paulo). Assim, as oficinas deverão gerar sínteses sobre três níveis de discussão: (a) a construção de cenário estadual; (b) mapeamento dos dilemas e desafios para os/as profissionais; (c) possibilidades de enfrentamento e diretrizes para a categoria.

As oficinas deverão assegurar sistematizadores/relatores.

17h30m – Intervalo – Café

18h – Mesa de Encerramento – Rumo ao Seminário Nacional Serviço Social e a Questão Urbana no Capitalismo Contemporâneo
Auditório 91 – UERJ (9º andar)
Coordenação e direção política – CRESS/RJ
Principais proposições para o Encontro Nacional
Síntese dos debates e perspectivas futuras

02 outubro 2011

Victor S. Gomez Recebe Título de Cidadão Valenciano

Em evento solone, quinta-feira passada, no clube dos Democráticos, recebi o Título de Cidadão Valenciano pela imensa contribuição e relevantes serviços prestados ao município de Valença.


 Paulo André, Vereador Felipe Farias e Victor S. Gomez, durante o evento.

Victor S. Gomez recebe o Título de Cidadão Valenciano
das mãos do Vereador Felipe Farias (foto de Igor Alecsander).

Nascido no Rio de Janeiro, casou-se com Elisabete Cruz de Souza que é cidadã valenciana, com quem tem três filhos. Victor S. Gomez é Artista plástico, Ator e Educador social. 
Trabalhou com crianças em situação de risco social pela prefeitura do Rio de Janeiro como terceirizado (1998-1999). 
Trabalhou com o Projeto Comunidade solidária em Paciência, com adolescentes dependentes químicos (1999). 
Realizou projetos sociais em Seropédica (2000-2007). 
Fundador da ONG CADECS – Centro de Assessoria e Desenvolvimento Cultural e Social – Seropédica (2000-2002). 
Fundador da ONG CECI – Centro Cultural Criança Cidadã – Seropédica (2002-2005). 
Coordenador do curso de informática das ONGs CADECS e CECI em parceria com o CDI (Comitê para Democratização da Informática), durante os anos de 2000/2005. 
Mudou-se para Valença em 2006. No município, ajuda a realizar o Projeto SOS Serra dos Mascates desde 2008 e, também atua como Diretor de Informática e Marketing do IDDEIA – Instituto de Defesa e Desenvolvimento do Inteiro Ambiente (2010). 
Participou como convidado do evento de meio ambiente TEDx-Amazônia, levando o nome de nosso município, representando o IDDEIA (2010).



Passo a passo de como criar uma ONG