Pesquise Modelo de Projeto Social

30 março 2010

O que Acontece Quando Adolescentes em Abrigos Completam 18 Anos?

Tive uma boa experiência com crianças e adolescentes em situação de risco social, quando trabalhei em um abrigo da Prefeitura do Rio de Janeiro. Bom, mas não eram apenas crianças abandonadas que ficavam no abrigo, tinha até crianças que já tinham assaltado, com envolvimento com o trafico de drogas, e assim por diante. Jovens que não  tinham esse comprometimento, se viam obrigados a partilhar o mesmo espaço com os mais "experientes", digamos assim. Crianças de 6, 7 anos convivendo com jovens de 16, 17 e às vezes até alguns com mais de 18 anos, meninos e meninas, todos juntos sob o mesmo teto. Não acredito nesse tipo de abrigo, não trás benefícios para ninguém, na verdade não recuperam, apenas influenciam negativamente os mais novos. Muitos governos mantém esse tipo de projeto social por estar dentro da lei, que exige que se tenham abrigos de qualquer forma, independente do jeito que eles são administrados. Pura e simples estatística, para futuras eleições.

fonte da imagem: www.diarioinsano.com.br

Da Equipe do Portal Pró-Menino:
A adolescência é uma fase da vida bastante delicada pra todo mundo. Se isso é verdade para adolescentes que moram com suas famílias imagine aqueles que moram em abrigos.  Para estes, existe um desafio especial: a obrigatoriedade de se desligarem da instituição ao completar 18 anos. É que o “abrigo” ou “acolhimento institucional”, como passou a ser chamada no ano passado, é uma medida protetiva prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente e que não deve valer para os maiores de 18. Leia mais...

29 março 2010

Instituto Simon Bolivar Pede Ajuda

Bom dia Victor,
 
Estive lendo o seu blog e achei muito interessante. 
 Sou Presidente do INSTITUTO SIMON BOLIVAR  CNPJ 11.487.690/0001-71, e gostaria de saber se poderia nos ajudar com relação a elaboração de um projeto social para ser implantado em Boa Vista, Roraima.
Nossa intenção e´ implantar um centro de formação em informática de modo que se possa tambem ter acesso ao curso de formação de I e II graus on-line oferecido por convenio com o  SESI.
Temos uma dificuldade social muito grande na região e não sabemos como fazer o projeto.
Gostaria de saber quanto seria o custo da elaboração do projeto e se você poderia elaborar e orientar-nos..
Ciente de sua atenção, agradeço desde já.

Olá amigo Evaldo

Trabalhei em minha ONG CECI (Centro Cultural e Criança Cidadã), durante alguns anos em parceria com O CDI (Comitê para Democratização da Informática). Se você tem pelo menos um cômodo com laje, bem arejado, com ar condicionado, facilitará bastante na hora de mostrar o projeto para eles. O CDI fornece capacitação para o coordenador da Escola de Informatica e Cidadania e para os instrutores de informática, além de dar um bom suporte técnico. Os computadores e uma impressora serão cedidos em comodato para a instituição parceira, assim que o projeto for aprovado. Eles tem um formulário de projeto pronto, que fica mais fácill para ser feito.
O CDI Amazonas é o mais perto de Roraima, tente entrar em contato com eles para uma conversa. Acho que eles vão lhe dar uma boa ajuda e quem sabe sua ONG possa se tornar um núcleo do CDI.

CDI - Amazonas
Coordenador Regional: Alessandro Dinelli
Telefone: (92) 3234-8654

O CDI – Comitê Para Democratização da Informática, aceita qualquer instituição, desde que legalizada, para criação de novas EICs – Escola de Informática e cidadania. A instituição deverá ter instalações apropriadas. Salas ventiladas, com instalação elétrica apropriada, ar condicionado, em local público.

25 março 2010

Glaucia Nasser

Glaucia Nasser canta a música Lábios de Cetim. Encontrei ela por acaso, que sorte a minha. Essa mineira de Patos de Minas é mais que um achado, é tudo de bom. Uma voz suave e meiga, digna das grandes musas da MPB.

 Glaucia Nasser por Glaucia Nasser:
"Todas as vezes que li uma biografia minha escrita por outra pessoa senti que algo faltava. Os fatos estavam ali, assim como tudo o que eu havia conquistado ao longo da minha vida, mas eu não me sentia plenamente ali. Talvez por acreditar que uma pessoa é também tudo aquilo que sente e não apenas tudo aquilo que faz. Muitas vezes fazemos tanto, mas nosso coração nem sempre está em tudo. É como se fizéssemos por que assim a vida nos ensinou a fazer. Enfim, as biografias que eu li refletiam os meus feitos, mas não os meus sentimentos e foi por isso que aceitei o desafio de escrevê-la e falar sobre o que sinto e sobre quem sou." Leia Mais...

24 março 2010

Quilombo São José da Serra

Um povo que foi oprimido, mas não perdeu sua dignidade e sua cultura. O Quilombo São José da Serra, em Valença-RJ, mostra a todos a força de um povo, que sempre lutou para manter sua cultura e cidadania. As fotos de uma Comunidade Quilombola digna e lutadora, um povo que ajudou a contruir nosso país.


23 março 2010

Editais de Projetos da Fundação Boticário

Editais da Fundação Boticário para apoio de projetos ligados ao meio ambiente. Não perca a oportunidade de fazer a sua parte e contribuir com a melhoria de nosso planeta.


Para que a inscrição da proposta seja validada, é necessário atender todos os requisitos, conforme descrito nos formulários e orientações.
O Apoio a Projetos da Fundação O Boticário, por meio dos editais semestrais, tem por objetivo patrocinar projetos que contribuam efetivamente para a conservação da natureza no Brasil, por meio do apoio a ações nas seguintes linhas temáticas:
  1.  Conservação de espécies e comunidades silvestres em ecossistemas naturais;
  2.  Políticas voltadas à conservação de ecossistemas naturais;
  3. Regeneração de ecossistemas naturais;
  4. Prevenção ou controle de espécies invasoras;
  5. Criação ou manejo de unidades de conservação; e,
  6. Pesquisa sobre vulnerabilidade, impacto e adaptação de espécies e ecossistemas às mudanças climáticas.
A Fundação O Boticário de Proteção à Natureza adota um calendário fixo para inscrição, análise e seleção de propostas de projetos. São duas inscrições anuais, uma até março e outra até agosto, conforme os prazos a seguir:

VIA ON-LINE E VIA FORMULÁRIO EM ACCESS:
1º semestre - até 31 de março*
2º semestre - até 31 de agosto*
*Até a meia-noite

Download do formulário:

22 março 2010

Hoje é o Dia da Água

Evite o desperdício de água, controle o uso da torneira do seu banheiro e da cozinha. Regule a descarga de seu banheiro. Não lave nem varra a calçada com mangueira, use um balde e vassoura. O meio ambiente agradece e nós também. 
Em 20 anos o número de pessoas atingidas pela falta de água pode passar de 2 para 4 bilões de pessoas, segundo pesquisa feita pela ONU. Diga não ao desperdício.


fonte: comuniquecomomeioambiente.blogspot.com

20 março 2010

Marko Andrade


Compositor. Cantor. Produtor Cultural. O pai tocava violão. Em 1975 estudou Teoria Musical no Conservatório Carminha Alonso. No ano de 1982, estudou teoria e violão com o maestro Joaquim Fragelli. Dois anos depois, fez o curso de formação em violão pelo Instituto Brasileiro de Música. Em 1996, com Tim Rescala, fez o curso de música para teatro. Neste mesmo ano, estudou UERJ curso e extensão em história da arte, cultura e antropologia coordenada por Darci Ribeiro e Cecília Conde dentro do PEE. Foi Coordenador da Animação Cultural da Secretaria de Estado do Rio de Janeiro. Trabalhou como Coordenador de Difusão Cultural da Superintendência de Projetos Especiais da SEE do RJ.





OBRA :
Aldeia • Algumas palavras (c/ Aljor) • Alvorecendo (c/ Euclides Amaral) • Birra de índio (c/ Rubens Cardoso) • Cavalo de pau (c/ Rubens Cardoso) • Cidade (c/ Sérgio Lupper) • Cidade moderna (c/ Euclides Amaral) • Choro da Guanabara (c/ Rubens Cardoso e Euclides Amaral) • Danças selváticas (c/ Sérgio Lupper) • Dance tudo (c/ Aljor) • Estratégia do lobo (c/ R. R Juca) • Feito semente (c/ Euclides Amaral e Cacaso) • Lua comparsa (c/ Rubens Cardoso e Euclides Amaral) • Malandro. com (c/ Paulo Renato) • Moinhos de vento (c/ Euclides Amaral e Xico Chaves) • Navegante das estrelas • Noite (c/ Délson Júnior, Henrique Silva e Sidney Cruz) • Nos arcos da Lapa (c/ Euclides Amaral) • Noturnamente (c/ Euclides Amaral) • Paiol de pólvora (c/ Euclides Amaral) • Quero que você me leve (c/ Rubens Cardoso e Euclides Amaral) • Retrato noturno (c/ Euclides Amaral) • Ritual da zabumba (c/ R. R. Juca) • Suburbando (c/ Euclides Amaral) • Velas • Velhas tramóias (c/ Euclides Amaral) • Vômito atômico (c/ Aljor)



DISCOGRAFIA:
1999: Conexão carioca. Selo Peixe Vivo, CD,
2000: Conexão carioca. Selo Guitarra Brasileira, CD,
2000: Conexão carioca 2. Selo Guitarra Brasileira, CD,
2001: Aldeias urbanas. Selo Guitarra Brasileira, CD,
2002: Conexão carioca 3. (vários). Selo BigVal Produções, CD,
2003: Conexão carioca 3 - Bônus. Selo Peixe Vivo Produções, CD.
2007: Aldeia Afrotupy Selo Guitarra Brasileira e Arrent Mermo,CD

Email: aldeiaprod@click21.com.br

19 março 2010

Preciso de Ajuda na Elaboração de Projetos

 
"Meu nome é Roberto Minello sou coordenador de uma ONG localizada em São Paulo atuando nas áreas de educação e programas de qualificação profissional. Estamos a procura de pessoa que saiba elaborar projetos sociais ou que possa indicar alguém.
No aguardo de uma resposta amiga,
Subscrevo-me atenciosamente,”

No momento não estou elaborando projetos, mas sei de alguns sites na internet onde você poderá encontrar ajuda. Algumas pessoas que trabalham nessa área cobram uma porcentagem sobre o projeto aprovado, procurando com determinação tenho certeza que você encontrará. Outras cobram pelo serviço de elaboração do projeto, mas não dão garantia nenhuma que ele será aprovado. Tem de ter bastante cautela na escolha de quem fará o serviço. Aqui no meu blog tem uma seção de modelo de projetos, que estão disponíveis para qualquer pessoa, bastam apenas alguns ajustes para que possam ser usados. Estou mandando alguns sites onde talvez você possa encontrar o que procura. Dê uma olhada e boa sorte.
Abraços,

www.portaldovoluntario.org.br
www.planetavoluntario.com.br
www.institutomovimento.com.br

18 março 2010

Projeto Instrumental de Quintal

Todas as quartas e sextas de março e abril tem Jazz a vontade. Sempre as 19:00 h. rua d o Lavradio, 34, Lapa - RJ.

17 março 2010

III Feira de Responsabilidade Social Empresarial Bacia de Campos

Evento será em Macaé (RJ) e terá como tema “Consumo Consciente por uma Economia Sustentável”

Promovida desde 2008 pela revista Visão Socioambiental  (visaosocioambiental.com.br) e parceiros para disseminar conceitos e estimular a criação de projetos de Responsabilidade Social e Sustentabilidade nos municípios da área de influência da Bacia de Campos, região que tem como principal atividade econômica a exploração de petróleo - fonte energética não renovável -, a Feira de Responsabilidade Social Empresarial Bacia de Campos (feirarsebaciadecampos.com.br) será realizada este ano nos dias 19, 20 e 21 de maio, no Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho (Macaé Centro), das 14h às 21h.
Como aconteceu nas duas versões anteriores, a  III Feira de RSE Bacia de Campos – cujo tema central é “Consumo Consciente por uma Economia Sustentável - terá a participação de empresas, organizações não governamentais, gestores públicos, universidades, profissionais liberais, estudantes, instituições de classe, entidades socioambientais, entre outros.
No evento  estão incluídos stands, Fórum com palestras, painéis e mesa-redonda, Rodada de Negócios Sustentáveis, Sala de Projeção de Filmes e Vídeos ambientais, apresentações artísticas e culturais com talentos da terra e artistas já consagrados etc. A entrada é inteiramente gratuita, inclusive para o Fórum, bastando o interessa do se credenciar pela internet ou no local.
A III Feira de RSE Bacia de Campos contará com a participação de nomes consagrados na área de Responsabilidade Social Empresarial e Sustentabilidade, tais como a economista Amyra El Khalili, o também economista e ambientalista Sérgio Besserman, presidente da Câmara Técnica de Desenvolvimento Sustentável e de Governança Metropolitana do Rio de Janeiro e professor de economia brasileira na PUC-Rio, a jornalista Amélia Gonzalez, editora do caderno Razão Social de O Globo, Higino Aquino, presidente do Instituto Brasileiro de Florestas, entre outros convidados, além de representantes de organizações não governamentais e de grandes empresas e entidades que lideram o movimento em prol da sustentabilidade no Brasil e no exterior.
De acordo com o jornalista Martinho Santafé, diretor da Revista Visão Socioambiental, as du as Feiras anteriores mostraram ser o evento uma excelente oportunidade para a troca de conhecimentos e experiências, possibilitando, inclusive, o surgimento de parcerias e de ações pela sustentabilidade regional envolvendo atores diversos, como prefeituras, entidades empresariais, sindicatos, universidades, ONG´s e Agendas 21 locais. “O grande objetivo da Feira de Responsabilidade Social Empresarial Bacia de Campos é sensibilizar pessoas a participarem ativamente da construção de um mundo mais sustentável”, diz o jornalista.
 Evento: III Feira de Responsabilidade Social Empresarial Bacia de Campos
 Período: 19, 20 e 21 de maio de 2010
 Horário: 14h às 21h
 Objetivo: Apresentação de projetos e ações nas áreas de Responsabilidade Social e Sustentabilidade, disseminando, através de palestras, oficinas do conhecimento, painéis, mesas-redondas e debates, conceitos e ações de Responsabilidade Social e Sustentabilidade, direcionados para o desenvolvimento regional sustentável.
 Realização: Revista Visão Socioambiental e parceiros.

Tema: “Consumo Consciente por uma Economia Sustentável”.
 Target: Empresários, gestores públicos, educadores, profissionais que atuam nas ár eas de Responsabilidade Social Corporativa, Meio Ambiente e Recursos Humanos, organizações não governamentais, universitários e integrantes das demais instituições representativas da sociedade organizada.
 Programação: Fórum de palestras e debates, Rodada de Negócios Sustentáveis, Feira de Exposições, Oficinas de Conhecimento, Projeção de Vídeos e Filmes sobre Sustentabilidade e Apresentações Artísticas e Culturais de ONGS, talentos da terra e artistas consagrados.
 Local: Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho (Macaé Centro)
           Área com 19 mil m²  /   Pavilhão Especial com 10 mil m²
          10 salas de convenções com capacidade para 100 pessoas cada, reversíveis.
           Praça de alimentação  /    Restaurante
           Estacionamento para 1.500 carros
           Rodovia Amaral Peixoto, Km 170 - Barreto – Macaé/RJ
Entrada gratuita, mediante credenciamento, incluindo a participação no Fórum de Palestras.

16 março 2010

Estatuto de OSCIP


Estatuto De Organização da Sociedade Civil de Interesse Público / OSCIP, fornecido pelo Ministério da Justiça. Os campos em vermelho devem ser retirados.

Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

Art. 1º A (O)_____________________________(nome da entidade) também designada(o) pela sigla,_______________(se usar sigla), constituída(o) em________de_____________
______, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, e duração por tempo indeterminado, com sede no município de_______________________________Estado de
_________________ e foro em _________________________________________.

Art. 2º A (O) ___________________________________________tem por finalidade (s) ________________________________________________________________________.1

Parágrafo Único - A (O) ___________________________(entidade) não distribui entre os seus sócios ou associados, conselheiros, diretores, empregados ou doadores eventuais excendentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos, bonificações, participações ou parcelas do seu patrimônio, auferidos mediante o exercício de suas atividades, e os aplica integralmente na consecução do seu objetivo social.

Art. 3º No desenvolvimento de suas atividades, a (o) ______________(entidade) atenderá a observância dos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência e não fará qualquer discriminação de raça, cor, sexo ou religião.

Art. 4º A (O) _____________________________(entidade) terá um Regimento Interno que aprovado pela Assembléia Geral, disciplinará o seu funcionamento.

Art. 5º A fim de cumprir sua(s) finalidade(s) a instituição se organizará em tantas unidade de prestação de serviços, quantas se fizerem necessárias, as quais se regerão pelas disposições estatutárias.
1 As possíveis finalidades de uma OSCIP estão listadas no art. 3º da Lei 9.790/99, devendo a entidade atender a pelo menos uma delas.

Capítulo II - DOS SÓCIOS

Art. 6º A (O) _________________________________(Entidade) é constituída (o) por número ilimitado de sócios, distribuídos nas seguintes categorias: ______________________________(fundador, benfeitor, honorário, contribuintes e outros).

Art. 7º São direitos dos sócios quites com suas obrigações sociais:
I - votar e ser votado para os cargos eletivos;
II - tomar parte nas Assembléias Gerais
(outras julgadas necessárias)

Art. 8º São deveres dos sócios:
I - cumprir disposições estatutárias e regimentais;
II - acatar decisões da Diretoria;
(outras julgadas necessárias).

Art. 9º Os sócios não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelos encargos da Instituição.

Capítulo III - DA ADMINISTRAÇÃO

Art. 10º A (O) __________________(entidade) será administrada (o) por:
I - Assembléia Geral;
II - Diretoria;
III - Conselho Fiscal.

Art. 11º A Assembléia Geral, órgão soberano da Instituição, se constituirá dos sócios em pleno gozo de seus direitos estatutários

Art. 12º Compete à Assembléia Geral:
I - eleger a Diretoria e o Conselho Fiscal;
II - decidir sobre reformas do Estatuto;
III - decidir sobre a extinção da entidade, nos termos do artigo 32;
IV - decidir sobre a conveniência de alienar, transigir, hipotecar ou permutar bens patrimoniais;
V - aprovar o Regimento Interno;
(outras julgadas necessárias)

PARÁGRAFO ÚNICO
(Escolha apenas uma das possibilidades abaixo)
*Possibilidade 1 - A Instituição não remunera, sob qualquer forma, os cargos de sua Diretoria e do Conselho Fiscal, bem como as atividades de seus sócios, cujas atuações são inteiramente gratuitas.
**Possibilidade 2 - A Instituição remunerará seus dirigentes que efetivamente atuam na gestão executiva e aqueles que prestam serviços específicos, respeitados, em ambos os casos, os valores praticados no mercado na região onde exerce suas atividades.

Art.13º A Assembléia Geral se realizará, ordinariamente, uma vez por ano para:
I - apreciar o relatório anual da Diretoria;
II - discutir e homologar as contas e o balanço aprovado pelo Conselho Fiscal;
(outras julgadas necessárias)

Art. 14º A Assembléia Geral se realizará extraordinariamente, quando convocada;
I - pela Diretoria;
II - pelo Conselho Fiscal;
III - por requerimento de ______(número) sócios quites com as obrigações sociais.

Art. 15º A convocação da Assembléia Geral será feita por meio de edital afixado na sede da Instituição e/ou publicado na imprensa local, por circulares e outros meios convenientes, com antecedência mínima de ______dias.

Parágrafo Único - Qualquer Assembléia se instalará em primeira convocação com a maioria dos sócios e, em segunda convocação, com qualquer número.

Art. 16º A Instituição adotará práticas de gestão administrativas, necessárias e suficientes, a coibir a obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios e vantagens pessoais pelos dirigentes da entidade e seus cônjuges, companheiros e parentes colaterais ou afins até terceiro grau e ainda pelas pessoas jurídicas dos quais os mencionados anteriormente sejam controladores ou detenham mais de dez por cento das participações societárias.

Art. 17º A Diretoria será constituída por um Presidente, um Vice-presidente, Primeiro e Segundo Secretários, Primeiro e Segundo Tesoureiros.

Parágrafo Único - O mandato da Diretoria será de ______anos, sendo vedada mais de uma reeleição consecutiva.

*2 Inserir este parágrafo caso a entidade seja de assistência social ou tenha decidido por não remunerar seus dirigentes para ter acesso a certos incentivos e benefícios, para os quais a legislação em vigor exige a não remuneração dos dirigentes expressa no estatuto.
**3 Inserir este parágrafo se a decisão da entidade for por remunerar seus dirigentes, o que a impedirá de:
a) concorrer ou manter a Declaração de Utilidade Pública e o Certificado de Fins Filantrópicos;
b) requerer o registro no Conselho de Assistência Social;
c) Ter isenção do pagamento da parte patronal do INSS, quando houver contrato de trabalho;
d) Ficar isenta do Imposto de Renda, ou seja, a entidade terá que fazer a declaração, cujo pagamento ocorrerá apenas nas situações em que o imposto for devido.

Art. 18º Compete à Diretoria:
I - Elaborar e executar programa anual de atividades;
II - elaborar e apresentar á Assembléia Geral o relatório anual;
III - reunir-se com instituições públicas e privadas para mútua colaboração em
Atividades de interesse comum;
IV - contratar e demitir funcionários;
(outras julgadas necessárias)

Art. 19º A diretoria se reunirá no mínimo uma vez por mês.

Art. 20º Compete ao Presidente:
I - representar a (o) ___________________(entidade) judicial e extra-judicialmente;
II - cumprir e fazer cumprir este Estatuto e o Regimento Interno;
III - presidir a Assembléia Geral;
IV - convocar e presidir as reuniões da Diretoria;
(outras julgadas necessárias)

Art. 21º Compete ao Vice-presidente:
I - Substituir o Presidente em suas faltas ou impedimentos;
II - assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III - prestar, de modo geral sua colaboração ao Presidente.
(outras julgadas necessárias).

Art. 22º Compete ao Primeiro Secretário:
I - Secretariar as reuniões da Diretoria e da Assembléia Geral e redigir as atas;
II - publicar todas as notícias das atividades da entidade.
(outras que julgar necessárias)

Art. 23º Compete ao Segundo Secretário:
I - Substituir o Primeiro Secretário em suas faltas ou impedimentos;
II - assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III - prestar, de modo geral, a sua colaboração ao Primeiro Secretário.
(outras julgadas necessárias).

Art. 24º Compete ao Primeiro Tesoureiro:
I - arrecadar e contabilizar as contribuições dos associados, rendas, auxílios e donativos, mantendo em dia a escrituração;
II - pagar as contas autorizadas pelo Presidente;
III - apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados;
IV - apresentar ao Conselho Fiscal a escrituração da Instituição, incluindo os relatórios de desempenho financeiros e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas;
V - conservar, sob sua guarda e responsabilidade, os documentos relativos á tesouraria;
VI - manter todo o numerário em estabelecimento de crédito.
(outras julgadas necessárias)

Art. 25º Compete ao Segundo Tesoureiro:
I - substituir o Primeiro Tesoureiro em suas faltas e impedimentos;
II - assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III - prestar, de modo geral, sua colaboração ao Primeiro Tesoureiro.
(Outras julgadas necessárias)

Art. 26º O Conselho Fiscal será constituído por______ membros e seus respectivos suplentes, eleitos pela Assembléia Geral.
§ 1º O mandato do Conselho Fiscal será coincidente com o mandato da Diretoria;
§ 2º Em caso de vacância, o mandato será assumido pelo respectivo suplente, até o seu término.

Art. 27º Compete ao Conselho Fiscal:
I - examinar os livros de escrituração da Instituição;
II - opinar sobre os relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da entidade;
III - apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados;
(outras julgadas necessárias)

Parágrafo Único - O Conselho Fiscal se reunirá ordinariamente a cada ____ meses e, extraordinariamente, sempre que necessário.

Capítulo IV - DO PATRIMÔNIO

Art. 28º O patrimônio da (o) ______________________(entidade) será constituído de bens móveis, imóveis, veículos, semoventes, ações e títulos da dívida pública.

Art. 29º No caso de dissolução da Instituição, o respectivo patrimônio líquido será transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos da Lei 9.790/99, preferencialmente que tenha o mesmo objetivo social.
. Caso a entidade seja de assistência social deve constar no estatuto que o patrimônio deve ser destinado à outra OSCIP com o mesmo objetivo social e registrada no Conselho Nacional de Assistência Social.

Art. 30º Na hipótese de uma pessoa jurídica perder a qualificação instituída pela Lei 9.790/99, o respectivo acervo patrimonial disponível, adquirido com recursos públicos durante o período em que perdurou aquela qualificação, será transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos da mesma Lei, preferencialmente que tenha o mesmo objetivo social.
. Caso a entidade seja uma Fundação, esta obrigatoriedade estatutária não se aplica, uma vez que o Código Civil estabelece que as mesmas não se dissolvem, mas são judicialmente extintas.

Capítulo V - DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Art. 31º A prestação de contas da Instituição observará no mínimo:
I - os princípios fundamentais de contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade;
II - a publicidade, por qualquer meio eficaz, no encerramento do exercício fiscal, ao relatório de atividades e das demonstrações financeiras da entidade, incluindo as certidões negativas de débitos junto ao INSS e ao FGTS, colocando-os à disposição para o exame de qualquer cidadão;
III - a realização de auditoria, inclusive por auditores externos independentes ser for o caso, da aplicação dos eventuais recursos objeto de Termo de Parceria, conforme previsto em regulamento;
IV - a prestação de contas de todos os recursos e bens de origem pública recebidos será feita, conforme determina o parágrafo único do Art. 70 da Constituição Federal.

Capítulo VI - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 32º A (O) _________________(entidade) será dissolvida (o) por decisão da Assembléia Geral Extraordinária, Especialmente convocada para esse fim, quando se tornar impossível a continuação de suas atividades.

Art. 33º O presente Estatuto poderá ser reformado, a qualquer tempo, por decisão da maioria absoluta dos sócios, em Assembléia Geral especialmente convocada para esse fim, e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório.

Art. 34º Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria e referendados pela Assembléia Geral.

OBS: Este modelo estabelece sugestões e cláusulas mínimas para a qualificação como OSCIP. Qualquer substituição ou aditamento ficará a cargo e faculdade da própria entidade e de acordo com sua finalidade, devendo ser observada a coerência para com tais sugestões em vista do requerimento.

Local, Data

Assinatura do Presidente
Nome

Assinatura dos Membros da Diretoria
Nomes

Assinatura e nome/OAB do advogado

15 março 2010

Não Faça Queimadas

O fogo destrói o solo, mata toda matéria orgânica e contribui para aumento do aquecimento global, com a emissão de dióxido de carbono.
"A queimada destrói brutalmente toda flora, mata covardemente toda fauna, a queimada é crime, denuncie."



Campaha contra as queimadas, uma iniciativa da Rádio Pau Terra, Iporá GO, Direção Noildo Miguel. www.radiopauterra.com.br

11 março 2010

Fundação Léa Pentagna

A Fundação Cultural e Filantrópica Léa Pentagna nasceu do desejo de sua fundadora de "propagar, estimular e proteger o gosto pelo estudo das Ciências, Artes e Letras", no dia 26 de outubro de 1985.

A senhora Léa Pentagna deixou em testamento, quando faleceu em 1983, seu estatuto registrado em cartório.

A casa de estilo neoclássico possui 20 cômodos, com móveis de diferentes épocas. A influência italiana encontra-se por toda parte, seja nos livros da biblioteca, nos objetos, na coleção de discos de Vivaldi.

Nas paredes, as telas do pintor espanhol Timoteo Perez Rubio confirmam a passagem do mesmo pela casa.

O quintal, de aproximadamente 20.000 m², mistura espécies de grande, médio e pequeno porte, tais como: magnólia, murta, canela, abiu, urucum, coité, bambu-gigante, gabiroba, mangueira, jabuticabeira, copos de leite e maria-sem-vergonha. De tão silencioso, criou-se dentro dele a "rota do Silêncio", que, quando percorrida, pode levar o caminhante a encontra-se com ele mesmo.

Entre 1998 e 2000, a casa passou por uma restauração, autorizada pelo Ministério da Cultura e, através da lei Rouanet, teve como mecenas o empresário Dr. Lúcio Pentagna Guimarães, de Belo Horizonte. A reinauguração aconteceu em 22 de abril de 2000.
Hoje ela está aberta à visitação de turistas nos finais de semana e recebe, também, Escolas das Redes Municipal, Estadual e Particular.

Durante o ano realiza palestras, cursos de atualização, exposições de artes plásticas, e de artesanato, apresentações de música erudita, folclórica e MPB e lançamento de livros.
Possui dois grandes projetos: Uma Feira de Cultura Alternativa, anualmente, e "De Conversa em Conversa...", gravação em DVD de depoimentos de pessoas ligadas à história de Valença.

Está fundação possui título de Utilidade Publica Municipal e é fiscalizada pelo Ministério Público, através da Curadoria das Fundações do Interior.
Endereço: Rua Vito Pentagna, 213 - Valença - RJ
Tel: (24) 24534178

06 março 2010

A Cova da Onça

No livro "Valença de Ontem e de Hoje" do escritor valenciano Leoni Iório, encontrei esse bela lenda:

"Numa garganta, ao sopé da Serra dos “Mascates”, havia uma furna de aspecto feio, habitada por um enorme jaguar, terror da redondeza, de onde a denominação local: Coiareté — Cova da Onça (de Co-cova, e Iauareté-jaguar).
Consertava-se o meio de eliminar aquele perigo, quando um velho e respeitoso Coroado, indiferente a qualquer risco, porque, como diziam, nunca se vira desamparado por Tupan, mete-se um dia na furna, com toda naturalidade.
Era de mais: um suicida, talvez.
À noite, porém, com surpresa geral, a fera vem chegando, e ao pressentir algo de estranho, pára perto da furna, enfurece, avança e recua, e, por fim, soltando um urro doloroso, desaparece na mata, para sempre.
Ante mais esse fato, não podia restar dúvida: o silvícola tinha poderes sobrenaturais que o protegiam. E firmou então os seus créditos de guarda tutelar do Bem, a cuja simples aproximação o Mal se retirava.
Daí, por diante, generalizou-se a crença de que toda a extensão em frente à furna, até onde alcançasse o olhar benfazejo do índio, estava livre de espíritos mal formados.
Arnaldo Nunes transpõe esta lenda, para os seguintes versos:

COVA DA ONÇA
(lenda)

Dizem que ao sopé daquela serra havia,
No grande resplendor da natureza,
Uma furna tristíssima e sombria,
Justo terror de tôda a redondeza.


E’ que, mais de uma noite, à luz tranqüila
E solene do luar, vira o selvagem
O forte reluzir de uma pupila
Entre o lindo veludo da folhagem:
—Pupila que o jaguar fixa na lua,
Quando pela amplidão, régia, flutua.


Mesmo assim, ao perigo indiferente,
Cena vez, um Coroado -— alma guiada
Por Tupan, como cria tôda gente
Faz daquêle covil sua morada.
Louco talvez, talvez um suicida
Cansado dos rigores desta vida!


À noite, entanto, quando sorrateira
A fera, regressando, do alto desce:
— Algo pressente, em cólera se esgueira,
Ventre colado ao chão, chega, recua,
Escarva terra, treme, pára, estua,
E... num urro brutal, desaparece!...


E’ que ali estava a mágica figura
Do índio, vindo lá da célica planura!


Mal não havia pois que resistisse
A presença de tal iluminado...
E foi por sua voz que o Céu bendisse
O novo aldeiamento então criado!”

fonte da imagem: Victor S. Gomez

05 março 2010

Grupo Artístico Phoenix

Essa notícia é da minha amiga jornalista Katia Berkowicz e foi publicada no Blog do CESVA.

Hospital Escola convida os acadêmicos do CESVA, a apoiarem o projeto desenvolvido na Brinquedoteca da pediatria.
A Faculdade de Letras recebeu no dia 01, a visita da psicóloga Dra. Soraia Lameira, acompanhada pelo grupo Artístico Phoenix.


Dra. Soraia explanou sobre o projeto que o hospital vem desenvolvendo junto à pediatria, convidando os acadêmicos a participarem, apoiando as atividades da Brinquedoteca. Segundo a psicóloga é de grande importância o envolvimento dos acadêmicos, pois irão acrescentar os conhecimentos pedagógicos necessários ao projeto. “Assim estarão colaborando na recuperação dos pequenos pacientes com brincadeiras direcionadas, e também proporcionando momentos de descontração e afeto, auxiliando a tornar o tratamento cada vez mais humanizado”, disse Dra.Soraia.
O trabalho voluntário contabilizará horas extras curriculares.
As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas.
Mais informações pelo tel. 2453-1888 ramal 1908

04 março 2010

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Faltam quatro dias para o Dia Internacional da Mulher. Venho aqui para fazer minha pequena homenagem à todas as mulheres, pilar que nos sustenta, forte e meiga, sempre ao nosso lado nos dando atenção e carimho. Beijo a todas e valorosas mulheres de nosso planeta.

02 março 2010

5º Caminhada na Natureza de Valença, RJ

FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE ESPORTES POPULARES
CIRCUITO SERRA DA CONCÓRDIA

07 de março de 2010, domingo.

Quem promove: Federação Internacional de Esportes Populares - IVV, ANDA BRASIL - CIRCUITOS DE CAMINHADAS NA NATUREZA e ONG SALVEASERRA, Valença/RJ.
Atrativos: Serra da Concórdia, Santuário de Vida Silvestre da Serra da Concórdia, outras trilhas na Mata Atlântica do Santuário, plantações de Sistemas Agroflorestais, banho de bica e na volta o Restaurante Fogão de Lenha com Pesque e Pague. 
Distância: 12 km.
Percurso: baixa dificuldade, estradas de terra, leves subidas e trilhas na floresta.


Partida/Chegada: no Restaurante Fogão de Lenha, perto de São Francisco, Valença. Estrada Barra do Pirai - Valença. Para mais informações de como chegar ao local de partida: 24 - 24538210, Restaurante Fogão de Lenha.
Horário do início da 5º Caminhada na Natureza de Valença: das 8 às 9 horas.
Largada: cada grupo ou cada pessoa parte logo após a inscrição e caminha no seu próprio ritmo. Esta caminhada é uma atividade prazerosa, saudável, de total integração à natureza e não é competitiva. Siga o seu passo.
Quem pode participar: qualquer pessoa, de qualquer idade.
Exigência: preenchimento de ficha com dados pessoais e assinatura de Termo de Responsabilidade.
Quanto custa: grátis.  Distribuição da Caderneta Internacional do IVV
Caderneta: quem já possui a caderneta apresenta-a na partida para receber o crachá de controle de passagem pelos postos. Ao final a caderneta será carimbada registrando a conclusão do percurso. Não é preciso ter a caderneta para caminhar.
Acompanhamento: haverá monitores ambientais no percurso e uma equipe de saúde para atendimento a qualquer necessidade dos caminhantes.
Água e frutas: haverá distribuição na partida e no percurso.
Importante: Traga tênis, roupa de manga comprida, roupa de banho, chapéu e protetor solar.
Informações: Telefones: 24 24524864, 24 99073106 e santuariodaconcordia@uol.com.br ou www.andabrasil.com.br.             

APOIO:


PREFEITURA MUNICIPAL DE VALENÇA


SECRETARIA MUNICPAL DE CULTURA E TURISMO
24-24536054    

RESTAURANTE FOGÃO DE LENHA
PRODUTOS DA ROÇA    
24 - 24538210   
     
FAZENDA SÃO JOSE
AGA - ADUBO ORGANICO
24- 24538101
   
SANTUÁRIO DE VIDA SILVESTRE DA SERRA DA CONCÓRDIA
24-24524864 

Selos

 Homenagem recebida do Blog Fazendo Arte da Solange Belém. Uma homenagem à todas as mulheres que acompanham meus projetos

01 março 2010

Projeto de Informática

"Ola, Sr. Victor S. Gomez.
Eu sou Ian Benicio. Me formei em Computação ano passado e gostaria muito de criar uma ONG pra ensinar Programação e Artes para crianças carentes em Refice-PE.
O objetivo especifico da ONG seria preparar as crianças para o mundo virtual e fazer uma inclusão digital em comunidade carentes e, com o conhecimento de programação tentar fazer com que as crianças produzissem jogos e sistemas simples, com a parte de arte que esta extremamente entrelaçado, pois todo sistema depende de uma interface gráfica atrativa e os jogos utilizam muito de recursos artísticos.

Enfim... Já li muitos artigos, e matérias na internet, mas ainda não sei exatamente por onde começar... Da parte de funcionários para ministrar aulas e curso eu já tenho uma equipe... Só falta o resto, lugar para começar, computadores, apoio, etc...

Qualquer ajuda, dica, orientação eu estarei grato.

Abraço"


Olá amigo Ian

Trabalhei em minha ONG CECI (Centro Cultural e Criança Cidadã), durante alguns anos em parceria com O CDI (Comitê para Democratização da Informática). Se você tem pelo menos um cômodo com laje, bem arejado, com ar condicionado, facilitará bastante na hora de mostrar o projeto para eles. O CDI fornece capacitação para o coordenador da Escola de Informatica e Cidadania e para os instrutores de informática, além de dar um bom suporte técnico. Os computadores e uma impressora serão cedidos em comodato para a instituição parceira, assim que o projeto for aprovado. Procure no site o endereço do CDI que esteja mais perto de você.
Coordenador Regional Pernanbuco – Marcelo Costa
E-mail: cdipe@cdi-pe.org.br
Telefone: (81) 3271 – 4849
Fundação: 14 de março de 2000


O CDIComitê Para Democratização da Informática, aceita qualquer instituição, desde que legalizada, para criação de novas EICs – Escola de Informática e cidadania. A instituição deverá ter instalações apropriadas. Salas ventiladas, com instalação elétrica apropriada, ar condicionado, em local público.


A instituição ainda deverá contar com um coordenador de informática para o devido planejamento e instalação da EIC. É essencialmente necessário que a instituição possua CNPJ e que sejam parceiras da comunidade. Caso se interessem as instituições deverão entrar em contato com o CDI, para a devida inscrição. Assim ficará sabendo o período de inscrição e receberá o modelo de projeto que deverá apresentar.

Passo a passo de como criar uma ONG