24 maio 2016

Sobre o Escritor Victor S. Gomez e seu Livro Universo Interior

Às vezes me sinto como Jackson Pollock, parado durante dias diante de uma tela em branco, para depois despejar palavras, vindas não sei de onde, e se encontrando no papel, ou na tela do computador. Todas saindo de um espaço que desconheço, de dimensões estranhas, universos paralelos, inúmeros universos, de um sonho que formei em minha mente. E ao final o que tenho? Vida, minha vida em um emaranhado de outras vidas, todas juntas, com o objetivo de fazer com que todos sintam e vejam o mundo com os olhos do escritor e que se envolvam e criem, acrescentando seus mundos nessa teia gigante. O meu desejo maior é poder ver o que as pessoas veem quando leem meus contos. Eu vivo na continuidade da leitura do leitor.

Foi meio uma surpresa para mim escrever esse livro, sempre quis escrever, mas nunca tive coragem de começar, alguma coisa impedia, talvez a insegurança de começar e não saber como terminar. Isso ocorre até hoje comigo, como coloco aí em cima nesse pequeno texto, é como me sinto, meio perdido em um emaranhado de sonhos. Já escrevi textos, logo ao acordar e lembrar de um sonho. O livro "Universo interior" foi escrito em mais ou menos 30 dias. Fiquei um mês inteiro dentro de casa, escrevendo. Ele foi todo escrito a mão, ainda guardo os cadernos, uma confusão imensa de palavras, só eu entendo. Técnica, acredito que não, não tenho uma fórmula, é bastante emocional mesmo, eu mesmo me emociono ainda com alguns contos e até caem algumas lágrimas quando releio alguns contos.

Livro Universo Interior 2013
1º lugar no Prêmio Olho Vivo 2014, de Volta Redonda, região sul do Estado do Rio de Janeiro.
http://www.editorapatua.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=189


Procuro escrever o que sinto e o que vejo internamente, é todo um aprendizado, tudo que li, vi e vivi. Tudo parte do incentivo que tive do meu pai e minha mãe para a leitura. Das rádio novelas que ouvi todas as manhãs com meu pai, dos livros e revistas que ele me dava. Dos gibis e jornais que lia desde os 11 anos, todos comprados com o dinheiro que minha mãe me dava para pegar ônibus, e eu pegava carona de trem para comprá-los. Eu estudava em Realengo, no Rio, e morava em Madureira, passava por um buraco no muro e não pagava o trem, coisas de criança.

Meus textos não são pré-definidos, não falo de uma árvore, porque quero falar sobre meio ambiente. Mas também não é nada do além. Simplesmente escrevo da memória, das coisas que me lembro, das coisas que vivi com meu irmão, meus filhos, da minha infância, dos lugares por onde passei. Minha intenção maior, eu acho, é passar algo bom, que estimule, que ajude, que incentive a leitura. Que todos que leiam o que escrevo sintam que também é possível para eles escrever. E que devemos sempre tentar tirar algo positivo de qualquer experiência, mesmo das mais difíceis. 

20 maio 2016

Universo Interior Premiado

Livro do escritor Victor S. Gomez foi premiado em 2014, em primeiro lugar no Prêmio Olho Vivo de Volta Redonda - RJ.

Agradecimentos especiais:
Obrigado ao meu irmão Miguel Heichard e a Elenir Oliveira, meus grandes incentivadores e os primeiros a acreditar no meu trabalho.

Obrigado ao amigo Escritor Pedro Veludo, por ser um dos primeiros leitores dos meus contos e ter me incentivado a lançá-los.

Obrigado a amiga Leila Bortolazzi, Editora da Editora Melhoramentos, como ela mesma me falou, minha fã número um.

Obrigado aos amigos da Feira Hippie de Ipanema, especialmente a Ivan Artesao e Vania Fernandes de Menezes, sempre me dando força para continuar.

Agradeço também a minha esposa e parceira Elisabete Cruz de Souza, pela paciência e estimulo na concretização desse sonho.

Agradeço aos meus filhos, todos com participação ativa nos meus contos.

E um agradecimento especial a todos os amigos Blogueiros e do Facebook, leitores constantes e sempre presentes em minhas páginas e blogs, por apostarem no meu trabalho.

Outro agradecimento especial ao amigo Eduardo Lacerda, Editor da Editora Patuá, por apostar no meu livro sem mesmo me conhecer pessoalmente.

E agradeço ao amigo Cláudio Alcântara, pela competência e por acreditar que a cultura é uma ferramenta essencial na transformação social.

Veja a página do escritor no site da Editora Patuá.
http://www.editorapatua.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=189

18 maio 2016

Poema - A Luz Branca da Morte

A Luz Branca da Morte - Victor S. Gomez

Consegui abrir os olhos
e percebi mais luz do que de costume,
Intensa essa luz amigo,
falei, mas não obtive resposta.
Falei novamente
e me deixaram sozinho.
Mais só impossível,
com tanta gente ao meu redor,
como consigo me sentir tão só?
O ar é gélido por aqui,
sinto frio,
muito frio.
Vou tentar encontrar o sol.
Uma luz branca me indica o caminho
e eu a sigo,
acreditando que vou encontrar o sol.
Ei, você, amigo,
onde estou?
Ninguém me responde,
ninguém me vê.
Ei você, amigo, por favor,
onde estou?
Ninguém me responde,
ninguém me vê.
Todos me ignoram.
Então percebo,
meu Deus, estou morto!


Meus livros à venda:
Amo o que faço e me emociono com isso.

Livro Universo Interior 2013
1º lugar no Prêmio Olho Vivo 2014, de Volta Redonda, região sul do Estado do Rio de Janeiro.

Livro A Semente 2015
3º lugar no Prêmio Olho Vivo 2015, de Volta Redonda - RJ.

Passo a passo de como criar uma ONG